Menu
2019-04-04T07:41:14-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
VENEZUELA, CUBA E MOÇAMBIQUE

Países somam R$ 2,3 bi em atraso com BNDES

Se pagamento não for feito, governo deve cobrir o calote; banco registrou perdas de R$ 4,4 bi em 2018 por conta dos empréstimos

4 de abril de 2019
7:26 - atualizado às 7:41
BNDES
Imagem: Shutterstock

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem R$ 2,3 bilhões para receber em dívidas atrasadas de três países: Venezuela, Cuba e Moçambique. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Caso haja calote, a dívida deve ser paga pela União. Mas só o risco de não pagamento já levou o banco a registar perdas de R$ 4,4 bilhões — valor equivalente a tudo que o BNDES tem a receber de dois dos países — no balanço financeiro de 2018, divulgado na semana passada.

À época do financiamento do banco para obras no exterior, nos governos do PT, houve muitas críticas por parte de economistas. Para uma parcela dos especialistas, havia nas operações motivações políticas ou excesso de subsídios para beneficiar as grandes construtoras.

Posteriormente, as empreiteiras foram os grandes alvos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O atual presidente do BNDES, Joaquim Levy, evitou relacionar os calotes a suspeitas de corrupção, mas disse que as operações “responderam às prioridades de governo naquela época” e que elas não se repetirão na atual gestão. Levy falou ao Broadcast, do jornal O Estado de S. Paulo, no mês passado.

Indenização

Os financiamentos do BNDES ao exterior são cobertos pelo Tesouro, via Fundo de Garantia à Exportação (FGE), que custeia o Seguro de Crédito à Exportação (SCE). Os atrasos desses três países levou o banco a receber uma indenização de R$ 1,3 bilhão.

O governo alocou, no orçamento de 2019, R$ 1,5 bilhão de despesas do FGE — gasto 26% superior ao de 2018, de R$ 1,2 bilhão, se confirmado.

Pelas normas, quando um banco começa a registrar atrasos no pagamento de dívidas, fica obrigado a reservar valores no balanço para fazer frente ao provável calote. Isso quer dizer que o lucro do banco é diminuído. Quando o devedor inadimplente regulariza os pagamentos, a instituição volta a poder tirar a dívida dessa “reserva”.

 

 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Os três mosqueteiros do varejo e outros destaques da noite

Na bolsa e no setor de varejo, a máxima do “um por todos e todos por um” não se aplica. Empresas competem umas com as outras e investidores buscam as melhores aplicações — o “cada um por si” tem bem mais adeptos. Mas, quem diria, três mosqueteiros juntaram suas espadas para comemorar os bons resultados […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sobe puxado pelo minério de ferro e encosta nos 123 mil; NY fecha o dia no vermelho

Com a economia chinesa aquecida, a demanda por commodities segue em alta e sustenta bons níveis para o Ibovespa.

Seleção Empiricus

🔴 AO VIVO: Quais são os investimentos para o segundo semestre? | Seleção Empiricus

Caminhando para o fim do primeiro semestre, nosso time do Seleção Empiricus de hoje discute o que podemos esperar da Bolsa para os próximos meses. A escalação do jogo de hoje conta com Max Bohm, Matheus Spiess, Cris Fensterseifer e Marcos Queiroz.

Segure seus bitcoins

Golpistas se passam por Elon Musk e roubam dinheiro de investidores de criptomoedas

Os criminosos usaram perfis falsos do CEO da Tesla para levar ao menos US$ 2 milhões de entusiastas do bitcoin e outras moedas digitais

Orçamento apertado

Segmentos mais impactados de comércio e serviços tiveram perdas de R$ 225,7 bi em 2020

Montante é maior que o total produzido por países como Sérvia e Tunísia. Varejo de roupas perdeu 10% do seu tamanho no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies