Menu
2018-10-03T19:55:45-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Eleições 2018

Novo Ibope mostra Bolsonaro e Haddad isolados na liderança da corrida presidencial

Candidato do PSL oscilou um ponto para cima e chegou a 32%; petista oscilou dois pontos e foi a 23%. Haddad voltou a liderar no segundo turno e isso pode afetar humor dos mercados

3 de outubro de 2018
19:13 - atualizado às 19:55
haddad-bolsonaro
Bolsonaro e Haddad ampliaram vantagem em relação aos demais candidatos - Imagem: Flickr/Fotos Públicas

O cenário de intenção de voto para presidente é o único assunto que interessa para o mercado nesta semana. E na bateria de levantamentos, o Ibope divulgou novos números para a corrida ao Planalto.

Os resultados mostraram que Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) ampliaram a sua vantagem em relação ao segundo pelotão. O candidato do PSL oscilou um ponto para cima enquanto o petista oscilou dois para cima. A primeira reação do mercado o não foi boa, já que os recibos de ações brasileiras negociadas em Nova York operavam em baixa no "after hours". O iShare MCSI Capped ETF (EWZ) caia cerca de 2%, depois de fechar o pregão regular com alta de 3,2%.

Veja os números completos do Ibope:

Jair Bolsonaro (PSL): 32%
Fernando Haddad (PT): 23%
Ciro Gomes (PDT): 10%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
Marina Silva (Rede): 4%
João Amoêdo (Novo): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Alvaro Dias (Podemos): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
Guilherme Boulos (PSOL): 0%
Eymael (DC): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Branco/nulos: 11%
Não sabe/não respondeu: 6%

A pesquisa também trouxe a contagem de votos válidos, descontando os Brancos, Nulos e Indecisos. Esse levantamento confirmou que as chances de Bolsonaro liquidar a disputa já no primeiro turno seguem baixas, embora não se descarte essa possibilidade.

Votos válidos

Jair Bolsonaro (PSL): 38%
Fernando Haddad (PT): 28%
Ciro Gomes (PDT): 12%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (Rede): 4%
João Amoêdo (Novo): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Cabo Daciolo (Patriota): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%

De acordo com o Ibope, o nível de confiança da pesquisa é de 95%. Na prática isso significa que há 95% de chance de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos. Dessa vez foram ouvidos 3.010 eleitores em todo o país entre os dias 1º e 2 de outubro.

Bolsonaro perde espaço no 2º turno

Foram feitas quatro simulações para o segundo turno com os cinco candidatos mais bem posicionados na primeira etapa da disputa.

Em relação ao levantamento anterior do Ibope, Bolsonaro perdeu espaço na disputa com Ciro e Haddad. Na pesquisa de segunda-feira, o candidato do PSL aparecia empatado com o petista e agora aparece dois pontos atrás. Já a vantagem de Ciro aumentou.

Veja os números:

Haddad 43% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 12%; não sabe: 3%)
Ciro 46% x 39% Bolsonaro (branco/nulo: 13%; não sabe: 3%)
Alckmin 41% x 40% Bolsonaro (branco/nulo: 16%; não sabe: 3%)
Bolsonaro 43% x 39% Marina (branco/nulo: 16%; não sabe: 2%)

Rejeições a Haddad e Bolsonaro recuam

Os líderes de rejeição nas eleições viram seus índices de desaprovação recuarem de forma discreta. Bolsonaro agora é rejeitado por 42% da população, enquanto Haddad é rejeitado por 37%.

Confira os números:

Bolsonaro: 42%
Haddad: 37%
Marina: 23%
Alckmin: 17%
Ciro: 16%
Meirelles: 10%
Cabo Daciolo: 9%
Eymael: 8%
Boulos: 8%
Vera: 8%
Alvaro Dias: 8%
Amoêdo: 7%
João Goulart Filho: 6%
Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 3%
Não sabe: 7%

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Painel com gestores

Stuhlberger vê bolha se formando na bolsa, mas segue aplicado

Lendário gestor da Verde Asset diz que “olha porta de saída” da bolsa, mas vê boas perspectivas com avanço do PIB de consumo

olho nos números

Taxa do cheque especial cai para 302,5% em dezembro

Desde julho de 2018, os bancos estão oferecendo um parcelamento para dívidas no cheque especial. A opção vale para débitos superiores a R$ 200.

balanço

Crise do 737 Max faz Boeing ter o primeiro ano de prejuízo desde 1997

Empresa perdeu US$ 636 milhões em 2019, após apresentar prejuízo de US$ 1,01 bilhão no quarto trimestre – analistas esperavam por lucro de US$ 636 milhões no período

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Expectativa

Ibovespa cai e acompanha a cautela global antes da decisão de juros nos EUA; dólar sobe a R$ 4,20

Sem tirar o coronavírus do radar, o Ibovespa acompanha o exterior e opera em leve alta, aguardando o parecer do Federal Reserve em relação à taxa de juros nos EUA

no balanço

Santander Brasil tem lucro de R$ 14,5 bilhões em 2019, e aumenta a participação nos ganhos do grupo

Filial brasileira divulgou resultados do quarto trimestre; lucro chegou a R$ 3,7 bilhões, avançando 9,49%; retorno sobre patrimônio bate 21,3%

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

A elite financeira do país se reúne em um evento do banco Credit Suisse para discutir a economia. Um dos sócios de uma das gestoras mais renomadas do país disse que a maioria das ações do Ibovespa está cara. Nos mercados, as atenções se dividem entre o avanço do coronavírus e a decisão de hoje do Federal […]

auditoria da auditoria?

Bolsonaro vê ‘coisa esquisita’ no BNDES e Montezano deve se explicar nesta quarta

Banco gastou R$ 48 milhões em auditoria; atual presidente autorizou aditivo do contrato inicial

Esquenta dos mercados

Em compasso de espera por decisão do Federal Reserve, bolsas ensaiam mais um dia de recuperação

Coronavírus continua trazendo cautela aos mercados, mas as bolsas tentam engatar mais um dia de recuperação

pode não acontecer

Auditoria em contrato com a Odebrecht pode ser abortada

Após a auditoria do BNDES nas operações da JBS apontar inexistência de indícios de irregularidade e gastar R$ 48 milhões, avaliação é que “não faz mais sentido” gastar recursos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements