Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-30T14:04:39-03:00
Estadão Conteúdo
Velozes e furiosos

Fast fashion é apelido: C&A vai criar coleções de roupas em até 24 horas para turbinar vendas online

A ideia do novo serviço é aproveitar o engajamento das redes sociais, especialmente o criado por influenciadores digitais, para estimular a compra por impulso

30 de junho de 2021
14:04
Loja da C&A Cea
Loja da C&A - Imagem: Divulgação

A C&A quer ir além do consolidado fast fashion e migrar para um modelo ainda mais rápido.

A varejista está para lançar pequenas coleções que serão criadas em menos de 24 horas, sendo vendidas no calor do consumo pautado pelas redes sociais.

É uma tentativa de a empresa aquecer seu e-commerce, que vem crescendo fortemente, e também de compensar a queda nas vendas de suas lojas físicas.

A razão dessa busca pelo cliente digital fica transparente em números: no primeiro trimestre, enquanto as vendas online subiram quase 180%, em relação ao mesmo período de 2020, a receita das mesmas lojas físicas da C&A registrou uma redução de 21,7%.

Foi para capturar ainda mais esse público do online que a empresa criou esse serviço, batizado de Alerta Tendências.

O investimento faz sentido porque a velocidade é a chave do negócio, segundo o CEO da C&A, Paulo Correa. A ideia do novo serviço é aproveitar o engajamento das redes sociais, especialmente o criado por influenciadores digitais, para estimular a compra por impulso.

Produção a jato

Para levar esse projeto adiante, a varejista criou uma "linha de produção" que envolve 120 profissionais das áreas de estilo, logística e também os chamados "buscadores de tendência".

Com as informações da internet em mãos, os estilistas precisam criar uma peça que deverá estar disponível para pré-venda em 24 horas no site da companhia - contando fotos com modelos e todas as especificações. As entregas são realizadas em até 15 dias.

A princípio, essas coleções terão 100 unidades fabricadas por peça. "Esse tipo de venda ainda nos traz um nível de assertividade maior, o que resulta em menos desperdício", diz Correa.

A C&A já vinha diminuindo o seu tempo de criação à entrega do produto. Em 2019, foi criado um projeto nesse sentido. "Estabelecemos um alvo de 45 dias, e muitos acharam que era maluquice. Passados alguns meses, já estávamos conseguindo fazer em um mês", afirma Correa.

A empresa também já apostava em coleções de 15 dias, mas, durante o programa Big Brother Brasil, da TV Globo, percebeu que o processo deveria ser ainda mais rápido - e conseguiu colocar uma peça usada pela vencedora do programa, Juliette Freire, nas lojas em 24 horas.

Ainda em queda

Apesar da alta das vendas pela web, Correa sabe que o motor de crescimento da companhia continua sendo as lojas físicas. "Apesar de o e-commerce ter crescido, ainda representa 15% do total. Estamos com uma queda de 35% de receita em relação a 2019 (para R$ 776 milhões). Não tem como fazer uma compensação", diz.

O executivo conta com o avanço da vacinação para a companhia registrar melhores números neste ano e também afirma que abrirá novas lojas. Para 2021, a meta é ampliar a rede em 20 unidades, para um total de 305 pontos de venda.

A varejista está em um setor muito em alta na área de fusões e aquisições. Recentemente, o mercado viu o Grupo Soma comprar a Hering. Para completar, a Lojas Renner fez uma oferta de ações e tem bilhões em caixa para aquisições - e a C&A é vista como um alvo no mercado.

Correa diz que tudo não passa de rumores e que o foco da empresa é o crescimento orgânico.

Em 2021, as ações da C&A têm uma alta de 12%. Porém, em relação ao pré-pandemia, ainda há um desconto de 18%. Para Breno Francis, analista do Banco Inter, apesar de estar longe de recuperar o antigo patamar de vendas, a empresa está tirando o atraso no mundo digital.

O analista dá o exemplo de que o aplicativo da C&A foi o mais baixado no segmento em 2020: 12 milhões de instalações. Por isso, enxerga uma alta de quase 20% nas ações até o fim do ano.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Esquenta dos Mercados

Cautela predomina antes dos dados de inflação dos EUA e bolsa deve refletir taxa de desemprego da Pnad Contínua

E mais: o pessimismo com o avanço regulatório da China segue contaminando as bolsas pelo mundo

Mostrando confiança

BR Distribuidora resolve antecipar R$ 554 milhões em remuneração aos acionistas referente a 2021

Empresa vai pagar os proventos em forma de Juros sobre Capital Próprio, divididos em duas datas, em setembro e em dezembro deste ano

Nova tentativa

Guedes afirma que programa de emprego para jovens terá crédito extraordinário de até R$ 3 bilhões

Segundo ministro, a alternativa foi pensada como forma de enfrentar os efeitos da pandemia no nível de desocupação de jovens, que aumentou no período

SEXTOU COM O RUY

Big Bang, a teoria: As leis da Física e a tributação dos dividendos

As empresas são organismos vivos, que precisam se adaptar às mudanças para sobreviver, como na recente proposta de tributação de dividendos

dinheiro no caixa

Petrobras vende participação em companhias de energia por R$ 160 milhões

Estatal assinou contratos para a venda de suas participações de 20% na Termelétrica Potiguar (TEP) e de 40% na Companhia Energética Manauara (CEM) para a Global Participações Energia S.A. (GPE)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies