Menu
2020-01-24T08:38:16-03:00
com lideranças do mundo

Juan Guaidó pede ajuda ao Fórum de Davos contra Maduro

Guaidó falou sobre os males econômicos e políticos de seu país e sobre as oportunidades de investimento e prosperidade se a democracia for restaurada

24 de janeiro de 2020
8:37 - atualizado às 8:38
juan-guaido
Juan Guaidó - Imagem: Twitter/Reprodução

Reconhecido por mais de 50 países como presidente interino da Venezuela, o líder opositor Juan Guaidó pediu nessa quinta-feira, 23, ajuda a empresários e políticos, no Fórum Econômico Mundial, em Davos, para promover em seu país "eleições livres e transparentes". Só no dia anterior, quarta-feira, 22, sua fala havia sido incluída no programa. Uma sessão plenária foi preparada para sua apresentação.

Depois de deixar seu país no domingo, ele se encontrou com o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, e com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, além de se apresentar no Parlamento Europeu. O governo reagiu a sua viagem, disse Guaidó, perseguindo e prendendo parlamentares da oposição.

Sem dizer como se poderá afastar o presidente Nicolás Maduro ou convencê-lo a encerrar seu mandato, Guaidó falou sobre os males econômicos e políticos de seu país e sobre as oportunidades de investimento e prosperidade se a democracia for restaurada. A produção de petróleo, lembrou, caiu 65% nos últimos anos e a economia venezuelana atravessa uma longa e profunda recessão.

Na primeira fila, no auditório principal do centro de congressos de Davos, estava o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o colombiano Luís Alberto Moreno. O BID, lembrou Moreno ao jornal O Estado de São Paulo, foi a primeira organização multilateral a reconhecer Guaidó como presidente interino. Também havia empresários venezuelanos presentes.

O presidente da Colômbia, Iván Duque, também assistiu à sessão sentado no auditório. Guaidó dirigiu-se a ele duas vezes para agradecer o acolhimento de milhares de migrantes que fugiram da pobreza e do regime bolivariano

Em entrevista, mais tarde, Guaidó disse ter mantido vários encontros com líderes de outros países durante o dia. Além disso, acusou o governo venezuelano de estar envolvido no financiamento de organizações terroristas internacionais.

Num lounge reservado o ministro da Economia, Paulo Guedes, cumprimentou Guaidó pelo discurso que fez mais cedo no evento. O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela pediu a Guedes que transmitisse agradecimentos ao presidente Jair Bolsonaro pelo apoio ao seu trabalho no país vizinho.

A cena, presenciada pela reportagem do jornal O Estado de São Paulo/Broadcast, durou alguns minutos e foi recheada de cumprimentos e elogios de ambas as partes. O ministro da Economia chegou a mudar a agenda prevista para a manhã no Fórum para prestigiar o discurso do líder opositor venezuelano.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

CORONAVÍRUS

EUA pedem que Congresso autorize gasto de US$ 2,5 bilhões para conter coronavírus

Os Estados Unidos confirmaram 14 casos de infecção pelo coronavírus em sete Estados diferentes, mas não relataram mortes

ENERGIA

País tem ‘folga’ de energia pelo menos até 2024

“Temos uma folga estrutural, pois tivemos um aumento de capacidade instalada sem a contrapartida de aumento de consumo”, diz Cristopher Vlavianos

ESTÍMULO PARA AS EMPRESAS

China anuncia medidas para ampliar crédito a empresas atingidas pelo coronavírus

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro Li Keqiang, o conselho disse que aumentará em 500 bilhões de yuans (US$ 71,2 bilhões) a cota de refinanciamento para empréstimos de bancos a pequenas empresas e fazendeiros

EM BUSCA DE PROTEÇÃO

Temor global com coronavírus faz ouro alcançar maior cotação desde 2013

Apenas neste ano, o ETF acumula alta de 8,25%. A razão para a valorização é uma só: ele é considerado porto seguro de quem investe quando o cenário externo parece mais incerto

JUROS

Crescem apostas do mercado de que FED pode cortar juros nas próximas reuniões

Dados do CME Group mostram que os investidores enxergam 18,8% de chance de um novo corte de juros de 0,25 ponto porcentual na reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) de março

CRIPTOMOEDAS

Buffett volta a dizer que “criptomoedas não têm valor e que nunca terá uma”

Apesar de não gostar muito das moedas digitais, o bitcoin não vem fazendo feio. Nos últimos 12 meses, a criptomoeda acumula valorização de 191,50%

SELEÇÃO DE NOTÍCIAS

No radar: Mercados com os nervos à flor da pele

Olá! Os mercados brasileiros continuam fechados nesta terça-feira (25), por causa do Carnaval. O timing dessa parada foi oportuno, já que, lá fora, o clima é de enorme tensão entre os investidores. O aumento súbito nos casos de coronavírus fora da China fez as bolsas globais despencarem na segunda-feira (24). E, hoje, a situação não […]

DE OLHO NA TECNOLOGIA

BC quer criação de fundo para projetos de tecnologia

Os recursos virão de valores pagos pelos bancos ao BC, para uso de sistemas tecnológicos

AS DICAS DO GURU

Coronavírus é ‘assustador’, mas não é hora de vender ações, para Warren Buffett

“Compramos ações para ficar por 20, 30 anos e achamos que o cenário para 20, 30 anos não mudou pelo coronavírus.”

AÇÕES

ADRs do Brasil fecham em forte queda em NY; Vale cai 7,5% e Petrobras recua 6,7%

Os grandes bancos também amargaram perdas importantes em Nova York, embora menores que Petrobras e Vale

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements