Menu
2021-05-21T20:27:34-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Novo acionista

É oficial: a Marfrig agora é dona de 24% da BRF

Conforme especulado pelo mercado, a Marfrig era a compradora misteriosa de ações da BRF nos últimos dias, chegando a 24,23% do capital

21 de maio de 2021
20:27
Marfrig BRF Logo
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

As suspeitas do mercado se confirmaram: o comprador misterioso de ações da BRF, de fato, era a Marfrig. E a fatia adquirida não foi nada desprezível.

Em comunicado enviado há pouco à CVM, a BRF diz que a Marfrig agora é dona de mais de 196 mil ações da companhia, o que equivale a 24,23% do capital social — uma posição construída via opções e leilões realizados em bolsa.

Essa movimentação foi possível graças à alta pulverização do capital da BRF: até o dia 17 de maio, o maior acionista individual da companhia era a Petros, com 9,9% das ações ON — Previ e Kapitalo são os outros dois acionistas que detinham pelo menos 5%.

BRF posição acionária

Ou seja: a Marfrig conseguiu comprar ações da BRF na bolsa — não está claro se algum dos acionistas relevantes vendeu sua participação na empresa —, podendo ter turbinado ainda mais sua relevância através de aluguéis ou aquisições de ADRs.

E agora, Marfrig?

Confirmada a suspeita, resta a pergunta: o que a Marfrig planeja fazer na posição de maior acionista individual da BRF?

É praxe que, ao atingir posição acionária superior a 5%, o grupo comprador envie uma carta comunicando o movimento e declarando algumas de suas intenções. E, no caso da Marfrig, não foi diferente — mas as respostas foram apenas protocolares. Eis alguns pontos da correspondência:

  • A aquisição visa diversificar os investimentos da Marfrig num setor complementar ao seu;
  • A posição está de acordo com o planejado no momento (ou seja: não devem ser feitas novas aquisições);
  • A Marfrig não quer eleger membros do conselho, exercer influência direta nas atividades ou promover mudanças no controle da BRF.

Assim, eventuais segundas intenções da Marfrig não foram reveladas por enquanto.

A forte alta nas ações da BRF, combinada ao nível elevado de aluguel dos papéis, levantou suspeitas de que um mesmo agente estaria por trás do movimento e teria interesse em obter uma grande representatividade nas assembleias — locatários também ficam com o direito a voto. Apenas nesta semana, BRF ON acumulou ganhos de 28,8%.

Ações da BRF
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies