Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-20T12:00:27-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Gigante asiático X gigante cripto

Seis meses depois de a China proibir mineração de bitcoins (BTC), como está o preço da criptomoeda hoje?

A sequência de medidas que fecharam o cerco contra a mineração de bitcoin fez a cotação da criptomoeda tocar o patamar de US$ 29 mil, zerando os ganhos do ano

19 de agosto de 2021
12:10 - atualizado às 12:00
bitcoin, china
Imagem: Shutterstock

O bitcoin (BTC) operava em alta de 0,05% na manhã desta quinta-feira (19), aos US$ 45.397,53 (R$ 246.157,45). No acumulado dos últimos sete dias, a criptomoeda recuava 2,95%.

Ontem, dia 18 de agosto, as restrições e proibições da China à mineração de criptomoedas completaram seis meses. A data foi marcada por mais uma notícia relacionada à cruzada do governo chinês ao mercado cripto, desta vez vinda da província de Shenzhen, no sudoeste do país, região conhecida por ser um centro de inovação e tecnologia.

A filial de Shenzhen do Banco Popular da China (PBoC) passou a adotar uma abordagem mais rígida para atividades ilegais relacionadas a criptomoedas. De acordo com o documento da autoridade monetária da província chinesa, 11 empresas suspeitas foram “retificadas” para se adequarem às novas regras. 

O documento não explicita o nome nem as sanções tomadas pelo governo de Shenzhen como punição para as empresas. Também não foram divulgados maiores dados sobre punições aos envolvidos. 

Seis meses depois

O bitcoin (BTC) chegou a uma valorização astronômica em maio deste ano. A cotação da criptomoeda saiu de US$ 29 mil em janeiro para quase US$ 65 mil em cinco meses, um retorno de mais de 124%

Mas havia uma China no meio do caminho, no meio do caminho, havia uma China. 

A sequência de medidas que fecharam o cerco contra a mineração de bitcoin fez a cotação da criptomoeda tocar o patamar de US$ 29 mil, zerando os ganhos do ano.

Com a normalização do mercado, a principal moeda digital do mundo voltou a atingir os US$ 45 mil, um retorno acumulado de pouco mais de 55% em 2021 até o momento

Não deixe de conferir o nosso canal do YouTube:

Relembre: quando começaram as proibições da China

18 de maio: China proíbe bancos e empresas de pagamento de oferecerem serviços em criptomoedas

Em comunicado, órgãos governamentais alertaram os investidores sobre perigos envolvendo transações em cripto. A informação é da Reuters Internacional.

Essa notícia foi recebida com pouca surpresa pelos investidores. Na prática, a China já havia proibido exchanges de criptomoedas e ofertas iniciais de moeda (ICOs, na sigla em inglês). Entretanto, a nova regra proibia indivíduos de possuírem criptomoedas.

21 de maio: China fecha o cerco para mineração de bitcoins e criptomoeda cai mais de 10%

Essa foi a primeira vez que o alto escalão do gigante asiático faz uma menção direta à mineração. Naquele momento, a China era o país que mais contribuía com o hashrate de mineração do bitcoin. Assim, as novas restrições afetaram bastante as cotações da criptomoeda (clique aqui e saiba mais sobre mineração de bitcoins).

25 de maio: Região da China publica 8 medidas para combater a mineração de bitcoin

A região da Mongólia Interior (norte da China) propôs oito regras para controlar a mineração de bitcoins. A província autônoma era responsável pela maior parte do hashrate de mineração da China.

10 de junho: China prende 1.100 pessoas suspeitas de lavagem de dinheiro com bitcoin

As investigações englobaram 23 províncias e visavam 170 grupos criminosos que aplicavam golpes envolvendo fraudes online e por telefone. Autoridades do Ministério de Segurança Pública do país afirmaram que os criminosos faziam transações entre criptomoedas para ocultar seu rastro. Foram presas 1.100 pessoas. 

11 de junho: Mais uma província da China proíbe mineração de bitcoin; ao todo, quatro distritos já baniram atividade

As autoridades chinesas da província de Iunã (Yunnan), no sudoeste da China, afirmaram que iriam banir atividades de mineração de bitcoins. Com isso, a região se juntou à Mongólia Interior, Xinjiang e Qinghai como distritos que proibiram a atividade no país asiático. 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

Uma tarde de soluços nos mercados

O preço dos combustíveis, um dos grandes vilões da elevada inflação brasileira, não dá sinais de enfraquecimento. Muito pelo contrário: a passagem do furacão Ida pelo Golfo do México deve seguir impactando a oferta de petróleo por mais alguns meses, o que traz reflexos diretos ao preço da commodity. O Brent fechou em alta pela […]

menos méliuz

Méliuz (CASH3): Truxt reduz participação na companhia

Negociações têm por objetivo investimento e não visam alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da empresa

atenção acionista

Dividendos: Multiplan (MULT3) paga R$ 270 milhões em juros sobre capital próprio

Empresa vai considerar os acionistas inscritos nos registros da companhia no dia 28 de dezembro, dado que as ações de emissão da companhia passaram a ser negociadas “ex juros” a partir de 29 de dezembro

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras dá susto, mas commodities garantem o avanço do Ibovespa; dólar sobe a R$ 5,37

A convovação de uma coletiva de última hora assustou os investidores, mas o Ibovespa retomou o ritmo de alta após a estatal confirmar que não irá mexr nos preços.

acesso bloqueado

Vale (VALE3) faz operação para resgatar 39 funcionários presos em mina no Canadá

De acordo com a empresa, na tarde de domingo (26), uma pá escavadeira que estava sendo transportada no acesso à mina subterrânea se desprendeu, bloqueando o shaft e, com isso, impedindo o meio de transporte dos empregados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies