Menu
Robert Kiyosaki
Coluna do Pai Rico, Pai Pobre
Robert Kiyosaki
Robert Kiyosaki é autor do best seller Pai Rico, Pai Pobre e outros 25 livros sobre finanças
2020-01-27T09:07:46-03:00
COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Ter um emprego versus empreender

Veja como avaliar se é melhor ter um próprio negócio, ser autônomo ou arrumar um emprego.

25 de janeiro de 2020
3:30 - atualizado às 9:07
empreendedorismo
Imagem: Shutterstock

Muitas vezes ouço as pessoas dizerem: "Vou começar meu próprio negócio". Estamos vivendo a ascensão da "economia de contratos autônomos" e do empreendedorismo.

Aqui nos Estados Unidos, após o colapso do mercado em 2009, os profissionais desempregados começaram a trabalhar em posições de curto prazo por uma renda extra.

Desde então, essas atividades mais curtas e informais se tornaram uma opção de trabalho em período integral.

No geral, um componente-chave da economia de contratos é que seus trabalhadores são definidos “como aqueles que trabalham para si mesmos e prestam um serviço ou mão-de-obra sob denominações como freelancer, contratado independente, autônomo ou temporário.

A Amazon anunciou recentemente que pagaria seus funcionários para deixarem o emprego e iniciarem seus próprios negócios de entrega. Assim, incentivou os funcionários a ingressar na economia de contratos.

Alguns podem pensar: "Uau, a Amazon realmente deve se preocupar com seus funcionários". Mas a Amazon está tirando muito mais proveito dessa oferta do que seus funcionários.

A Amazon está numa guerra de entrega com o Walmart.

De acordo com um artigo no Yahoo! Finanças, “o Walmart acabou de aumentar as apostas nas guerras de envio com sua mais nova promessa — entrega gratuita no dia seguinte, sem taxa de assinatura pelo serviço”.

Além disso, “os clientes do Walmart.com podem acessar a possibilidade de entrega no dia seguinte, por meio de uma plataforma, onde podem buscar entre até 220.000 dos itens mais comprados, desde fraldas a produtos de limpeza, brinquedos e eletrônicos”.

É fácil perceber que se trata mais de acompanhar a concorrência do que de fazer "o bem".

“A expansão do programa faz parte do plano da empresa de ter mais controle sobre as entregas, no lugar de depender da UPS, dos correios e de outras transportadoras. Os custos iniciais para um funcionário da empresa abrir um negócio próprio começam em US$ 10.000, os contratados participantes podem alugar vans azuis com o logotipo da Amazon estampado na lateral”, de acordo com Joseph Pisani, da Associated Press.

Entrar nessa onda é uma boa ideia?

Costumo ouvir perguntas sobre se esses tipos de negócios são uma boa alternativa. A resposta, como sempre, é: "Depende".

Depende do que você está tentando alcançar. Se você deseja uma renda extra para aplicar em investimentos enquanto trabalha em período integral, pode ser ideal para você. Se, no entanto, você deseja ser dono de uma empresa, provavelmente não é.

A realidade é que aqueles que trabalham como autônomos não possuem um negócio. Em vez disso, eles têm um emprego. Os benefícios são piores do que aqueles que simplesmente trabalham em período integral.

O único benefício do trabalho autônomo é o controle sobre seu tempo…

Lembrando que você precisa trabalhar tanto que não sobra tempo de aproveitar.

De funcionário a autônomo

Muitas pessoas tendem a acreditar que o caminho para a segurança financeira e a felicidade é ser seu próprio chefe. Então, eu entendo as motivações daqueles que querem participar da era dos contratos autônomos. Parece que você está cuidando do que é seu.

Mas, na maioria dos casos, é simplesmente deixar de ser empregado e trabalhar por conta própria — passar do quadrante E para o quadrante A, o lado esquerdo do quadrante CASHFLOW®.

No quadrante A, você não está de fato tendo seu próprio negócio. Em vez disso, você está vendendo seu tempo e serviços para ajudar a estruturar alguém que é dono do próprio negócio.

O que é pior… o quadrante A é muito arriscado. Você não tem os benefícios tradicionais de que pelo menos os funcionários desfrutam e, quando chega a hora de cortar custos, os contratados são os primeiros afetados.

Habilidades comerciais tipo A versus tipo D

As empresas do tipo A e as empresas do tipo D têm diferentes forças, fraquezas, riscos e recompensas.

Muitas pessoas que desejam iniciar um negócio do tipo D acabam com um negócio do tipo A e ficam paralisadas em sua busca para passar para o lado direito do quadrante CASHFLOW — o D de grandes empresas e I de investidor.

Muitas pessoas tentam passar do quadrante A para o quadrante D, mas apenas algumas que tentam realmente conseguem.

Por quê? Porque as habilidades técnicas e pessoais necessárias para ter sucesso em cada quadrante são diferentes. Você deve aprender as habilidades e a mentalidade exigidas por um quadrante para encontrar o verdadeiro sucesso nele.

Se você possui uma empresa do tipo D, pode sair de férias por um ano, voltar e encontrar sua empresa mais lucrativa do que quando a deixou. Em uma empresa do tipo A, se você tirar férias de um ano, não terá mais negócios quando voltar.

Qual é a diferença?

Mais uma vez, em outras palavras, uma empresa do tipo A possui um emprego. Uma empresa do tipo D possui um sistema e, em seguida, contrata ótimos funcionários para operar esse sistema. É por isso que, se um proprietário de empresa do tipo D sair de férias, a renda permanece.

Para ter sucesso, um proprietário de empresa do tipo D precisa:

  • Ser dono e controlador de um sistema;
  • E ter capacidade de liderar pessoas.

Para os A evoluírem para os D, eles precisam converter quem são e o que sabem em um sistema, e muitas pessoas não conseguem fazer isso, especialmente os autônomos.

É muito difícil, por exemplo, deixar de ser motorista do Uber e ter seu próprio serviço que emprega outros motoristas. O Uber gastou bilhões construindo sistemas e estruturas para chegar a um negócio como esse.

No entanto, um exemplo no artigo da AP foi “Milton Collier, que trabalhava com fretes e iniciou seus negócios em Atlanta, nos EUA, há quase um ano. Desde então, cresceu para 120 funcionários com uma frota de 50 vans que podem realizar até 200 entregas em um dia”. Parece que ele está indo na direção certa.

De que lado do quadrante CASHFLOW® você deseja estar?

A verdade é que existem novas ideias ilimitadas, bilhões de pessoas com produtos e serviços a oferecer e poucas pessoas que sabem como construir um excelente sistema de negócios.

Se seu verdadeiro objetivo na vida é fazer o que tiver vontade e possuir um negócio próspero, comece a investir na construção de um sistema — talvez até um que possa fornecer trabalhos autônomos para outros, como Milton.

No final das contas, a pergunta é, como sempre: em que lado do quadrante CASHFLOW® você deseja estar?

Jogue com inteligência!

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

IR 2020

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

Flexibilização

Prefeitura de São Paulo assina protocolo para reabrir bares e salões de beleza

A cidade está na terceira etapa do plano de flexibilização da quarentena do governo estadual, chamada de fase amarela. Com os termos firmados, os estabelecimentos poderão voltar a funcionar na segunda-feira

Recuperação

Fundos imobiliários de tijolo subiram 6% em junho; FII de shoppings ainda caem 21% no ano

Fundos imobiliários de papel, por sua vez, valorizaram, em média, só 3% no mês passado, segundo indicadores calculados pelo Banco Inter

BNDES prorroga linha de crédito para pequena e média empresa, com mais R$ 5 bilhões

Linha para capital de giro será prorrogada até 31 de dezembro, com orçamento ampliado

Crise

Risco para investir volta a nível de 2016

Estrangeiro olha com desconfiança para o Brasil, por conta da crise do coronavírus e também pela taxa de juros nas mínimas históricas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu