Menu
2019-04-05T09:54:36-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Crise diplomática

Maduro fecha fronteira com Brasil por tempo indeterminado e ameaça fechar a colombiana

Ordem tem tempo indeterminado e acontece em meio a um plano de lideranças oposicionistas para entregar ajuda humanitária ao país em crise

21 de fevereiro de 2019
14:40 - atualizado às 9:54
nicolás-maduro
Nicolás Maduro - Imagem: shutterstock

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, determinou nesta quinta-feira, 21, o fechamento da fronteira com o Brasil.

A medida, que deve entrar em vigor esta noite, tem tempo indeterminado e acontece em meio a um plano de lideranças oposicionistas para entregar ajuda humanitária ao país em crise.

Na televisão estatal, Maduro disse ainda que avalia o fechamento da fronteira com a Colômbia. Autoridades locais fecharam nesta semana por tempo indeterminado as fronteiras marítima e aérea com as ilhas caribenhas de Aruba, Cuaraçu e Bonaire.

Líderes oposicionistas têm planejado envio de ajuda a partir da Colômbia e do Brasil. Maduro afirma resultaria na diminuição de seu poder e acabaria por derrubá-lo da presidência. Em sua visão, o país não precisa desse auxílio.

Mais cedo, o governo Maduro enviou tropas e veículos militares para a fronteira com o Brasil, o que foi visto como uma reação imediata de que Maduro não está feliz com o posicionamento do país sobre o tema.

Governo brasileiro faz silêncio

Logo após receber a notícia vinda do governo venezuelano, o Palácio do Planalto decidiu não se manifestar sobre o anúncio. Ainda não há previsão de reunião entre os ministros palacianos para discutir o tema.

Antes do comunicado de Maduro, o governador de Roraima, Antonio Denarium, esteve no Planalto, pela manhã, para reuniões com os ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e Secretaria de Governo, Alberto Santos Cruz. Eles discutiram o planejamento para envio de ajuda humanitária. O encontro, porém ocorreu antes do anúncio de fechamento da fronteira. Denarium retornará para Roraima no período da noite.

Vale lembrar que na terça-feira, 19, o porta-voz do governo Jair Bolsonaro, Otávio do Rêgo Barros, comunicou que o governo brasileiro iria enviar alimentos e medicamentos na fronteira com a Venezuela no dia 23 de fevereiro para atender ao pedido do líder opositor Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino da Venezuela e tem o apoio de diversos países.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

em encontro virtual

Ford prevê recuperação gradual da Argentina e anuncia investimento de US$ 580 milhões

Durante encontro virtual com jornalistas, presidente da montadora na América do Sul afirmou que a estabilização da inflação será chave na saída do país vizinho da crise

medida de suporte

Vale reduz em mais de 60% prazo para pagamento de pequenos fornecedores locais

Companhia projeta que mais de 700 empresas serão beneficiadas nos seis Estados onde atua

Mais um

Balança comercial tem superávit de US$ 3,73 bi em novembro

No último Relatório Focus, os analistas de mercado ouvidos pelo Banco Central estimaram superávit comercial de US$ 57,90 bilhões em 2020.

Inovação

CVM abre audiência pública para reforma de fundos de investimento e FIDC

Grande parte das inovações propostas tem como fundamento a Lei da Liberdade Econômica, aprovada em 2019.

primeira análise

BTG inicia cobertura de varejista de moda esportiva estimando alta de 42%

Em primeira análise, banco diz que ações da Track&Field podem chegar a R$ 16; grupo cita como ponto positivo altas margens e bom retorno de capital

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies