Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-22T09:14:40-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.

Rodrigo Maia faz um novo e contundente alerta ao governo

Presidente da Câmara ameaça deixar articulação política irritado com postura de Bolsonaro e filhos. Notícia vai pesar sobre o comportamento dos mercados

22 de março de 2019
9:14
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Por ora, a notícia do dia no campo econômico é uma só e não é boa: “Maia ameaça deixar articulação política da Previdência”, do jornal “O Estado de S.Paulo”. Mais uma vez o pivô do desgaste é o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, e seus tuítes de ataques a Maia após desentendimento dele com o ministro da Justiça Sérgio Moro, sobre a tramitação das metidas de combate à corrupção.

Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi um apoiador de primeira hora das reformas, chamando para si a responsabilidade de tocar o projeto quando ele chegasse à Câmara e se engajando, também na importante batalha da comunicação, buscando esclarecer o texto e minar a atuação de corporações contrárias à reforma.

Essa não é a primeira vez que o presidente da Câmara faz um alerta ao governo, que por vezes parece sem foco em suas prioridades. No fim de fevereiro, em entrevista ao “Valor Econômico” e em evento na “Folha de S.Paulo”, Maia disse que o governo vinha perdendo a batalha da comunicação e fez um apelo para que o presidente e seus apoiadores usassem, justamente, as redes sociais para defender a reforma.

Mas agora há uma mudança de tom, “nada boa”, segundo um amigo com trânsito no Congresso, do principal articulador do tema no Congresso. “Eu sou a boa política, e não a velha política. Mas se acham que sou a velha, estou fora”, nos relata do “O Estado de S.Paulo”.

Com essa postura, Maia volta não a pedir, mas a “gritar”, por assim dizer, para que Bolsonaro assuma seu papel de presidente na condução de reforma e que seus filhos parem de atacar aliados.

A impressão é de que nas redes sociais e nas suas lives do “Facebook”, Bolsonaro e família tentam manter sua militância mais fiel engajada. Mas esquecem que o período de campanha já acabou e que há um governo para conduzir.

Fazer política é também fazer gestos e isso não tem nada a ver como velha ou nova política. É possível e importante falar com “as bases”, o PT sempre foi mestre em fazer isso, mas não precisa atacar aliados.

Ter o presidente da Câmara como inimigo não é bom negócio para nenhum governo, ainda mais um governo que ainda não conseguiu encontrar uma forma de “fazer política” e é fustigado até mesmo pelo seu partido.

Agora, é aguardar o "corpo de bombeiros" entrar em campo e algum gesto de Bolsonaro, mesmo que lá do Chile.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

VAREJO DECEPCIONADO?

Black Friday supera prévias, mas vendas do fim de semana ainda ainda perdem para os números registrados em 2019

Segundo índice calculado pela Cielo, as vendas cresceram 6,9% em relação ao ano passado, mas foram 3,8% inferiores ao período pré-pandemia

Adeus ano velho

Ano novo, impostos novos! Reforma do IR fica para 2022, confirma presidente do Senado

O governo Bolsonaro pressionava pela aprovação da proposta para financiar o Auxílio Brasil, mas não conseguiu apoio na Casa

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Bitcoin e bolsa se recuperam após susto com nova variante, Azul e Latam sobem o tom e outros destaques do dia

Pouco se sabe ainda sobre a nova variante do coronavírus detectada na África do Sul, mas o que veio à público até agora é muito melhor do que o mercado financeiro precificou na última sexta-feira (26). Sem o pânico visto na semana passada, o Ibovespa encontrou forças para abrir a semana em alta.  Um estudo […]

Fechamento do dia

Mercado supera susto com ômicron, e bolsas globais engatam recuperação; Ibovespa sobe com menos força, de olho na PEC dos precatórios

Pesando os desafios fiscais brasileiros, o Ibovespa fechou longe das máximas, mas se recuperou parcialmente do tombo de sexta-feira

UM ÚLTIMO TUÍTE

Do Twitter para o bitcoin? Jack Dorsey deixa comando da rede social e reacende rumores sobre projeto em criptomoedas

O fundador da rede social passará o cargo para Parag Agrawal, um veterano da empresa, depois de comandá-la de 2006 a 2008 e de 2015 até hoje

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies