Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-03-08T12:40:35-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Análise

Bolsonaro entra na batalha da comunicação da Previdência

Presidente usa redes sociais para defender reforma, mas questão é quanto tempo isso vai durar

8 de março de 2019
11:39 - atualizado às 12:40
Bolsonaro Live FB 2
Jair Bolsonaro em live no "Facebook". -

Parece que houve uma mudança na estratégia de comunicação. Foi isso que um amigo disse depois de ver as atuações do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais em defesa da reforma da Previdência. A questão é se isso vai durar e gerar a mobilização esperada.

Depois de um longo silêncio nas redes, Bolsonaro usou sua conta no “Twitter” e uma live no “Facebook” para falar da importância da reforma, destacar que se busca acabar com privilégios e que apesar de o Parlamento ser soberano, não espera que o texto enviado ao Congresso seja muito desidratado.

Nesta sexta-feira, o presidente também já tuitou sobre o tema. Ele repassou a seus seguidores um vídeo do deputado federal Vinicius Poit, do partido Novo de São Paulo, no qual o deputado desmarcara algumas “fake news” sobre a reforma, como que a cobrança de dívidas resolveria o problema e que os mais pobres é que “pagariam o pato”. Poit também deixa claro que quem atua contra a reforma são os sindicatos e associações da elite do funcionalismo público. Poit agradeceu a publicação.

Os filhos do presidente também entraram em ação e usaram suas contas em defesa da reforma. O vereador Carlos falou em “cobrar firmemente o Congresso” para que as regras que extinguem privilégios não sejam mudadas. Em outro tuíte ele diz que “gostaria de ver outros políticos tendo o mesmo afinco, principalmente os eleitos exclusivamente graças ao Presidente Bolsonaro!” na defesa da proposta.

O deputado Federal Eduardo usou o Chile como exemplo, falando que o país fez sua reforma nos anos 1980 e viu redução de pobreza e aumento da renda per captada. Flávio não tuitou sobre o tema, mas na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), na semana passada, defendeu o texto.

A batalha da comunicação é ponto crucial na reforma, tanto que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) fala sobre o tema desde seus primeiros pronunciamentos. Foi dele que partiu um pedido para que Bolsonaro usasse sua capacidade de mobilização nas redes para vencer as mentiras que falam sobre a reforma.

As redes sociais foram uma alavanca importante na eleição do presidente. Mas as emoções afloradas por uma disputa eleitoral despertam com muito mais facilidade o ódio e o medo, sentimentos que foram instigados ao limite durante a campanha e têm grande capacidade de mobilização.

Mas com um tema como reforma da Previdência, que terá custos concentrados em alguns grupos, justamente aqueles com maior capacidade de mobilização, e benefícios difusos por toda a sociedade, fica mais difícil convencer as pessoas a brigar pela reforma até em mesa de bar.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DIA AGITADO

Dividendos: em meio a polêmica na CPI, Hapvida (HAPV3) paga JCP aos acionistas

Depois de dia agitado com citação de diretor da empresa na CPI da pandemia, Hapvida encerrou a quarta-feira com anúncio de pagamento de JCP

Ivan Sant'Anna

Bitcoin ou ouro? A verdadeira reserva de valor que você precisa ter entre os seus investimentos

Quando alguém fala em reserva de valor, deve ter em mente que se refere a ativos cotados na moeda do país em que o investidor vive, ganha e gasta.

Polêmica

Reserva de emergência e aplicações de curto prazo: CDB 100% do CDI pode ser melhor que Tesouro Selic?

Com a Selic mais alta, vale a pena voltar a discutir qual a opção ideal para a reserva de emergência; e, nesse sentido, os CDBs que pagam 100% do CDI com liquidez diária podem sim ser uma boa pedida

De volta ao jogo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 6,25%

Renda fixa “voltou ao jogo”, mas ainda não dá para ficar rico. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

entrevista

BC briga para recuperar a credibilidade e poderia ter acelerado alta da Selic, diz economista-chefe da gestora Garde

Para Daniel Weeks, BC passou mais tempo do que o necessário com a sinalização de que manteria taxa de juros muito baixas; ele avalia que aumento poderia ter sido de 1,25 ponto e que discussão sobre fim do ciclo de ajustes ainda não acabou

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies