Menu
2019-06-21T11:46:14+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
É hoje!

Economia prevista com reforma da Previdência está em R$ 1,13 trilhão, diz relator

Com leitura do relatório, será aberto o prazo de vista coletiva. Discussões sobre o texto estão previstas para começar na terça-feira, dia 18

13 de junho de 2019
10:44 - atualizado às 11:46
img20190425130235702MED
Relator, dep. Samuel Moreira (PSDB - SP) - - Imagem: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

O deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) terminou a leitura de seu parecer sobre a reforma da Previdência na comissão especial. O texto está disponível no site da comissão. Moreira informou via "Twitter" que a economia prevista está em R$ 1,13 trilhão.

Até então, o número que tínhamos e que o próprio moreira havia falando pela manhã era de algo próximo a R$ 915 bilhões. Agora, temos uma abertura dos números, são R$ 913,4 bilhões em dez anos, mais cerca de R$ 217 bilhões com o fim do repasse da arrecadação do PIS/Pasep destinada ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O parecer também prevê a elevação de 15% para 20% da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) cobrada dos bancos. A previsão é obter R$ 50 bilhões ao longo de dez anos.

Moreira faria a leitura completa das mais de 150 páginas, mas os deputados fecharam acordo depois da leitura de 18 páginas, para que apenas o voto fosse proferido.

Ontem, Moreira disse que trabalharia para manter valor próximo R$ 1 trilhão ao longo de dez anos, mesmo retirando alguns pontos já acordados, como BPC e aposentadorias rurais. A proposta original do governo previa R$ 1,236 bilhões em 10 anos.

Segundo o secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, disse que o texto apresentado ficou muito próximo do esperado pelo ministro Paulo Guedes.

Quanto maior o número inicial, maior a chance de que uma reforma tida como “robusta” sobreviva ao fim das negociações tanto na comissão especial quanto no plenário na Câmara dos deputados. O que se espera é um número elevado o suficiente para estabilizar o crescimento da dívida pública. A reação inicial do mercado é positiva.

A capitalização ficou de fora do relatório. De fato, a ideia era de que o Congresso autorizasse a criação de um sistema, mas seus detalhes seriam discutidos posteriormente. O debate, no entanto, evoluiu para uma condenação da capitalização tanto por parte da oposição quanto de alguns partidos de centro.

A ideia, agora, é retomar o tema no segundo semestre, o que quer dizer que o assunto pode nunca mais voltar à pauta. O relatório diz o seguinte sobre o tema: "Em relação ao regime de capitalização, consideramos que não
é o modelo mais adequado para um país cujos trabalhadores têm baixos rendimentos, além de ter elevado custo de transição".

Estados e municípios também estão de fora dessa primeira versão, mas como disse, ontem, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, as negociações em torno do tema vão continuar acontecendo e os entes federados poderão entrar via emenda na comissão ou destaque quanto o tema estiver no plenário.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Com a leitura abre-se o pedido de vista e as discussões começam, na comissão, na terça-feira da próxima semana. Foi feito um acordo de procedimentos. A oposição não faz obstrução e o governo não faz requerimento para encerramento das discussões (o que anteciparia a votação).

Assim, os prazos, agora, dependem do número de deputados que se inscreverem para falar na comissão. Em tese, todos os 513 deputados podem se inscrever. Mais de 100 parlamentares já tinham feito inscrição.

Para ser aprovado na comissão, o parecer precisa de 25 votos dos 49 deputados que compõem o colegiado.

Em plenário, são necessários 308 votos em dois turnos. Maia falou que conseguir esses votos é um trabalho dos deputados e deputadas e destacou o trabalho da Câmara na construção do parecer que está para ser apresentado.

Veja abaixo o impacto detalhado da reforma divulgado em 25 de abril

Previdência impacto

Pontos do Parecer

O relatório acata idade diferenciada de 57 anos para as professoras e mantém os 60 anos para os professores.

O tempo de contribuição das mulheres ficou mantido em 15 anos.

O relator propõe que uma  parcela dos recursos das contribuições sociais do PIS/PASEP hoje direcionada ao BNDES passe a compor as receitas do Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Abono salarial passa a ser pago para quem teve rendimento de até R$ 1.364,43. Proposta era pagar apenas a quem ganha um salário mínimo.

Foi feita alteração no regime jurídico de magistrados e membros do MP. Foi suprimida do texto constitucional a "possibilidade da aplicação da esdrúxula pena disciplinar de aposentadoria compulsória".

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Objetivo muito distante

Maia diz ser ‘temerário’ falar em privatização da Petrobras até 2022

Presidente da Câmara ressaltou que, por ser a Petrobras uma empresa de capital aberto, o assunto da venda fica mais delicado

Mas e o prazo?

Jereissati diz que relatório da reforma da Previdência não será mais entregue nesta sexta-feira

Pelo cronograma inicial, o relatório seria lido na comissão na próxima quarta-feira, 28

Seu Dinheiro na sua noite

Quem manda é o lucro

Vermelho ou verde? Para facilitar a vida de míope mal curado, deixo sempre as duas cores bem berrantes na tela de cotações que fica a meu lado para saber rapidamente quando a bolsa e as principais ações do Ibovespa estão em alta ou em queda. Hoje foi o típico dia em que um único ponto […]

Ninguém segura!

Azul fecha acordo com aérea regional Asta e amplia operações em Mato Grosso

Focada em viagens ligadas ao agronegócio, a ASTA existe desde 1995 e, atualmente, opera onze voos diários no Mato Grosso

Falta gás

Apesar de espera positiva por FGTS, mercado de trabalho ainda trava ímpeto de compra

Analistas da FGV afirmam que o saldo positivo do Índice de Confiança do Consumidor em agosto deve ser encarado com certa cautela

Ninguém mexe!

Governo não cogita alterar meta fiscal, diz Ministério da Economia

Meta limita o déficit primário do governo para este ano a R$ 139 bilhões

Se deu bem

Conselho da Anatel aprova termo que troca multas contra a TIM por iniciativas de melhora de atendimento

Acordo prevê a troca de R$ 627 milhões em sanções por uma série de iniciativas que a companhia deverá assumir e colocar em prática

Em debate no Congresso

Campos Neto diz estar seguro que PL da autonomia do BC blindará a instituição e a UIF, ex-Coaf

Declarações foram feitas nesta manhã durante a posse do novo presidente da UIF, Ricardo Liáo

Tá difícil de acreditar

Confiança de micro e pequeno empresário cai 7,6% nos primeiros sete meses do ano

Para 53% dos pessimistas com a economia, são as incertezas políticas que justificam sentimento negativo

No meio do caminho tinha uma pedra

Relator da Previdência no Senado diz que indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada atrapalha tramitação da reforma

Indicação ainda não foi oficializada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, pai do deputado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements