Menu
2019-04-04T11:48:19-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

O fantasma da rejeição volta a assombrar Bolsonaro – atenção para bolsa e dólar

Segundo a pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira, 24, o candidato do PSL viu suas intenções de voto estagnarem e sua rejeição subir novamente

24 de setembro de 2018
19:36 - atualizado às 11:48
Fantasma
Rejeição a Bolsonaro é maior do que a observada antes do atentado sofrido pelo candidato - Imagem: Shutterstock

O cenário das eleições presidenciais trouxe novidades nesta segunda-feira e pode voltar a balançar os mercados no pregão de amanhã, 25. Depois do BTG Pactual registrar a estagnação de Jair Bolsonaro (PSL) com 33% das intenções de voto e a alta de Fernando Haddad (PT) para 23%, foi a vez do Ibope divulgar seus números e confirmar essas duas tendências.

Segundo a pesquisa divulgada na noite de hoje, 24, Bolsonaro manteve os mesmo 28% das intenções de voto apurados no levantamento anterior, enquanto Haddad cresceu de 19% para 22%. Ciro Gomes (PDT) segue com 11% e Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou dentro da margem de erro, de 7% para 8%.

Veja os números:

Jair Bolsonaro (PSL): 28%
Fernando Haddad (PT): 22%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (Rede): 5%
João Amoêdo (Novo): 3%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Branco/nulos: 12%
Não sabe/não respondeu: 6%

Bolsonaro tem salto na rejeição

Outra notícia ruim para o candidato do PSL é a volta do fantasma da rejeição. O percentual de pessoas que não votariam nele de jeito nenhum saltou de 42% para 46%. O índice atual é maior inclusive do que o observado antes do atentado sofrido por Bolsonaro em 6 de setembro, quando tinha 44% de reprovação. No lado petista, Haddad também viu sua rejeição subir, de 29% para 30%.

Veja todos os números:
Bolsonaro: 46%
Haddad: 30%
Marina: 25%
Alckmin: 20%
Ciro: 18%
Meirelles: 11%
Cabo Daciolo: 11%
Eymael: 11%
Boulos: 11%
Vera: 10%
Alvaro Dias: 9%
Amoêdo: 9%
João Goulart Filho: 9%
Poderia votar em todos: 2%
Não sabe/não respondeu: 7%

Segundo turno

Apesar de líder nas pesquisas de intenção de voto para o primeiro turno, Bolsonaro não consegue superar nenhum adversário no segundo. Se a segunda etapa da disputa fosse hoje, ele perderia para Haddad, Ciro e Alckmin, além de só empatar com Marina.

Em um eventual confronto entre Haddad e Bolsonaro, o candidato do PT tem 43% das intenções de voto e o deputado fluminense apresenta 37%. No levantamento anterior, divulgado pelo Ibope no último dia 18, os dois estavam numericamente empatados, com 40% das intenções cada um.

Além de Haddad, Bolsonaro também perde para Ciro em uma simulação de segundo turno. Se houvesse uma disputa entre os dois, o pedetista venceria Bolsonaro por 46% a 35%. Há uma semana, havia empate técnico no confronto: Ciro tinha 40% contra 39% do candidato do PSL.

Alckmin também supera Bolsonaro na simulação de segundo turno. O tucano tem 41% contra 36% do capitão da reserva. Na pesquisa divulgada dia 18, os dois tinham o mesmo porcentual no cenário: 38%.

Após superar Marina Silva em uma simulação de segundo turno na semana passada (41% a 36%), o candidato do PSL agora empata com a candidata da Rede: 39% a 39%.

Sobe e desce no mercado

Os investidores seguem muito sensíveis a qualquer novidade sobre as eleições. Durante todo o pregão de segunda-feira se mostraram apreensivos com relação aos números do Ibope que sairia no fim do dia. O medo era de que candidaturas menos comprometidas com a agenda de reformas, como a do PT de Haddad e do PDT de Ciro, confirmassem a força mostrada na pesquisa do BTG.

Como o Ibope não apenas ratificou a tendência como mostrou cenários ainda piores no segundo turno, a expectativa é de que o mau humor volte a dominar os negócios nesta terça-feira.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Exile on Wall Street

Por que você está lendo isso?

O falso e platônico herói modelista era economista de um grande banco lá pelo final dos anos 1980, começo dos 1990.

Retomada

IPC-Fipe acelera e sobe 0,86% na 2ª quadrissemana de janeiro (+0,79% na primeira)

Por outro lado, dois componentes perderam força ou aprofundaram leituras no território negativo: Alimentação e Despesas Pessoais (de um recuo de 0,39% para uma queda de 0,79%).

alta de mais de 8%

Olha quem apareceu! Jack Ma participa de evento e ações da Alibaba sobem

Paradeiro do bilionário chinês é motivo de especulações após ele não aparecer em público desde que fez críticas ao governo chinês

o melhor do seu dinheiro

Bolsonaro: muitas caneladas e um gol

pandemia da covid-19. Erramos ao minimizar a gravidade do novo coronavírus e na falta de articulação na negociação para a compra de vacinas. Para Jair Bolsonaro, a fatura é cobrada na queda da popularidade. A avaliação negativa do governo superou a positiva pela primeira vez desde julho do ano passado, de acordo com a pesquisa […]

Esquenta dos mercados

Mercado amanhece agitado com posse de Biden, Copom e pandemia

Para você querido investidor que ama um “econoflix”, hoje é dia de pegar a pipoca e acompanhar estes eventos.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies