Menu
2019-11-13T11:48:17-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
gestoras

SPX está comprada em dólar e ações no Brasil

Na parte internacional, a gestora está comprada em bolsas europeias e de países emergentes e vendida na bolsa americana

13 de novembro de 2019
11:43 - atualizado às 11:48
Rogério Xavier SPX
Rogério Xavier, sócio da SPX - Imagem: Leo Martins

Comprado em dólar, aplicado em juros e comprado em ações dos setores de óleo e gás, serviços de utilidade pública e consumo. Esse é o resumo das posições da SPX ao fim de outubro, segundo carta de gestão da casa comanda por Rogério Xavier. No mês de outubro, o SPX Nimitz rendeu 0,77%, ante um CDI de 0,48%.

No lado doméstico, a gestora acredita que apesar da comunicação conservadora do Banco Central (BC), a inflação baixa deve permitir que o Comitê de Política Monetária (Copom) continue cortando a Selic nas próximas reuniões, para algo entre 4% e 4,5% ao ano, permanecendo nesse intervalo por um longo período.

Para a SPX, a atividade econômica continua sugerindo que a recuperação será gradual, apesar de alguns estímulos ao longo dos próximos meses. No lado dos preços, a inflação tem se mantido em níveis confortáveis. Nos próximos meses, devemos observar alguma pressão nos preços das carnes e dos combustíveis, mas que não afetará a inflação de maneira que mude a estratégia já comunicada pelo BC.

A importância do teto

No lado político, a gestora destaca a série de medidas apresentadas para complementar o processo de ajuste fiscal e para tentar elevar a produtividade da economia. O tema mais urgente é a redução dos gastos obrigatórios, que viabilizam a manutenção do teto de gastos nos próximos anos.

Segundo a SPX, o teto de gastos tem sido uma âncora fiscal importantíssima e permite que o Brasil conviva com taxas de juros baixas, apesar do elevado nível de endividamento do setor público.

“Nesse sentido, é essencial manter o teto de gastos que tem um efeito fiscal duplamente importante, pois reduz os juros pagos pelo governo e controla a despesa primária”, diz a SPX.

O ponto positivo, segundo a gestora, é que, olhando para a posição fiscal do governo federal, muito já foi feito desde o governo Temer e são necessárias poucas medidas que dependem de aprovação do Congresso para conseguirmos colocar a razão dívida sobre o PIB em trajetória de queda.

Para a gestora, o Congresso brasileiro tem dado sinais de que não é de seu interesse ver o Brasil em uma trajetória de insolvência. “Então, acreditamos que uma parte da agenda deva andar, o que ajuda o Brasil a manter juros baixos e colocar a dívida em trajetória cadente.”

Balanço externo ainda negativo

No lado externo, a gestora constata que em outubro tivemos uma melhora na perspectiva de dois dos riscos proeminentes para a economia global: a guerra comercial entre Estados Unidos e China e o Brexit. Além disso, apesar dos dados econômicos continuarem indicando fraqueza na economia global, há sinais iniciais de estabilização.

A conclusão, no entanto, é que o balanço de riscos para a economia global ainda é negativo. EUA e China ainda finalizaram um acordo e o drama do Brexit  não está resolvido. Apesar dos dados recentes apresentarem uma tentativa de estabilização, “ainda é cedo para dizer se a economia global realmente está se estabilizando ou se a desaceleração ainda vai se aprofundar.”

Na parte internacional, a gestora está comprada em bolsas europeias e de países emergentes e vendida na bolsa americana. A tese se baseia em uma melhora cíclica de curto prazo, somada a uma assimetria da percepção geopolítica entre as regiões. Também teve aumento nas posições que se beneficiam de um cenário no qual um candidato de esquerda dentro do partido democrata comece a ganhar mais espaço nas eleições americanas de 2020.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

números da pandemia

Brasil chega a 72,1 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

Foram registrados 24.831 novos casos da doença; total chegou a 1.864.681

entrevista

‘Brasil virou pária do investimento internacional’, diz Persio Arida

Um dos signatários da carta de ex-ministros da Fazenda e do BC em defesa de uma retomada econômica “verde”, ele observa que o presidente tem feito uma “política ambiental horrenda” e na contramão do mundo

ao menos sete parlamentares

Verba de gabinete é usada para lucrar na internet

Deputados da base governista recorreram a empresas contratadas com dinheiro da cota parlamentar e assessores pagos pela Casa para gerir canais monetizados no YouTube

entrevista

‘Caminhamos para o precipício ambiental’, diz CEO da Suzano

Walter Schalka diz que a sustentabilidade tem de unir empresas e governo para que o Brasil possa virar uma potência ambiental no mundo

decisão da justiça

Ex-secretário, vereador e empresário de Marília tornam-se réus por fraudes

De acordo com o Ministério Público Federal, o grupo é acusado de corrupção ativa e passiva, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements