ESTÁ CHEGANDO A HORA: CONHEÇA AS 5 CRIPTOS QUE PODEM ‘EXPLODIR’ EM BREVE – CLIQUE AQUI

Cotações por TradingView
2022-01-26T08:06:25-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas buscam recuperação no exterior em dia de decisão do Fed e balanços; Ibovespa tenta manter boa fase de olho no IPCA-15

O Ibovespa conseguiu recuperar o patamar dos 110 mil pontos e a entrada do país na Organização pode acelerar a reforma tributária

Renan Sousa
Renan Sousa
26 de janeiro de 2022
7:53 - atualizado às 8:06
Federal Reserve movimenta as bolsas
Confira o que movimenta a bolsa brasileira hoje (26). Imagem: Divulgação

O primeiro feriado do ano com pregão foi motivo de festa para os investidores locais. Mesmo com São Paulo, a casa da B3, em ritmo de descanso, o Ibovespa esqueceu da tensão antes da decisão monetária do Federal Reserve e aproveitou para remar o seu barquinho em direção aos 110 mil pontos

Mesmo pressionado por mais um dia negativo em Nova York, o índice seguiu pelo caminho oposto ao da segunda-feira (24) e encerrou o pregão no melhor nível desde outubro de 2021, com alta de 2,10%, aos 110.203 pontos.

O dólar à vista também continuou sua trajetória de alta na abertura, mas logo virou para queda, e fechou o dia em recuo de 1,24%, a R$ 5,435, puxando para baixo as ações de exportadoras brasileiras.

E o Banco Central americano não parece assustar os investidores pela manhã, com a maioria das bolsas em alta, na contramão de uma sessão de perdas da última terça-feira (25).

Para compor o cenário externo, os balanços do dia incluem  AT&T e Boeing antes da abertura do pregão lá fora e Tesla, Intel e Whirlpool, após o fechamento. 

No cenário local, os investidores devem reagir à possível entrada do Brasil na OCDE. Entre outras coisas, as exigências de uma simplificação do sistema tributário devem pressionar o andamento da reforma no Congresso

A cereja do bolo vai para a divulgação da prévia da inflação, medida pelo IPCA-15 e divulgada pelo IBGE na manhã de hoje. 

Confira o que movimenta o pregão desta quarta-feira:

Brasil e OCDE

O governo brasileiro se comprometeu com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) a zerar a alíquota do IOF até 2029.

Tanto o governo federal quanto a OCDE acreditam que a redução será suavizada ao longo do período, mesmo que a renúncia fiscal acumulada até 2029 seja de R$ 7 bilhões, segundo cálculos da Receita Federal.

A OCDE aprovou a abertura do processo de adesão à entidade para seis países: Brasil, Argentina, Peru, Croácia, Bulgária e Romênia. Com isso, os candidatos poderão começar oficialmente o processo de adesão, que costuma demorar de três a quatro anos.

Os trâmites, no caso brasileiro, serão mais céleres porque o país é o mais avançado entre os candidatos — aderiu a 103 dos 215 instrumentos da organização até o momento.

IOF na faca

O início da redução do imposto deve começar ainda este ano, com a diminuição da taxa de 6% para 0% nas captações de empréstimos de médio prazo até 180 dias

Em seguida, as transações cambiais relativas a cartões de crédito ou débito, cheques de viagem e cartões pré-pagos internacionais iniciam a redução do imposto em 2023 com escalonamento até 2027.

Na continuidade dos cortes, a aquisição em moeda estrangeira no Brasil para contas no exterior, a alíquota permanece a mesma até 2027 e será zerada em 2028

Por fim, as demais operações de câmbio permanecerão com o IOF em 0,38% até 2028 e serão zeradas no ano seguinte. 

IPCA-15

No panorama doméstico, o investidor permanece de olho nos números do IPCA-15, considerado uma prévia da inflação oficial. 

De acordo com as projeções dos especialistas ouvidos pelo Broadcast, a mediana das expectativas é de um avanço de 0,45% na comparação com dezembro do ano passado e, na base anual, alta de 10,06%.

Relatório da dívida e pano de financiamento

Por último, para fechar a agenda do dia, ainda hoje o Tesouro Nacional divulgará o Relatório Mensal da Dívida Pública (RMD) de dezembro e o Plano Anual de Financiamento (PAF) para 2022. 

Federal Reserve

O último dia da reunião do Fomc, o Copom americano, termina na tarde de hoje. A expectativa é de que o Federal Reserve, o Banco Central dos EUA, mantenha a taxa de juros entre 0% e 0,25%. 

Mas o foco não é a reunião de hoje, mas a de março, quando está prevista a primeira alta dos juros americanos. Além disso, o Fed deve comunicar o processo de normalização monetária, com a retirada dos estímulos da economia, movimento conhecido como tapering.

A torneira de dinheiro que o BC americano abriu para conter os impactos da pandemia na economia dos EUA também deve ser fechada em março para conter a alta nos preços. 

Em seguida, a tradicional coletiva de imprensa do presidente da instituição, Jerome Powell, dará o tom das próximas reuniões. 

Mais agenda 

Por fim, os balanços do dia nos Estados Unidos devem compor o panorama internacional. Hoje, AT&T e Boeing divulgam seus resultados do último trimestre antes da abertura do pregão lá fora e Tesla, Intel e Whirlpool o fazem após o fechamento. 

Bolsas pelo mundo

A tensão geopolítica entre Rússia e Ucrânia pressionou o fechamento na Ásia. Os principais índices da região fecharam sem direção definida antes da decisão de política monetária do Fed. 

Na Europa, o dia é de recuperação, com os principais índices em alta, também de olho na tarde desta quarta-feira com a decisão do BC americano. 

Por fim, os futuros de Nova York apontam para uma abertura em campo positivo, após as perdas da última terça-feira. 

Agenda do dia 

  • IBGE: IPCA-15 de janeiro (9h)
  • Banco Central: Nota do setor externo, conta corrente e investimentos diretos no país (IDP) em dezembro (9h30)
  • Tesouro Nacional: Relatório Mensal da Dívida Pública (RMD) de dezembro e Plano Anual de Financiamento (PAF) de 2022 (14h30)
  • Tesouro Nacional: Secretário do Tesouro, Paulo Valle, e subsecretário da Dívida Pública, Otávio Ladeira, participam de coletiva sobre RMD e PAF (15h)
  • Estados Unidos: Fed divulga a decisão de política monetária (16h)
  • Estados Unidos: Coletiva com o presidente do Fed, Jerome Powell (16h30)
  • China: Lucro da Indústria em dezembro (22h30)

Balanços

Antes da abertura:

  • Estados Unidos: AT&T
  • Estados Unidos: Boeing

Após o fechamento

  • Estados Unidos: Tesla
  • Estados Unidos: Intel
  • Estados Unidos: Whirlpool

Compartilhe

SOBE MAIS UM POUQUINHO?

Campos Neto estragou a festa do mercado e mexeu com as apostas para a próxima reunião do Copom. Veja o que os investidores esperam para a Selic agora

15 de setembro de 2022 - 12:41

Os investidores já se preparavam para celebrar o fim do ciclo de ajuste de alta da Selic, mas o presidente do Banco Central parece ter trazido o mercado de volta à realidade

PREVISÕES PARA O COPOM

Um dos maiores especialistas em inflação do país diz que não há motivos para o Banco Central elevar a taxa Selic em setembro; entenda

10 de setembro de 2022 - 16:42

Heron do Carmo, economista e professor da FEA-USP, prevê que o IPCA registrará a terceira deflação consecutiva em setembro

OUTRA FACE

O que acontece com as notas de libras com a imagem de Elizabeth II após a morte da rainha?

9 de setembro de 2022 - 10:51

De acordo com o Banco da Inglaterra (BoE), as cédulas atuais de libras com a imagem de Elizabeth II seguirão tendo valor legal

GREVE ATRASOU PLANEJAMENTO

Banco Central inicia trabalhos de laboratório do real digital; veja quando a criptomoeda brasileira deve estar disponível para uso

8 de setembro de 2022 - 16:28

Essa etapa do processo visa identificar características fundamentais de uma infraestrutura para a moeda digital e deve durar quatro meses

FAZ O PIX GRINGO

Copia mas não faz igual: Por que o BC dos Estados Unidos quer lançar um “Pix americano” e atrelar sistema a uma criptomoeda

30 de agosto de 2022 - 12:08

Apesar do rali do dia, o otimismo com as criptomoedas não deve se estender muito: o cenário macroeconômico continua ruim para o mercado

AMIGO DE CRIPTO

Com real digital do Banco Central, bancos poderão emitir criptomoeda para evitar “corrosão” de balanços, diz Campos Neto

12 de agosto de 2022 - 12:43

O presidente da CVM, João Pedro Nascimento, ainda afirmou que a comissão será rigorosa com crimes no setor: “ fraude não se regula, se pune”

AGORA VAI!

O real digital vem aí: saiba quando os testes vão começar e quanto tempo vai durar

10 de agosto de 2022 - 19:57

Originalmente, o laboratório do real digital estava previsto para começar no fim de março e acabar no final de julho, mas o BC decidiu suspender o cronograma devido à greve dos servidores

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

O ciclo de alta da Selic está perto do fim – e existe um título com o qual é difícil perder dinheiro mesmo se o juro começar a cair

2 de agosto de 2022 - 5:58

Quando o juro cair, o investidor ganha porque a curva arrefeceu; se não, a inflação vai ser alta o bastante para mais do que compensar novas altas

PRATA E CUPRONÍQUEL

Banco Central lança moedas em comemoração ao do bicentenário da independência; valores podem chegar a R$ 420

26 de julho de 2022 - 16:10

As moedas possuem valor de face de 2 e 5 reais, mas como são itens colecionáveis não têm equivalência com o dinheiro do dia a dia

AGRADANDO A CLIENTELA

Nubank (NUBR33) supera ‘bancões’ e tem um dos menores números de reclamações do ranking do Banco Central; C6 Bank lidera índice de queixas

21 de julho de 2022 - 16:43

O banco digital só perde para a Midway, conta digital da Riachuelo, no índice calculado pelo BC

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies