Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-03T19:41:58-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço

Itaú (ITUB4) tem lucro 35% maior no terceiro trimestre, mas segue atrás do Santander em rentabilidade

O maior banco privado brasileiro acelerou no crédito e registrou lucro líquido recorrente de R$ 6,779 bilhões no trimestre, acima do esperado pelo mercado

3 de novembro de 2021
19:16 - atualizado às 19:41
Agência do Itaú
Imagem: Shutterstock

Com o pé no acelerador do crédito e provisões menores para perdas com calotes, o Itaú Unibanco (ITUB4) registrou lucro líquido recorrente de R$ 6,779 bilhões no terceiro trimestre.

O resultado representa um avanço de 34,8% na comparação com o mesmo período do ano passado e ficou acima do esperado pelos analistas, que projetavam um lucro de R$ 6,625 bilhões.

A melhora no lucro se refletiu na rentabilidade sobre o patrimônio líquido (ROAE, na sigla em inglês) do Itaú, que atingiu 19,7% no terceiro trimestre.

Trata-se de uma evolução e tanto na comparação com o retorno de 15,7% do mesmo período do ano passado. Mas não foi suficiente para o Itaú recuperar do Santander o posto de banco mais rentável entre os gigantes do setor financeiro.

Crédito e inadimplência do Itaú

O Itaú encerrou o terceiro trimestre com uma carteira de crédito de R$ 962 bilhões, uma alta de 5,9% em três meses e de 13,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O ritmo está acima das projeções do banco, que espera um avanço de até 11,5% no crédito em 2021.

As linhas para pessoas físicas e micro e pequenas empresas — mais rentáveis, porém mais arriscadas — puxaram o crescimento dos financiamentos no Itaú. O saldo de operações de crédito imobiliário, por exemplo, aumentou 54% nos últimos 12 meses.

O avanço no crédito acontece sem uma contrapartida de aumento relevante da inadimplência — pelo menos por enquanto. O índice de atrasos acima de 90 dias nos empréstimos subiu de 2,3% para 2,6% no trimestre, ainda abaixo dos níveis históricos.

Com o aumento dos financiamentos em linhas com maior spread, o Itaú registrou um aumento de 15,3% na margem financeira. O bom desempenho da Tesouraria, que entregou um resultado 40% maior do que no terceiro trimestre do ano passado, também contribuiu para o avanço na margem.

Além das margens maiores, o resultado do Itaú se beneficiou da queda de 17,2% do chamado custo de crédito, que inclui as provisões para perdas com calotes.

Vale lembrar, porém, que o Itaú conta com uma gordura de provisões que foram feitas no início da pandemia da covid-19, quando os bancos reforçaram os bancos na expectativa de uma explosão na inadimplência — que acabou não se concretizando.

Leia também:

Receita com tarifas do Itaú

A receita do Itaú com a cobrança de tarifas e seguros segue sob pressão, mas registrou um aumento de 6,4% em relação ao mesmo período de 2020.

Os serviços de conta corrente, por exemplo, apresentaram uma queda de 2,2% na receita, em meio ao avanço de novas empresas que oferecem contas digitais gratuitas.

Por outro lado, as receitas com administração de recursos e de fundos — outra área que apresenta concorrência intensa — aumentaram 15,8%. Vale lembrar que a partir deste trimestre o Itaú deixou de contabilizar no balanço as receitas vindas da XP, com a cisão da participação que o banco detinha na corretora.

O Itaú também vem apertando o cinto para garantir a melhora nos resultados. As despesas operacionais e de pessoal registraram um aumento de apenas 1,1% na comparação com o terceiro trimestre do ano passado.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies