A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-04T07:41:14-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
VENEZUELA, CUBA E MOÇAMBIQUE

Países somam R$ 2,3 bi em atraso com BNDES

Se pagamento não for feito, governo deve cobrir o calote; banco registrou perdas de R$ 4,4 bi em 2018 por conta dos empréstimos

4 de abril de 2019
7:26 - atualizado às 7:41
BNDES
Imagem: Shutterstock

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem R$ 2,3 bilhões para receber em dívidas atrasadas de três países: Venezuela, Cuba e Moçambique. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

Caso haja calote, a dívida deve ser paga pela União. Mas só o risco de não pagamento já levou o banco a registar perdas de R$ 4,4 bilhões — valor equivalente a tudo que o BNDES tem a receber de dois dos países — no balanço financeiro de 2018, divulgado na semana passada.

À época do financiamento do banco para obras no exterior, nos governos do PT, houve muitas críticas por parte de economistas. Para uma parcela dos especialistas, havia nas operações motivações políticas ou excesso de subsídios para beneficiar as grandes construtoras.

Posteriormente, as empreiteiras foram os grandes alvos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

O atual presidente do BNDES, Joaquim Levy, evitou relacionar os calotes a suspeitas de corrupção, mas disse que as operações “responderam às prioridades de governo naquela época” e que elas não se repetirão na atual gestão. Levy falou ao Broadcast, do jornal O Estado de S. Paulo, no mês passado.

Indenização

Os financiamentos do BNDES ao exterior são cobertos pelo Tesouro, via Fundo de Garantia à Exportação (FGE), que custeia o Seguro de Crédito à Exportação (SCE). Os atrasos desses três países levou o banco a receber uma indenização de R$ 1,3 bilhão.

O governo alocou, no orçamento de 2019, R$ 1,5 bilhão de despesas do FGE — gasto 26% superior ao de 2018, de R$ 1,2 bilhão, se confirmado.

Pelas normas, quando um banco começa a registrar atrasos no pagamento de dívidas, fica obrigado a reservar valores no balanço para fazer frente ao provável calote. Isso quer dizer que o lucro do banco é diminuído. Quando o devedor inadimplente regulariza os pagamentos, a instituição volta a poder tirar a dívida dessa “reserva”.

 

 

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

AUTOMÓVEIS

Tá difícil comprar carro? 10 dicas que podem ajudar a ter um zero-km (ou quase isso) na garagem

13 de agosto de 2022 - 9:55

Cenário macroeconômico não ajuda, mas há formas de aproveitar o momento e garantir um carro mais novo ou até mesmo zero

TEMPORADA DE BALANÇOS

Lucro líquido da Eletrobras (ELET3) chega a R$ 1,4 bilhão no segundo trimestre, queda de 45%

13 de agosto de 2022 - 9:00

Segundo o balanço da Eletrobras (ELET3), resultado foi impactado negativamente pela provisão para perdas em investimentos no total de R$ 890 milhões

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: ata do Fed, dados de varejo nos EUA e inflação na zona do euro são os destaques da semana

13 de agosto de 2022 - 8:11

A ata da última reunião do Fed é o principal dado da agenda econômica; a inflação ao consumidor (CPI) na Europa também é destaque

PAPO CRIPTO #025

Vai, Brasil! Mercado brasileiro de criptomoedas é o 11º maior do mundo — e diretor de associação aposta em tokenização; entenda

13 de agosto de 2022 - 7:30

Bernardo Srur, diretor da ABCripto, associação criada para fomentar os negócios em criptoeconomia no Brasil, é o convidado do Papo Cripto desta semana

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe, mas perde o protagonismo para o ethereum (ETH); entenda

12 de agosto de 2022 - 20:29

Além de aproveitar a inflação dos EUA mais branda, o que ajudou as criptomoedas em geral, o ETH se beneficiou dos progressos na direção do The Merge

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies