Menu
2019-06-03T11:30:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
pit-stop

Alckmin anuncia pausa e diz que governo atrapalha a reforma da Previdência

Ex-governador Geraldo Alckmin falou, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, que fará um “pit-stop” na carreira política; para ele, o Executivo atual não tem agenda

3 de junho de 2019
11:28 - atualizado às 11:30
Presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) posa para foto antes de debate do SBT
O ex-governador de São Paulo disse que "não tenho nada de pessoal contra ele [o presidente Jair Bolsonaro]", mas que vê o oportunismo de querer se estigmatizar as instituições. - Imagem: Marcelo Chello/Seu Dinheiro

Derrotado nas eleições presidenciais ainda no primeiro turno, o ex-governador Geraldo Alckmin anunciou que fará um "pit-stop" na carreira política. O tucano falou ao jornal Folha de S. Paulo, em entrevista publicada nesta segunda-feira, 3.

Alckmin ainda disse que o governo indiretamente atrapalha a reforma da Previdência. Para ele, o Executivo não tem agenda, a não ser voltar com a CPMF. "Temos 13,2 milhões de desempregados, cadê a agenda de produtividade? [...] Cadê a reforma tributária, fiscal?", disse ao jornal em determinado trecho da entrevista.

O ex-governador de São Paulo disse que "não tenho nada de pessoal contra ele [o presidente Jair Bolsonaro]", mas que vê o oportunismo de querer se estigmatizar as instituições. Para ele, a democracia brasileira já deu provas de muita resistência.

"A melhor forma de fortalecê-la é com reformas, e a reforma política é parte importante", disse o político, que defende o sistema distrital misto. "E, no futuro, o parlamentarismo".

Mas, para ele o parlamentarismo não é uma opção enquanto não for feita a reforma política. "A sorte é que o [Rodrigo] Maia [presidente da Câmara] defende as reformas", falou.

Bens bloqueados

Alckmin foi também questionado pela reportagem sobre seus bens, que foram bloqueados por decisão da Justiça, em investigação sobre repasses não declarados da Odebrecht para a campanha de 2014.

Ele falou que isso é natural da vida pública e que "às vezes, há, num primeiro momento, sentimento de injustiça, e para isso existe o Judiciário, para corrigir".

Apesar disso, afirmou que não existe cabimento de entrar com ação de improbidade. "Fui prefeito aos 24 anos. Hoje tenho 66, um apartamento de dois quartos e um sítio de cinco alqueires em Pindamonhangaba. Mais nada", disse ao jornal.

Ele lembrou que abriou mão da aposentadoria especial e disse que vive de R$ 5.000 do INSS. "Se há um cuidado que eu sempre tive é o ético. Agora, pode ter questionamento? Pode. É explicar".

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Ao vivo

Líderes do PSDB e Podemos orientam partidos a votarem contra a MP da Eletrobras; acompanhe a análise no Senado

A Medida Provisória (MP) que viabiliza a privatização da Eletrobras é analisada pelo Senado nesta quinta-feira (17)

Novela sem fim

Senadores articulam aprovação da MP da Eletrobras sem os ‘jabutis’ polêmicos, mas fazem novas adições ao texto

Os senadores sabem, no entanto, que essa alternativa pode não ser bem sucedida e que a Câmara vai resgatar os trechos retirados

Parlamentares furiosos

CPI suspende trabalhos pede condução coercitiva do empresário Carlos Wizard

Wizard é apontado como um dos integrantes de um suposto “gabinete paralelo” de aconselhamento ao governo para ações de combate à pandemia

Sobre shoppings e alianças

Como “compra por vingança”, casamentos adiados e bebês podem beneficiar a Vivara

Ao reafirmar recomendação de compra, XP explica como retomada de planos familiares e a vontade de consumir vão beneficiar a produtora de joias

Indenização ao governo

Ford deve pagar R$ 2,5 bilhões ao governo da Bahia

O acerto deve ser anunciado nos próximos dias, segundo fontes dos setores automotivo e jurídico

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies