Menu
2019-03-01T11:49:44-03:00
Vídeo

Sabia que a crise na Venezuela pode afetar os seus investimentos?

Dependendo do desfecho, crise no país vizinho pode ter efeito no Brasil não só do ponto de vista diplomático e humanitário, mas também no bolso dos investidores brasileiros

1 de março de 2019
11:26 - atualizado às 11:49

A atual crise na Venezuela afeta o Brasil do ponto de vista diplomático e humanitário. O país não reconhece mais Nicolás Maduro como presidente legítimo depois da interferência dele nas últimas eleições, assim como vários outros países. Para piorar, Maduro fechou a fronteira com o Brasil. Enquanto o vizinho passa por conflitos políticos e protestos, o Brasil tem recebido os imigrantes venezuelanos que buscam refúgio já há algum tempo, e agora tenta enviar também ajuda humanitária, rechaçada por Maduro.

Mas você sabia que, dependendo do desfecho, a crise na Venezuela pode acabar trazendo bons ventos para os seus investimentos? Se nossos vizinhos acabarem escolhendo um caminho mais democrático, isso não será bom apenas para eles, mas também para o Brasil. No vídeo a seguir, eu explico como:

Confira a seguir a transcrição do texto do vídeo sobre a crise na Venezuela

A Venezuela não é daqueles países que mexem com a economia mundial. Mas a atual crise do nosso vizinho impacta o Brasil de várias formas. Do ponto de vista humanitário e diplomático, a relação é bem clara. Os venezuelanos buscam ajuda por aqui, e o governo brasileiro tende a apoiar a democratização do país. Mas você sabia que o impacto pode chegar até nos seus investimentos? Crise na Venezuela: e eu com isso?

A Venezuela, como você deve saber, é um país riquíssimo em petróleo, com as maiores reservas provadas do planeta. E é em torno desse ouro negro que se dão as disputas políticas do país. Mas a bem da verdade, os venezuelanos nunca exploraram as suas riquezas naturais de um jeito lá muito eficiente. Mesmo antes do chavismo, a exploração do petróleo por multinacionais era bastante lesiva pro país. E depois que o governo estatizou a produção, a exploração passou a ser de monopólio de uma estatal mal administrada.

O maior problema é que a Venezuela não aproveitou a riqueza do petróleo pra diversificar a sua economia. Os gastos do governo chavista foram altos e mal direcionados. O país falhou em se industrializar e se tornou extremamente dependente de importações. Resultado: quando o preço do petróleo tava nas alturas, as coisas iam bem, mas era só a cotação cair, que a população passava a sofrer. Até papel higiênico sumiu das prateleiras, lembra?

Agora, o presidente Nicolás Maduro se depara com uma grave crise política e humanitária. Depois de Maduro ter perdido as últimas eleições e invalidado o pleito pra ganhar numa segunda rodada, o presidente da Assembleia Nacional se autoproclamou presidente interino, no que foi reconhecido por vários países. O imbróglio colocou em xeque a permanência de Maduro no poder.

E o que isso tudo tem a ver com você como investidor? Se a Venezuela superar essa crise tomando um caminho mais democrático, o país pode se abrir pra investimentos estrangeiros, inclusive de empresas brasileiras, que ainda têm capacidade ociosa. Pensa que a Venezuela é um país que precisa de praticamente tudo pra se reerguer, na indústria, no comércio e nos serviços. As oportunidades se abrem principalmente pra Petrobras e as construtoras.

Se você gostou do vídeo, se inscreve no nosso canal de YouTube e clica no sininho pra receber as notificações. E pode deixar as suas dúvidas e sugestões no campo de comentários.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

coronavírus

Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac

Segundo o governador de São Paulo, previsão é de que haja 46 milhões de doses até dezembro

o app dos jovens

TikTok banido dos EUA? Entenda a polêmica em torno do aplicativo

Trump prometeu tirar o aplicativo chinês do país neste domingo, mas medida não deve ser colocada em prática; entenda as razões por trás da ofensiva americana

entrevista

‘Não se pode esperar para cortar privilégio’, diz ex-secretário do Ministério da Economia

Paulo Uebel defende que o Congresso aprove uma regra de transição na proposta da reforma administrativa para incluir o fim dos privilégios que grupo de servidores atuais ainda goza

Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)

100 dias entre o fundo e topo do mercado

Até aqui, 2020 foi o ano de Amyr Klink, em que aqueles que souberam capotar (entre janeiro e o final de março), passaram pela tempestade sem afundar de vez em mar aberto

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements