Menu
2021-06-04T06:15:07-03:00
Estadão Conteúdo
Crise hídrica

“Não se tem notícia de quando é que passamos tanto tempo sem chover no Brasil”, diz Bolsonaro

Ao comentar a crise, o presidente colocou como alternativas para lidar com o problema energético do País a utilização de tetos solares e outras formas de armazenar energia

4 de junho de 2021
6:15
Bolsonaro
Imagem: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 3, em transmissão nas suas redes sociais, que o País vive a maior crise hidrológica de sua história. "Não se tem notícia de quando é que passamos tanto tempo sem chover no Brasil", afirmou o presidente.

Ao comentar a crise, o presidente colocou como alternativas para lidar com o problema energético do País a utilização de tetos solares e outras formas de armazenar energia. "O Brasil tem um potencial enorme", afirmou o presidente, defendendo que o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, tem trabalhado na busca de soluções para a área.

Ao citar Pontes, Bolsonaro também afirmou que o ministro tem trabalhado "na vacina brasileira", citando o acordo para transferência de tecnologia assinado nesta terça-feira com a AstraZeneca.

"Daqui a poucos meses estaremos produzindo em todas as suas etapas a vacina contra o covid", afirmou o presidente, citando o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello como um dos responsáveis pelas tratativas que começaram o acordo com a farmacêutica.

Bolsonaro voltou a defender o ex-ministro da Saúde, afirmando que sua saída se deu porque Pazuello chegou "no limite" dele, sendo necessário colocar alguém "mais técnico" para assumir a Pasta.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Insights Assimétricos

Preparado para a Super Quarta? O que você precisa saber antes das decisões do Fed e do Copom sobre juros

Um ajuste dos juros, mantendo-os ainda abaixo do neutro (entre 5,5% e 6,5%), seria salutar. Uma alta para além disso, contudo, poderá comprometer a retomada brasileira

Caçadores de tendências

Itaú Asset lança mais 3 ETFs com foco em inovação nas áreas de saúde, tecnologia e consumo dos millennials

Gestora do Itaú agora aposta em índices de empresas globais ligadas a tendências de consumo que estão mudando a sociedade

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

As ações das novas petroleiras valem a pena?

Nos recentes movimentos de rotação de carteiras nos mercados, temos nos deparado com a dicotomia Velha Economia (empresas de segmentos tradicionais) e Nova Economia (empresas ligadas à tecnologia e novas formas de consumo). Dentro do que se convencionou chamar de Velha Economia, temos visto o destaque das empresas de commodities, justamente o forte do Brasil. […]

Problemas no paraíso

Cesp, Engie, AES Brasil e mais: seca reduz brilho de ações do setor de geração hídrica

Com menos água, as empresas geram menos em hidrelétricas, mas não ficam livres de cumprir os contratos de fornecimento de energia

Jabuti do bem?

MP da Eletrobras: contratação de térmicas a gás pode diminuir conta de luz, diz estudo da Abegás

A medida vem sendo criticada pela maioria das elétricas, que alegam que ela vai na contramão da modernização e competitividade do setor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies