Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-10-16T16:53:54-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Prévia dos balanços

Foi dada a largada! Weg e Hypera divulgam resultados do terceiro trimestre; saiba o que esperar

Os balanços do terceiro trimestre devem mostrar a força das empresas para a retomada pós-pandemia. Nesta semana, Weg e Hypera são os destaques

19 de outubro de 2020
5:55 - atualizado às 16:53
weg, hypera pharma, balanços
Imagem: Montagem Andrei Moraes/ Seu Dinheiro

Você piscou e entramos mais uma vez na temporada de balanços. Depois dos resultados sangrentos do segundo trimestre, refletindo o pior momento da crise do coronavírus, os números do terceiro trimestre devem dar uma dimensão maior sobre a capacidade de recuperação do mercado brasileiro.

Quais serão os setores e empresas vencedoras desse período tão delicado? Isso a gente só vai descobrir no meio de novembro, quando todas as empresas já tiverem divulgado os seus resultados, mas temos um mês inteirinho que promete ser de altas emoções para o mercado. 

A largada foi dada pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), na última quinta-feira. Ainda estamos aquecendo os motores. Nesta semana, outras duas empresas do Ibovespa irão divulgar os seus resultados: Hypera (HYPE3) e Weg (WEGE3)

Até o fim do período de divulgação, você pode acompanhar os principais resultados e saber o que esperar dos números das empresas do Ibovespa com a equipe do Seu Dinheiro. Ninguém gosta de ser pego desprevenido, não é mesmo?

Confira o calendário completo e as expectativas do mercado para Weg e Hypera, empresas que são os destaques da semana e que divulgam os seus resultados na quarta-feira e sexta-feira, respectivamente.

  • Quarta-feira (21)
    • Weg (WEGE3) - antes da abertura
  • Sexta-feira (23)
    • Hypera (HYPE3) - após o fechamento

Weg - Sem tempo ruim

Não há como negar: a Weg (WEGE3) é uma das empresas que saem como vencedoras da crise do coronavírus. Enquanto o Ibovespa acumula queda superior a 14% no ano, a fabricante de equipamentos para indústria registra uma valorização superior a 130% desde janeiro. Nada mal para um ano marcado por uma pandemia e uma crise em escala global...

O ganho fenomenal de valor de mercado fez da Weg uma verdadeira fábrica de bilionários. No segundo trimestre, que compreendeu o primeiro período totalmente afetado pela crise do coronavírus, a Weg foi na contramão dos balanços vermelhos do último trimestre e divulgou um resultado sólido e forte que agradou e muito o mercado. 

Aliás, solidez tem sido uma das principais características da companhia nos últimos anos — o que levou a uma expansão de lucro e receita mesmo no turbulento momento em que vivemos.

Enquanto muitas empresas viram o resultado virar pó, a Weg teve um lucro líquido de R$ 514,375 milhões no 2º trimestre, crescimento de 32,2% com relação ao ano passado. A receita líquida foi a R$ 4,063 bilhões, alta de 23,7% na mesma base de comparação. O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) também teve uma alta expressiva de 36,3%, indo a R$ 732,2 milhões.

Para as analistas do Itaú BBA, a Weg deve continuar surpreendendo e pode ser um dos principais destaques do setor de bens de capital. Em relatório recente, a instituição projetou uma receita trimestral recorde, com alta de 33%, avanço de 42,9% no Ebitda e 37,6% superior ao valor registrado no terceiro trimestre de 2019. 

As estimativas otimistas se baseiam nos resultados e justificativas apresentados no segundo trimestre — e, claro, na solidez demonstrada frente aos desafios. Na ocasião, a empresa informou que o maior impacto da pandemia nas suas operações foi na queda de demanda por equipamentos de ciclo curto — como motores comerciais e Appliance, tintas e vernizes e motores industriais.

Agora, a expectativa é de que a Weg consiga manter uma boa posição com os produtos de ciclo longo, mostrando resiliência no Brasil e também no mercado internacional. Além disso, os analistas do banco esperam que a empresa seja positivamente afetada pelo câmbio e ajustes operacionais eficazes da gestão. 

A Weg divulga o seu resultado na próxima quarta-feira (20), antes da abertura do mercado. Confira as estimativas do mercado, segundo os dados da Bloomberg.

Projeções para o resultado:

  • Receita líquida: R$ 3,479 bilhões (↑22%)
  • Ebitda: R$ 569 milhões (↑26%)
  • Lucro: R$ 386 milhões (↑32%)

Hypera - Consolidação

Mesmo com a pandemia no radar, a Hypera Pharma, maior empresa do ramo farmacêutico do país, tem tido um ano bem agitado.

Com um portfólio variado de marcas, a companhia tem investido pesado para se firmar como a maior do seu setor, protagonizando aquisições relevantes, principalmente no que diz respeito a medicamentos OTC (sem obrigatoriedade de prescrição médica).

Em 2020, a companhia anunciou a compra de marcas importantes para enriquecer o seu portfólio, incluindo produtos da família Neosaldina e Dramin.

Mais recentemente, a Hypera concluiu a aquisição das marcas Buscopan e Buscofem, da alemã Boehringer Ingelheim - e estampou os cadernos esportivos ao anunciar um acordo de R$ 300 milhões para obter os naming rights da Arena Corinthians.

Mesmo diante do cenário de incerteza trazido pela pandemia do coronavírus, a visão dos analistas é que a companhia tem conseguido navegar de forma satisfatória pela crise. 

No segundo trimestre, a Hypera foi fortemente beneficiada por um movimento que antecedeu as medidas de isolamento social: a corrida para as farmácias para o abastecimento de medicamentos isentos de prescrição médica.

Do lado negativo, com menos pessoas indo ao médico, a demanda por medicamentos caiu como um todo no varejo farmacêutico brasileiro. No entanto, desde o fim de maio a empresa já observava uma melhora do quadro, que deve ter se consolidado ao longo do terceiro trimestre, encerrado em setembro. 

No segundo trimestre, a Hypera Pharma registrou um crescimento de 7,9% na receita líquida, a R$ 1,05 bilhão. O lucro líquido foi de R$ 396,4 milhões (alta de 17,6% com relação ao mesmo período do ano anterior). 

Já levando em conta os possíveis impactos do coronavírus, a companhia reviu as suas projeções para 2020. A expectativa agora é que a Hypera tenha uma receita líquida de R$ 4 bilhões e um lucro líquido de cerca de R$ 1,3 bilhão. 

A Hypera Pharma divulga os seus resultados na próxima sexta-feira (23), após o fechamento do mercado. Confira as estimativas do mercado, segundo os dados da Bloomberg.

Projeções para o resultado:

  • Receita líquida: R$ 1,075 bilhão (↑6,54%)
  • Ebitda: R$ 333 milhões (↑11%)
  • Lucro líquido: R$ 296 milhões (↑10,86%)
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Gigante do petróleo

Por que a Chevron (CHVX34) prefere pagar dividendos a investir em energia solar e eólica

Apesar de não enxergar potencial em duas das escolhas mais óbvias quando se trata de energia renovável, a companhia está de olho em outras alternativas verdes

RISCO DE CALOTE

Evergrande suspende negociações de seus bônus corporativos na China

Decisão foi tomada depois de rebaixamento da nota de risco de crédito da megaincorporadora por agências chinesas de rating

pressão do congresso

Petrobras (PETR4) cai 3%, após Lira expor insatisfação com explicação sobre política de preços

Presidente da Câmara chamou atenção para o que chamou de valor “absurdo” do gás natural, destacado como um dos principais problemas que a estatal precisará esclarecer

Quem paga mais?

Hapvida (HAPV3) x SulAmérica (SULA11): a briga de gigantes por um pequeno grupo de saúde no interior de SP

A HB Saúde atua na porção norte/nordeste/noroeste de São Paulo, área rica do estado e que é bastante visada pelos grupos de saúde

DESTAQUE DO DIA

Minério de ferro despenca mais 8% e siderúrgicas e Vale acompanham queda

A redução da produção de aço vem trazendo seguidas perdas para o minério de ferro.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies