Menu
Robert Kiyosaki
Coluna do Pai Rico, Pai Pobre
Robert Kiyosaki
Robert Kiyosaki é autor do best seller Pai Rico, Pai Pobre e outros 25 livros sobre finanças
2020-02-08T18:45:05-03:00
COLUNA DO PAI RICO PAI POBRE

Domine o surfe, domine os mercados

Quando as pessoas me perguntam como eu aprendi a cronometrar os mercados, eu simplesmente respondo: “Eu cresci surfando”. Assim como o mar, os mercados também são cheios de ondas. Elas podem quebrar em cima de você ou você pode aprender a surfar.

8 de fevereiro de 2020
5:53 - atualizado às 18:45
Surfista passa no meio de onda
Surfista entra no tubo - Imagem: Shutterstock

Quando estava no ensino médio, passava a maior parte do tempo surfando ou olhando pela janela da sala de aula, observando as ondas do oceano.

Todo surfista sabe que ondas gigantes chegam em grupos. Geralmente, grupos de três. Isso significa que quando ou se alguém perder as duas primeiras ondas, deve fazer a volta e avançar para o mar. A terceira onda gigante está a caminho.

Lembro-me nitidamente da maior onda que já surfei. Era inverno, época em que as ondas gigantes atingiam as margens do Havaí. Eu não deveria estar na água. Eu deveria estar de pé na praia com a multidão, que se reunia para assistir ao espetáculo. As ondas eram maiores do que minha capacidade de surfar, mas o ego me levou para a água e me manteve nela.

Nesse dia, ouvi um surfista muito afastado de mim gritar: "Saia!".

Isso significava que eu estava muito perto do centro, bem na zona de quebra da onda.

Imediatamente, virei minha prancha e remei freneticamente, esperando ficar “de fora”.

A primeira das ondas foi como uma montanha. Mal cheguei ao topo já vi a segunda montanha em direção à costa. Quando saí do topo da primeira onda, vi os surfistas “de fora” ainda remando. Eu sabia que a terceira onda gigante estava chegando. Eu sabia que tinha que pegar a segunda onda ou ser exterminado pela terceira.

Eu estava um pouco atrasado na minha investida na segunda onda. Eu estimo que foi um swell de 3,6 a 4,5 metros. Provavelmente chegou a 5,5 metros quando eu me levantei e “comecei a descida”.

Minhas pernas queriam parar enquanto eu corria à frente da onda se rompendo atrás de mim, mas de alguma forma eu mantive o equilíbrio, surfei a maior distância que pude, peguei minha prancha e corri o mais rápido possível até a praia, para sair do caminho da terceira onda que estava começando a explodir.

A visão de meus companheiros surfistas, escalando a superfície da terceira onda gigante, sem conseguir, com a crista do swell se formando para depois se quebrar, e a imagem de suas pranchas voando pelo ar está marcada em minha memória.

Surfe

Quando as pessoas me perguntam como eu aprendi a cronometrar os mercados, eu simplesmente respondo: "Eu cresci surfando".

O gráfico abaixo mostra as maiores ondas financeiras da história.

Observe os três picos. No jargão de operadores da bolsa, esse padrão de gráfico é conhecido como "três ondas".

O primeiro foi em 1998. O segundo foi em 2008. Quando veremos o terceiro?

Historicamente, o terceiro pico sinaliza o ponto de exaustão a longo prazo.

Muitas vezes, uma baixa acontece após o terceiro pico.

O Fed é o guardião da economia dos EUA e, como tal, regula as instituições financeiras do país. Antes de 1913, o Congresso foi aprovado e o Presidente Woodrow Wilson assinou a Lei da Reserva Federal de 1913. Na época, os Estados Unidos não tinham banco central. Hoje, o Fed tem a tarefa de gerenciar a política monetária dos EUA, regular os títulos dos bancos e monitorar o risco.

O Fed está tentando desesperadamente reanimar a economia dos EUA e, assim, a economia global – e está conseguindo, pelo menos por enquanto. Impedir que uma bolha de crédito mundial estoure é pedir demais do Fed, mas a verdade é que o destino da economia global será determinado pelo que o Fed fizer nos próximos meses e anos.

Alguns dos eventos mais notáveis do Fed durante a história:

  • No início dos anos 30, o Fed fracassou em sua missão original de impedir que o pânico financeiro se transformasse em crise econômica. Um terço de todos os bancos americanos faliu, e a economia entrou em uma depressão que se estendeu por uma década.
  • Em 1971, Nixon tirou o dólar do padrão ouro, afirmando que o dólar americano era respaldado pela "boa fé e confiança completas" do governo dos EUA.
  • Alan Greenspan resgatou a comunidade especuladora de maneira tão consistente após cada colapso do mercado que o público passou a acreditar que investir em ações e propriedades era um caminho garantido para a riqueza. Durante todo o tempo, ele defendeu a desregulamentação do setor financeiro e incentivou o desenvolvimento de uma indústria de derivativos de US$ 700 trilhões (em grande parte não regulamentada).
  • Durante a crise financeira de 2007, o Federal Reserve recebeu a maior atenção, enquanto seu papel na definição da política econômica se expandiu drasticamente. Entre outros, avaliei o Fed por sua política de Quantitative Easing (QE), que era uma política destinada a ajudar na recuperação, mas, em vez disso, aumentou os ativos do Fed para US$ 4,5 trilhões em 2017.

Minha suspeita é de que, entre 2019 e 2025, muitos apostadores amadores ricos de hoje possam se tornar os maiores perdedores de amanhã.

É por isso que educação financeira é tao importante. E é por isso que no meu programa de Renda Passiva Semanal eu ensino os brasileiros a gerarem renda no mercado financeiro mesmo nos momentos de queda ou recessão. Deixa eu explicar como faço isso.

Tremores iniciais e tremores secundários

Eu cresci na grande ilha do Havaí. O vulcão que criou a ilha ainda está em erupção hoje. Antes de cada erupção, existem "tremores iniciais", que são pequenos terremotos que alertam os moradores de que uma erupção ou terremoto gigante está a caminho. Após a erupção ou terremoto gigante, há tremores secundários.

Na data de redação deste artigo, o número de tremores está aumentando. A maioria dos norte-americanos está satisfeita porque o desemprego está baixo, os empregos são abundantes e os salários estão aumentando.

Muitos não percebem a crescente dívida e crise de direitos, os incêndios no mercado de títulos e no mercado de ações, os principais desastres ambientais que causarão o aumento das taxas de seguro, os hackers virtuais, uma guerra global contra o terrorismo sem fim e os líderes governamentais que trocam farpas e acusações, em vez de resolver nossos problemas nacionais e globais.

Como prever o futuro

A maioria dos consultores financeiros afirma que não se pode prever o futuro. Esses especialistas afirmam que você não pode escolher a parte superior ou inferior de um mercado. E como não é possível para você (ou para eles) prever o futuro, eles recomendam que você deixe seu dinheiro com eles a longo prazo.

Para a maioria das pessoas, este é um bom conselho. Mas para quem quer ficar rico, estar à frente do futuro é uma das melhores maneiras de acumular patrimônio.

A melhor maneira de prever o futuro é estudar o passado ou fazer prognósticos. Meu pai rico costumava me dizer: "Há uma diferença entre um adivinho e um prognóstico". Por isso ele me incentivou a levar o estudo da história a sério. Ao longo dos anos, li ótimos livros sobre história econômica que abriram minha mente para o mundo que enfrentamos hoje.

Embora eu não saiba quando o próximo colapso acontecerá — colapsos sempre acontecem — o próximo devastará os baby boomers. Será como uma avalanche.

Não se limite a aprender como reconhecer uma crise iminente, mas, mais importante, descubra como você pode ganhar dinheiro com ela. As maiores oportunidades de investimento ocorrem quando as coisas estão em seu pior estado.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Banco Central monta centro para acelerar a criação de fintechs

Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (LIFT) apoia startups financeiras a desenvolverem projetos ao lado de técnicos que elaboram as normas regulatórias do mercado brasileiro.

Funcionários da Petrobras

FNP diz que todas as plataformas do litoral paulista aderiram à greve dos petroleiros

Petrobras diz que não está havendo redução da produção por conta do movimento, mas coordenador da Federação Nacional dos Petroleiros diz que estatal “mente”.

Sucessão

Herdeiros do agronegócio aliam tradição a avanço tecnológico

Nova geração de empresários do campo estão assumindo os negócios da família e ganhando influência no meio do agronegócio; conheça algumas histórias

Entrevista

Para Deutsche Bank, política ambiental de Bolsonaro prejudica investimento estrangeiro no país

Para Deepak Puri, diretor da área de Wealth Management nas Américas do Deutsche Bank, mesmo assim Brasil deve registrar uma recuperação mais forte neste ano.

Ganhando terreno

Carrefour anuncia aquisição de 30 lojas do Makro por R$ 1,95 bilhão

O plano da varejista é converter as bandeiras das unidades para Atacadão dentro de até um ano após fechar a transação

AS LIÇÕES 'FIRE' DO BILIONÁRIO

O que você perguntaria a Warren Buffett?

Aos 89, o mago de Omaha tem muito a ensinar a quem procura dar um gás nos seus investimentos em busca da sua aposentadoria precoce

Risco de lascas de vidro

Heineken anuncia recall voluntário de lotes de long neck com problemas na garrafa

A empresa identificou alteração na embalagem que pode levar lasca de vidro a ser aberta

Após imbróglio com os russos

Fertilizantes Heringer homologa plano de recuperação judicial

Segundo Fato Relevante divulgado ontem pela companhia, o plano foi homologado pelo juízo da 2ª Vara Cível da Comarca de Paulínia

Impostos

Decreto para zerar tributo em querosene de aviação sai neste ano, diz Secretário

O governo vai editar um decreto para zerar, a partir de 2021, a incidência de PIS/Cofins sobre o combustível utilizado em aeronaves.

Entrevista

‘A grande vacina é a continuidade das reformas’, diz Ana Paula Vescovi, economista do Santander

Banco revisou para baixo previsão de crescimento para 2020, após indicadores fracos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu