Menu
2019-05-27T19:03:13-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
voz das ruas

Após manifestações, Bolsonaro pede pacto pelo Brasil

Mensagem foi transmitida pelo porta-voz da Presidência da República, que também afirmou que presidente está otimista com o avanço da agenda de reformas

27 de maio de 2019
18:55 - atualizado às 19:03
Jair Bolsonaro
Imagem: Marcos Corrêa/PR

O porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro classifica as manifestações ocorridas domingo como um movimento espontâneo e um sinal de que a sociedade não perdeu as esperanças de que seus anseios serão escutados pelos dirigentes do país.

“Essa voz das ruas não pode ser ignorada, é hora de retribuirmos esse sentimento. O que devemos fazer, agora, é um pacto pelo Brasil. Estamos todos no mesmo barco e juntos podemos mudar esse país”, disse Bolsonaro, em mensagem lida pelo porta-voz.

Essa ideia de pedir um pacto, envolvendo os demais Poderes e a sociedade, tinha surgido em entrevista que o presidente concedeu, na noite de ontem, à rede “Record”. Na entrevista, o presidente também disse que não está em litígio com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e que vai buscar conversar mais com os deputados.

Segundo Barros, a ideia é ter um pacto para conformar todos os Poderes e a sociedade para ultrapassar os obstáculos do ambiente político e alcançar a “bandeira final”, que é o bem-estar da sociedade.

Mais cedo, em seu “Twitter”, o presidente já tinha falado que as manifestações foram históricas e que não poderiam ser ignoradas.

MP 870

O porta-voz também falou que o presidente mantém a orientação dada na semana passada para que a MP 870, que faz a reforma administrativa do governo, mas tirou o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do ministro da Justiça, Sergio Moro, seja aprovada pelo Senado da forma como veio da Câmara.

Ele foi questionado sobre a postura do líder do PSL no Senado, major Olímpio, que reafirmou, hoje, a disposição de tentar mudar o texto para que o órgão de prevenção à lavagem de dinheiro fique com Moro.

A matéria será apreciada amanhã, no Senado, e se o texto for alterado terá de voltar a ser analisado na Câmara, correndo o risco de perder a validade. Se isso ocorrer, a estrutura de governo voltaria a ter 29 ministérios.

Sobre esse assunto, o porta-voz disse que Bolsonaro confia plenamente na condução do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para que “os eventos possam ser o mais prontamente possível afirmados”.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Realização brusca?

Com uma alta de mais de 800% no ano, ações da Fertilizantes Heringer recuam 40% em um único dia

A companhia, que se encontra em recuperação judicial, já subiu mais de 800% só neste ano

Oscar do jornalismo

Victor Aguiar, repórter do Seu Dinheiro, é indicado ao prêmio Comunique-se; saiba como votar

O repórter Victor Aguiar, do Seu Dinheiro, é um dos dez indicados na categoria “Economia- mídia escrita” do prêmio Comunique-se

Nova rodada

Auxílio emergencial será prorrogado por mais três meses, afirma Guedes

O benefício será estendido até outubro nos mesmos valores atuais, com parcelas de R$ 150 a R$ 375 que contemplam cerca de 39 milhões de brasileiros

MERCADOS HOJE

De olho na vacinação, Ibovespa reduz alta e perde os 130 mil pontos, mas dólar segue em queda de 1%

Aceleração da vacinação é bem recebida pelo mercado, que aposta em uma recuperação econômica mais robusta

Ajudanda externa

Banco Centroamericano de Integração Econômica irá ajudar El Salvador a implementar bitcoin

Em entrevista coletiva, Mossi acrescentou que o banco também trabalhará com o ministério das finanças e o banco central de El Salvador para selecionar uma equipe para trabalhar na implementação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies