Menu
2019-04-05T15:50:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mais um alvo

Maia diz que transição para servidores é outro tema polêmico da reforma da Previdência

Presidente da Câmara afirmou que o déficit da aposentadoria rural se resolve combatendo as fraudes e prometeu defender a progressividade da alíquota previdenciária

5 de abril de 2019
13:11 - atualizado às 15:50
Rodrigo Maia
Rodrigo Maia - Imagem: André Dusek/Estadão Conteúdo

Em evento realizado hoje (5), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, citou os temas que considera mais sensíveis no texto da reforma da Previdência enviada ao Congresso. Na lista estão a paridade e integralidade de pagamentos para servidores ingressantes antes de 2003 e a aposentadoria especial de professores e policiais.

Para Maia, o déficit da aposentadoria rural se resolve combatendo as fraudes e prometeu defender a progressividade da alíquota previdenciária.

O presidente da Câmara também justificou os problemas na articulação política com a irritação e ansiedade das pessoas pela crise econômica que já dura quase 5 anos.

"Tenho certeza que estamos prontos para liderar esse processo e o papel do governo de articulação é importante para construir uma base para aprovar as reformas que o Brasil precisa", disse Maia, que também lembrou que a reforma é essencial para resolver o fluxo de caixa dos Estados e que parlamentares não ajudarão na reforma caso o problema não seja resolvido.

Já praticamente enterrados

Maia também afirmou que a retirada do BPC e da aposentadoria rural teria um impacto fiscal pequeno, portanto, não seria um problema retirá-los da reforma.

No entanto, o deputado disse que os demais itens não podem ser perdidos, para que o governo tenha condições de enviar em seguida uma proposta de regime de capitalização.

Maia também comentou o bate-boca na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara entre o ministro Paulo Guedes (Economia) e parlamentares de oposição e disse que esse tipo de embate já aconteceu outras vezes no Congresso, mas que não é o ideal. "Houve uma provocação e a resposta do ministro Paulo Guedes foi fora do tom", disse.

O presidente da Câmara ressaltou que a conversa do presidente Jair Bolsonaro e as lideranças dos partidos políticos não é para construir uma base política, mas sim para consolidar uma agenda em comum.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) e o ministro da Economia, Paulo Guedes, também participaram do painel no fórum do Grupo de Líderes Empresariais (Lide).

Mais cedo, Alcolumbre afirmou que é importante que os governadores não sejam apenas favoráveis à reforma, mas que também a defendam em seus Estados.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Oportunidade para o investidor

Conselho da Iguatemi aprova emissão de R$ 264 milhões em debêntures

Trata-se da oitava emissão dos títulos pela empresa, que serão negociados em série única e vinculados a uma emissão de CRI

Seu Dinheiro na sua noite

O que mudou e o que não mudou na bolsa

Quando surgiram as primeiras notícias sobre o surto do coronavírus na China, havia poucos elementos para afirmar se estávamos ou não diante de uma crise de saúde de proporções globais. Hoje já não temos mais dúvidas disso. A dolorosa queda de 7% da bolsa na quarta-feira de cinzas marcou a passagem da incerteza que tínhamos […]

É dólar na veia

Na luta para conter o dólar, Banco Central anuncia oferta de US$ 1 bilhão em contratos de swap nesta sexta-feira

Negociação será realizada na bolsa entre 9h30 e 9h40 e deve contemplar até 20 mil contratos

Dados do Banco Central

Reservas internacionais subiram US$ 976 milhões no dia 26 de fevereiro, para US$ 360,578 bilhões

Resultado reflete sobretudo a oscilação do valor de mercado dos ativos que compõem as reservas

Menor nível em quatro meses

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai mais 2,59% e fecha na mínima do dia; dólar sobe a R$ 4,47

O mercado até ensaiou um movimento de recuperação no meio da tarde, mas a cautela com o surto de coronavírus prevaleceu, derrubando o Ibovespa — apenas quatro ações do índice fecharam em alta. O dólar cravou mais uma máxima

No radar

Abimaq diz não ter dado que indique desabastecimento por causa do novo coronavírus

Setor de máquinas está promovendo ações preventivas para evitar qualquer risco de desabastecimento

Negócio em aberto

Bayer concorda com nova revisão sobre aquisição da Monsanto

Empresa vai permitir que um especialista independente revise suas regras e examine os seus principais negócios

Enchentes

Chuvas de fevereiro dão prejuízo de R$ 203 milhões ao comércio do sudeste, diz CNC

Mais da metade do rombo foi concentrado no Estado de São Paulo

Não vai dar

Facebook e Microsoft cancelam participação em eventos por temor com coronavírus

Sony, Electronic Arts e Unity Technologies também já tinham informado que não participariam de conferência

Embraer monitorada

S&P mantém rating BBB da Embraer em observação para eventual rebaixamento

Avaliação reflete a aprovação ainda pendente da Comissão Europeia sobre o acordo entre a empresa brasileira e a Boeing, diz agência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements