🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2.000,00 POR DIA – VEJA COMO

Estadão Conteúdo
TENSÃO

Assembleia Nacional da Venezuela nomeia novo presidente e declara ilegitimidade de Maduro

Em seu primeiro ato, a Assembleia Nacional nomeou neste sábado Juan Guaidó, de 35 anos, como seu novo presidente

Estadão Conteúdo
6 de janeiro de 2019
12:53 - atualizado às 12:15
Nicolás Maduro - Imagem: Shutterstock

O parlamento da Venezuela, controlado pela oposição, abriu sua primeira sessão do ano com um novo líder, que adotou um tom desafiador em relação ao presidente Nicolás Maduro.

Em seu primeiro ato, a Assembleia Nacional nomeou neste sábado Juan Guaidó, de 35 anos, como seu novo presidente.

Ele assume um parlamento despojado de poder por Maduro, cujo governo é acusado de levar a nação outrora rica a uma crise política e humanitária.

A Assembleia Nacional declarou a ilegitimidade de Maduro poucos dias antes do início de seu segundo mandato, enquanto a pressão internacional se intensifica para que sejam convocadas novamente eleições no país sul-americano.

A rejeição de Maduro foi anunciada por Guaidó, que ratificou, no início da nova sessão, o repúdio do órgão legislativo às eleições presidenciais de maio passado, nas quais o governante de esquerda se reelegeu, e disse que, a partir de 10 de janeiro, quando um novo mandato presidencial começar, Maduro estará "usurpando" a presidência.

Em seu discurso, Guaidó disse que a Venezuela está vivendo um momento sombrio, mas transitório, de sua história.

Ele afirmou ainda que a Assembleia Nacional assumirá, entre suas primeiras ações, a criação de um órgão de transição para restituir a ordem constitucional e renovar e designar o que ele chamou de "poderes usurpados", mas não deu detalhes.

A instalação da nova presidência do parlamento ocorre um dia depois do duro pronunciamento do Grupo de Lima, que inclui 14 países da região, que pediram a Maduro que não assuma o segundo mandato em 10 de janeiro e que transfira o poder para a Assembleia Nacional até que novas eleições sejam convocadas

Compartilhe

segundo agência

Em grave crise econômica, Venezuela avalia privatizar petróleo

28 de janeiro de 2020 - 8:14

Representantes do governo conversaram com diferentes empresas, diz agência; medida abandonaria décadas de monopólio estatal

com lideranças do mundo

Juan Guaidó pede ajuda ao Fórum de Davos contra Maduro

24 de janeiro de 2020 - 8:37

Guaidó falou sobre os males econômicos e políticos de seu país e sobre as oportunidades de investimento e prosperidade se a democracia for restaurada

De olho na Venezuela

Bolsonaro: “É importante buscar solução para Venezuela, até Evo se posicionou

17 de julho de 2019 - 20:41

Segundo o presidente, não ficou surpreso com o posicionamento de Morales, uma vez que o chefe de Estado boliviano já havia dados sinais positivos quando decidiu prender o italiano Cesare Battisti

Nem tudo está ganho

Guedes: Brasil evitou virar uma Venezuela, mas não uma Argentina

23 de maio de 2019 - 19:23

Ministro da Economia usou o exemplo do Chile em sua apresentação para falar do sucesso da agenda liberal

Ela não

Bolsonaro: Não queremos outra Venezuela no continente

3 de maio de 2019 - 12:48

Presidente disse que preocupação deve se voltar para a Argentina e para quem poderá voltar a comandar o país

Crise na Venezuela

Juan Guaidó convoca povo venezuelano a ir às ruas e diz ter apoio de militares para derrubar governo de Maduro

30 de abril de 2019 - 8:48

Juan Guaidó lidera a Operação Liberdade para derrubar o governo de Maduro. Ministro da Defesa utilizou o Twitter para dizer que há normalidade nos quartéis

menos barris

Opep reduz produção de petróleo em ritmo mais acentuado em março

10 de abril de 2019 - 10:55

Em relatório mensal divulgado nesta quarta-feira, organização informou que a produção de seus integrantes caiu 534 mil barris por dia (bpd) no mês passado, para uma média de 30,02 milhões de bpd

Transparência

“Conversarei com Levy”, diz Bolsonaro sobre dívidas de Cuba e Venezuela

5 de abril de 2019 - 12:38

Venezuela, Cuba e Moçambique acumulam R$ 2,3 bilhões em dívidas atrasadas com o BNDES. Se países não honrarem o pagamento, o governo brasileiro terá de cobrir o calote

VENEZUELA, CUBA E MOÇAMBIQUE

Países somam R$ 2,3 bi em atraso com BNDES

4 de abril de 2019 - 7:26

Se pagamento não for feito, governo deve cobrir o calote; banco registrou perdas de R$ 4,4 bi em 2018 por conta dos empréstimos

Vizinho em crise

Guaidó volta à Venezuela e convoca protesto contra Maduro no sábado

4 de março de 2019 - 16:58

Líder da oposição pediu às pessoas que encham as ruas das cidades de todo o país no sábado para protestar contra Maduro

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar