Menu
2021-06-10T19:48:02-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

‘Profecia’ do Fed se confirma e inflação americana aquecida não assusta os mercados, mas Ibovespa tem instabilidade

A bolsa e o câmbio tiveram mais um dia de movimentos tímidos. O Ibovespa subiu 0,13%, aos 130.036, enquanto o dólar recuou apenas 0,07%, a R$ 5,06

10 de junho de 2021
18:37 - atualizado às 19:48
Bola de cristal
Imagem: Shutterstock

Nos últimos meses, a alta do rendimento dos títulos do Tesouro americano desafiou as projeções do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos. 

Enquanto o mercado pressionava a curva de juros, apostando que o BC americano precisará elevar a taxa básica antes de 2023, o Fed seguiu ‘profetizando’ um cenário de pressão temporária para a inflação, mas uma atividade econômica ainda frágil e longe de atingir o pleno emprego. 

Ao longo do tempo, o mercado não fez muita questão de esconder as ressalvas com o discurso, mas agora pode estar perto de ter que dar o braço a torcer. A inflação de fato pressiona o Federal Reserve, superando o centro da meta, mas os sinais mistos da atividade seguem exatamente o roteiro previsto pela instituição. 

A trajetória dos mercados hoje, inclusive, poderia ter sido muito diferente se o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) e os dados semanais de pedidos de auxílio-desemprego não tivessem sido divulgados no mesmo dia. 

Principal divulgação econômica da semana, o CPI avançou 0,6%, acima dos 0,4% projetados pelo mercado. Em um primeiro momento, a inflação acima das projeções assustou, mas foi acompanhada de um balde de água fria. Os pedidos de auxílio-desemprego na semana foram de 376 mil novos pedidos, o nível mais baixo em quase 15 meses, mas bem acima da expectativa do mercado, confirmando o que já havia sido sinalizado no payroll divulgado na última sexta-feira (10). 

“Com uma inflação maior, é de se esperar que a economia esteja com um crescimento forte e que isso reflita em dados de varejo, serviços e emprego, mas esses números não acompanham as expectativas de mercado”, aponta o economista da CM Capital Alexandre Almeida. 

Na prática, isso significa que o discurso do Fed de que a inflação é temporária e setores da economia ainda se encontram fragilizados é confirmado, aliviando o temor de um aumento da taxa de juros já nas próximas reuniões. Para o economista, mudanças nos juros só devem ser vistas no segundo semestre do ano que vem, mas a remoção de outros estímulos pode acontecer já nas próximas decisões.  

Colou?

Por ora, os investidores receberam bem a notícia. O retorno dos Tresuries caiu e as bolsas americanas aproveitaram para alcançar novas máximas. O S&P 500 renovou suas máximas ao subir 0,47%. O Dow Jones e o Nasdaq avançaram, respectivamente, 0,06% e 0,78%.

Mesmo com as bolsas americanas no azul durante todo o dia, o Ibovespa custou a conseguir acompanhar o movimento e chegou a recuar 0,30% no pior momento do dia. No fim da sessão, o principal índice da bolsa brasileira fechou em mais um dia de leve alta, subindo 0,13%, aos 130.036 pontos.

Alta volatilidade também no dólar. A moeda americana passou a maior parte do dia oscilando entre perdas e ganhos, até fechar o dia em leve queda de 0,07%, a R$ 5,0658.

De olho no BC

Lá fora o temor de um aumento nos juros pode até ter sido amenizado, mas por aqui o mercado segue acreditando que a alta da inflação local deve pressionar o Banco Central a elevar ainda mais a taxa Selic. Ontem, o IPCA mostrou uma aceleração acima do esperado, acumulando uma alta superior a 8% nos últimos 12 meses. O reflexo disso é que os principais contratos de DI tiveram mais um dia de alta expressiva em todos os vencimentos. Confira os números de fechamento:

  • Janeiro/2022: de 5,22% para 5,30%
  • Janeiro/2023: de 6,81% para 6,92%
  • Janeiro/2025: de 7,84% para 7,94%
  • Janeiro/2027: de 8,33% para 8,42%

Sobe e desce

A Embraer liderou as altas do dia após a companhia ter anunciado que está em negociações com a Zanite para uma possível combinação de negócios da sua subsidiária responsável por projetos de mobilidade urbana, a Eve. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
EMBR3Embraer ONR$ 20,0015,61%
LWSA3Locaweb ONR$ 26,035,60%
BRKM5Braskem PNAR$ 59,464,26%
CRFB3Carrefour Brasil ONR$ 23,593,24%
BTOW3B2W ONR$ 68,122,99%

Ainda pesando os efeitos da inflação mais alta e a possibilidade de juros mais elevados, os setores de varejo e de construção seguiram recuando. A maior alta do dia ficou com os papéis da Gol, após valorização expressiva nos últimos dias. Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
GOLL4Gol PNR$ 26,25-4,37%
VVAR3Via Varejo ONR$ 14,56-3,45%
BRDT3BR Distribuidora ONR$ 26,78-3,11%
B3SA3B3 ONR$ 16,00-2,44%
CYRE3Cyrela ONR$ 24,95-2,42%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

ESTRADA DO FUTURO

Duas (e mais duas) formas de ganhar dinheiro com ações tech

Existe um elemento em comum entre as big tech que as fizeram crescer tanto nas últimas duas décadas. Será que você acerta qual é?

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies