⚽️ Brasil e Portugal jogam para se evitar nas oitavas-de-final; veja os jogos de hoje na Copa do Mundo

Cotações por TradingView
2021-10-08T09:15:21-03:00
Ricardo Gozzi
FINALMENTE

Grendene e 3G Capital, gestora de Lemann, fecham acordo para joint venture no exterior

Fabricante de calçados quer acelerar distribuição e vendas no exterior; controle da operação ficará nas mãos da 3G Radar, gestora sob o guarda-chuva da 3G Capital

8 de outubro de 2021
9:14 - atualizado às 9:15
Grendene Navio Containers Rider Ipanema Melissa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A expectativa chegou ao fim. Três meses depois do anúncio do memorando de entendimento para a formação de uma joint venture no exterior entre a Grendene e a 3G Radar, a fabricante de calçados e a gestora anunciaram na noite de ontem um acordo definitivo sobre o tema.

O aumento das vendas no exterior é visto como fundamental pela Grendene para manter o crescimento. Com a joint venture, a fabricante de calçados pretende acelerar a distribuição e a venda de seus produtos no exterior.

Os últimos detalhes da parceria foram fechados no último minuto. Assinado em 5 de julho, o memorando de entendimento estabelecia que a Grendene e a 3G Radar tinham exatos 90 dias para chegar a um acordo.

3G Radar é majoritária no arranjo

Segundo o anúncio feito no fim da noite de ontem, a joint venture terá sua sede no Reino Unido e será controlada pela 3G Radar.

Cada uma das partes aportará US$ 50 milhões, mas a gestora deterá 50,1% do capital social e três dos cinco membros do conselho de administração do negócio. Consequentemente, a Grendene terá 49,9% da sociedade e duas cadeiras no conselho.

Na esteira da combinação de negócios, a Grendene e a joint venture fecharam um acordo de distribuição e franquia destinado a regular a venda dos produtos da fabricante no exterior.

Para quem não estiver reconhecendo a 3G Radar, ela encontra-se sob o guarda-chuva da 3G Capital, a gestora dos bilionários Jorge Paulo Lemann, Marcel Hermann Telles e Carlos Alberto Sicupira.

Vendas no mercado externo representaram pouco mais de um terço das receitas da Grendene no 1º trimestre

Detentora de marcas tradicionais como Melissa, Rider, Ipanema e Grendha, a Grendene já exporta parte de sua produção e tem conseguido um crescimento constante de suas vendas fora do Brasil.

No primeiro semestre deste ano, a fabricante de calçados obteve receita bruta de R$ 276,6 milhões com as vendas para fora. O montante representa pouco mais de um terço do total obtido no período.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

DE OLHO NAS REDES

Elon Musk quer curar a cegueira e fazer tetraplégicos andarem com um chip cerebral: testes em humanos já têm prazo — e o próprio bilionário deve ser a cobaia

2 de dezembro de 2022 - 11:14

O bilionário deu prazo de seis meses para os testes em humanos de seu chip cerebral começarem

COISA DE CINEMA

O crime perfeito: ataque hacker em criptomoedas leva a roubo de US$ 5 milhões, faz token ‘desaparecer’ e Binance a suspender negociações

2 de dezembro de 2022 - 10:52

Uma falha no protocolo Ankr (ANKR) permitiu a “emissão infinita” de tokens e fez uma criptomoeda da rede Binance Smart Chain despencar a quase zero

JCP

Itaúsa (ITSA4) vai pagar juros sobre capital próprio — saiba datas dos pagamentos e valores

2 de dezembro de 2022 - 10:42

Em evento realizado na quinta-feira (1), executivo da Itaúsa (ITSA4) falou sobre a possibilidade de voltar a pagar dividendos históricos

É REPRISE?

Elon Musk bane conta de Kanye West no Twitter outra vez — e o rapper Ye também não terá mais uma rede social para chamar de sua

2 de dezembro de 2022 - 10:38

Segundo o chefe do Twitter, a mais nova publicação problemática do cantor quebrou as regras da plataforma de mídia social sobre “incitação à violência”

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Sextou com Copa: As ‘zebras’ da B3, um ano de Nubank na bolsa, dividendos da Vale e outras notícias que mexem com o seu bolso

2 de dezembro de 2022 - 8:26

As zebras estão à solta nos gramados do Catar — e o Ruy Hungria explica por que apostar no favorito raramente vale a pena, seja na Copa do Mundo ou na bolsa de valores

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies