Menu
2020-11-27T12:56:48-03:00
Estadão Conteúdo
mal entendido

Guedes nega atritos com o presidente do Banco Central

Na quinta-feira à noite, quando falava sobre a aprovação da Lei de Falências, Guedes ficou irritado com uma pergunta sobre perda de credibilidade pelo mercado financeiro e as críticas de que não tem plano para a economia

27 de novembro de 2020
12:56
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência na CAE.
Imagem: Pedro França/Agência Senado

O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, conversaram por telefone na manhã de ontem depois de Guedes questionar plano de Campos Neto para recuperar a credibilidade dos investidores quanto à sustentabilidade das contas públicas. "Não existe eu no Ministério Economia e Campos Neto não estar no BC", disse Guedes ao Estadão. Segundo Guedes, Campos Neto deixou claro que estava pedindo apoio ao programa de reformas fiscais já apresentado pelo governo ao Congresso.

"Ele (Campos Neto) deixou claro para mim o que eu já sabia: que estava tentando ajudar e pedindo apoio para aprovar o plano fiscal que está lá no Congresso", disse Guedes. O ministro disse que tem "imenso apreço pessoal" e "enorme admiração" pelo presidente do BC. Afirmou ainda que tem "zero" descontentamento com Campos Neto e que ele está fazendo um "belíssimo" trabalho no comando do BC.

Na quinta-feira à noite, quando falava sobre a aprovação da Lei de Falências, Guedes ficou irritado com uma pergunta sobre perda de credibilidade pelo mercado financeiro e as críticas de que não tem plano para a economia. Nesse momento, foi questionado sobre uma fala de Campos Neto horas antes, na qual o presidente do BC dizia que o ponto-chave é conquistar credibilidade com um plano que dê uma clara percepção aos investidores de que o País está preocupado com a trajetória da dívida. "O presidente Campos Neto sabe qual é o plano. Se ele tiver um plano melhor, peça a ele qual é o plano dele. Pergunte a ele qual é o plano dele que vai recuperar a credibilidade. Porque o plano nós sabemos qual é. O plano nós já temos", criticou Guedes na ocasião.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

fique de olho

Itaú anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Serão R$ 0,05648 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte; pagamento é uma antecipação aos aos dividendos e JPC do resultado de 2021

mudanças na estatal

Conselheiro recém-eleito da Petrobras renuncia

Marcelo Gasparino da Silva foi eleito no último dia 12; executivo indica medida como “irrevogável”

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies