Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-06T18:20:44-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
a volta do happy hour?

BofA vê Ambev beneficiada pela atividade de bares e restaurantes, mas diz que custos continuam subindo

Banco manteve a recomendação de venda para as ações da Ambev e o preço-alvo de R$ 15

6 de julho de 2021
18:15 - atualizado às 18:20
Close,Up,Of,Seven,Bottles,Of,American,Beer,Budweister,On
Budweiser, marca da Ambev - Imagem: Shutterstock

O Bank of America diz ver a Ambev (ABEV3) sendo "bastante promocional" durante o segundo trimestre, em uma estratégia da companhia para apoiar a retomada da atividade de bares e restaurantes, segundo relatório desta terça-feira (6).

Para o banco, a estratégia da empresa deve resultar em volumes de bebidas vendidos, preços e mix de produtos mais fortes no segundo trimestre. "A Heineken manteve os preços inalterados, mas a disponibilidade de produtos tem aumentado, principalmente das marcas Heineken e Amstel".

O BofA cita um número crescente de varejistas oferecendo a Beck’s e uma taxa de penetração do projeto aumentando de 15% em dezembro para quase 40% em junho.

A marca seria uma concorrente direta da Heineken, sendo um tomador de preços no canal de varejo. Mas a Ambev já sinalizou a possibilidade de estender essa linha de produtos para bares e restaurantes, o que deve ajudar no mix de produtos.

A Amstel continua aumentando a penetração no canal local e chegou a taxa de 10%, lembra o BofA. A marca Heineken tem uma taxa de penetração de 43%.

Amstel é uma ameaça para a Budweiser, pois é mais barata. A Heineken é o melhor concorrente da categoria no canal de bares e restaurantes, estando presente em mais de 40% dos pontos de venda. O BofA vê potencial para vendas cruzadas entre as duas marcas.

Apesar dos números animadores, o BofA manteve a recomendação de venda para as ações da Ambev e o preço-alvo de R$ 15.

O banco projeta um segundo semestre mais difícil no mercado brasileiro, por conta da base de comparação, e fala na possibilidade de a concorrência ser mais acirrada no período.

Apesar da valorização do real no segundo trimestre, o BofA lembra que o índice de custos segue em tendência de alta para cervejaria: aumentou 22% desde o início do ano.

Segundo o banco, o aumento do custo deve ocorrer apenas em 2022, uma vez que a AmBev faz hedge um ano à frente, e deve provocar uma contração das margens.

A Ambev divulga os resultados do segundo trimestre no próximo dia 29. No balanço mais recente, a empresa registrou receita de R$ 16,6 bilhões, um salto de 27,8% na comparação anual, apoiado pela maior venda de cerveja.

O custo dos produtos vendidos aumentou 35,3% em um ano e as despesas com vendas, gerais e administrativas avançaram 13,9%. O movimento teve influência da taxa de câmbio, preço maior das commodities e provisões com remuneração variável.

O lucro líquido da Ambev nos primeiros três meses de 2021 foi de R$ 2,7 bilhões, mais que o dobro do reportado no mesmo período do ano passado. Na bolsa, a empresa acumula alta de 28% nos últimos 12 meses.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

RAIO-X DO ORÇAMENTO

Fundo eleitoral, emendas do relator e reajuste dos servidores: 3 pontos do Orçamento para 2022 que mexem com a bolsa esta semana

Entre emendas parlamentares superavitárias e reajuste dos policiais federais, o Orçamento deve ser publicado no Diário Oficial na segunda-feira (24)

PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Tesouro pode perder até R$ 240 bilhões com PEC dos Combustíveis e inflação pode ir para 1% — mas gasolina ficará só R$ 0,20 mais barata; confira análise

Se todos os estados aderirem à desoneração, a perda seria de cifras bilionárias aos cofres públicos, de acordo com a XP Investimentos

Seu Dinheiro no Sábado

E a bolsa ainda pulsa: os grandões do Ibovespa brilham e puxam o índice — mas e as demais empresas?

Além do ciclo aquecido das commodities e da entrada de recursos estrangeiros, também vale lembrar o desconto nos ativos domésticos

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) aprofunda queda da semana e é negociado aos US$ 35 mil hoje pela primeira vez em seis meses; criptomoeda já caiu 17% em sete dias

Especialista dá dicas de como sobreviver ao momento de “sangria” do mercado de criptomoedas — e o que não fazer no desespero

Dê o play!

A bolsa ainda pulsa, mas será um último suspiro? O podcast Touros e Ursos discute o cenário para o Ibovespa

No programa desta semana, a equipe do Seu Dinheiro discute o cenário para o Ibovespa e os motivos que fazem a bolsa brasileira subir

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies