Menu
2019-07-11T10:29:26-03:00
Como ficam as emendas?

Orçamento federal pode ter um novo bloqueio este mês

Deputados veteranos, com ampla experiência em assuntos orçamentários, têm alertado os mais novos de que a promessa do governo é de difícil execução diante do aperto fiscal

4 de julho de 2019
11:47 - atualizado às 10:29
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

Apesar da promessa do Palácio do Planalto de garantir R$ 20 milhões de emendas para cada parlamentar em troca de votos para a aprovação da reforma da Previdência, o governo deverá ser obrigado a fazer um novo bloqueio de despesas do Orçamento no próximo dia 22. É quando o governo fará a revisão bimestral das previsões de receitas e despesas para garantir o cumprimento da meta fiscal.

Segundo apurou o Estado, o novo bloqueio torna ainda mais difícil o cumprimento da promessa de pagamento de emendas. Esse compromisso ganhou força no Congresso depois que o Palácio abriu o sistema de cadastro de emendas para os parlamentares direcionarem verbas para as obras de interesse.

A abertura do sistema ajudou a melhorar a articulação política com os partidos do Congresso, mas agora a preocupação é garantir os recursos e evitar um descontentamento maior dos parlamentares nessa reta final de votação da proposta na Comissão Especial.

Fontes da área econômica ouvidas pela reportagem admitem que não “existe dinheiro” no momento para bancar as promessas. Qualquer redirecionamento de recursos para atender às demandas dos parlamentares será uma decisão política que exigirá um corte maior em outras áreas do governo que sofrem com o contingenciamento de R$ 30 bilhões já realizado. Esse aperto nas despesas pode levar a máquina administrativa a um “apagão” até o fim do ano, se não houver melhora do cenário atual.

Deputados veteranos, com ampla experiência em assuntos orçamentários, têm alertado os mais novos de que a promessa do governo é de difícil execução diante do aperto fiscal. Interlocutores do governo também vêm reforçando esse discurso para evitar uma frustração maior à frente das demandas dos parlamentares.

Descumprimento

A preocupação adicional é que a equipe econômica ainda não cumpriu o acordo feito com o Congresso, em junho, para aprovar o crédito suplementar de R$ 248,9 bilhões para cumprir a chamada “regra de ouro”. Prevista na Constituição, essa regra impede o governo federal de se endividar para pagar despesas obrigatórias, como Previdência Social e benefícios assistenciais.

Para garantir a votação, o governo selou um acordo que vai desbloquear R$ 1 bilhão para o Minha Casa Minha Vida (que já havia recebido recursos no primeiro semestre, mas corria novo risco de paralisação nos próximos meses) e mais R$ 1 bilhão para o custeio de universidades. Além disso, foram prometidos R$ 550 milhões para a transposição do Rio São Francisco e R$ 330 milhões para bolsas de pesquisas ligadas ao Ministério de Ciência e Tecnologia, áreas estranguladas pelo forte aperto orçamentário. Nada disso foi cumprido ainda.

Segundo apurou o Estado, o cenário de novo contingenciamento é o mais provável porque o governo terá novamente de revisar a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,6% para 0,8% este ano. Com a revisão do PIB, a Receita terá de refazer o impacto na arrecadação de impostos e contribuições federais. Esse trabalho de “rodar” as previsões ainda não foi feito pela área técnica. Por isso, não se sabe o tamanho que o novo bloqueio poderá ter.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Agenda de resultados

Em clima de Carnaval, Ambev divulga balanço anual nesta semana; veja o que esperar dos números

Cervejaria tem tudo para entregar resultados mais positivos em 2019, após sofrer com números fracos e a maior concorrência nos últimos anos

Acesso liberado

Os segredos da bolsa: ações para não ficar de ressaca na quarta-feira de cinzas

Enquanto a bolsa está fechada para o Carnaval, fique atento ao desempenho dos ADRs de companhias brasileiras nos EUA — eles darão uma pista importante sobre como será a reabertura das negociações por aqui, na quarta-feira

Clima tenso na política

Bolsonaro ainda não respondeu carta dos governadores, diz Doria

Mandatários estaduais acusam o presidente de dar declarações que ferem a democracia brasileira

Planejando o futuro

3 erros que você deve evitar ao planejar seus investimentos para aposentadoria

Fique de olho pois nesse longo caminho existem algumas ciladas que muita gente acaba caindo

Os movimentos do magnata

Warren Buffett vendeu mais de US$ 800 milhões em ações da Apple no último trimestre. Mas o que isso significa?

Conheça algumas razões para que esse volume de ações da Apple tenha saído das mãos de um dos maiores investidores do mundo

Oportunidade como poucas

‘Brasil tem potencial para ser líder em finanças verdes’, afirma presidente do UBS

Sylvia Coutinho afirma que o país pode conseguir atrair investimentos externos se souber aproveitar essa oportunidade

Produção de biogás

O ‘pré-sal caipira’: a energia que vem da criação de porcos

Dejetos dos suínos se tornaram matéria-prima para a produção de biogás

Climão no governo

Bolsonaro afirma que ‘implodiu’ Inmetro por ‘excesso de zelo’ em regra para táxis

Conflito acabou levando para a demissão da presidente do órgão, Angela Flores

IPOs no radar

Com impulso de médias empresas, bolsa pode movimentar R$ 200 bilhões

Marcas conhecidas e empresas regionais estão buscando assessoria financeira ou até já protocolaram pedido para o IPO

Epidemia mundial

Número de infectados por coronavírus no mundo passa de 78,5 mil

Do total, 77.027 foram diagnosticados somente na China

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements