Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-18T06:24:44-03:00
Olivia Bulla
Olivia Bulla
Olívia Bulla é jornalista, formada pela PUC Minas, e especialista em mercado financeiro e Economia, com mais de 10 anos de experiência e longa passagem pela Agência Estado/Broadcast. É mestre em Comunicação pela ECA-USP e tem conhecimento avançado em mandarim (chinês simplificado).
A Bula do Mercado

Mercado em pausa reavalia cenário

Agenda econômica fraca do dia abre espaço para investidor reavaliar cenário, após fim das incertezas sobre guerra comercial e Brexit

18 de dezembro de 2019
5:17 - atualizado às 6:24
pausa
Ativos de risco aproveitam pausa para recompor fôlego

O mercado financeiro deve aproveitar a pausa na agenda econômica hoje para recompor o fôlego, após a recente esticada nos ativos de risco, na esteira do fim das incertezas sobre a guerra comercial e o Brexit. Os investidores aproveitam para reavaliar o cenário para 2020, diante das perspectivas de melhora no crescimento econômico global.  

A fase um do acordo entre Estados Unidos e China levou muitas instituições financeiras a revisarem marginalmente para cima suas estimativas para o PIB mundial no ano que vem. Contudo, os investidores ainda mostram cautela em relação ao progresso da negociação comercial em direção às próximas etapas, após o cessar-fogo recente. 

Da mesma forma, as idas e vindas na novela britânica trazem dúvidas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) no fim de janeiro. Por aqui, o Comitê de Política Monetária (Copom) ficou em cima do muro, dividido entre projeções ainda confortáveis para a inflação e uma postura mais cautelosa na condução da Selic - sem indicar se cabem novos cortes ou se o ciclo já chegou ao fim.

Tudo vai depender, então, do ritmo da atividade real, em meio aos sinais crescentes de acúmulo de pressão inflacionária - via o mercado de crédito e o choque de preços. Diante de um Copom menos afável, a curva a termo de juros futuros recompôs prêmios, ao passo que o dólar orbitou ao redor de R$ 4,05 e o Ibovespa cravou o 35º recorde histórico de fechamento do ano. 

Hoje, os negócios locais podem até ensaiar uma correção, diante do sinal negativo que tenta prevalecer entre os índices futuros das bolsas de Nova York. Na Ásia, a sessão foi de leves baixas, sendo que Tóquio caiu um pouco mais (-0,55%). As principais bolsas europeias também amanheceram ligeiramente no vermelho. 

Nos demais mercados, destaque para o yuan (renminbi), que cai após o Banco Central chinês (PBoC) injetar US$ 29 bilhões em liquidez no sistema financeiro no curto prazo e reduzir a taxa de recompra reversa de 14 dias de 2,70% para 2,65%. Já a taxa mais curta, de 7 dias, foi mantida em 2,5%.

O dólar, por sua vez, ganha terreno em relação aos rivais, com a mais recente rodada de indicadores norte-americanos elevando a confiança sobre a saúde da economia dos EUA. A postura do Federal Reserve, de que deve manter os juros baixos por um tempo, também ajuda a estabilizar o dólar. Já o petróleo cai, mas o preço do barril segue acima de US$ 60. 

Agenda faz uma pausa

A agenda econômica desta quarta-feira está sem grandes destaques. No Brasil, sai a segunda prévia de dezembro do IGP-M (8h) e os dados parciais sobre a entrada e saída de dólares do país, o chamado fluxo cambial (14h30). 

Lá fora, o calendário norte-americano traz apenas os estoques semanais de petróleo bruto e derivados no país (12h30). Pela manhã, na Europa, serão conhecidos vários índices de preços na Alemanha e no Reino Unido, além da leitura final da inflação ao consumidor (CPI) na zona do euro em novembro e do índice alemão IFO sobre a confiança do empresariado. 

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

FINAL DE ANO TURBINADO

Cosan (CSAN3) vai pagar R$ 700 milhões em dividendos e você tem apenas mais uma semana para garantir a bolada; entenda

O pagamento deverá cair na conta dos acionistas até o dia 28 de novembro; veja o que é preciso fazer para ter direito ao montante

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa emplaca mais um dia de alta, Brasil se destaca entre os países mais desiguais do mundo e surge uma nova estrela no mundo cripto; confira os principais destaques do dia

Depois de livrar o Ibovespa de muitos apuros no primeiro semestre e sustentar o índice no azul mesmo diante dos problemas político-fiscais e econômicos enfrentados pelo país, a alta histórica do minério de ferro se transformou em um movimento de queda livre. Não por acaso, nos últimos meses a bolsa brasileira renovou as mínimas do […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa aproveita alta das commodities e do mercado internacional para emplacar quarto pregão de alta; dólar recua mais de 1%

O alívio com a variante ômicron e a calmaria no noticiário político ajudam o Ibovespa a buscar recuperação na reta final de 2021

Oportunidade animal

Seu bichinho de estimação pode render na bolsa: Petz (PETZ3) vai acelerar aquisições após oferta de ações

Depois de colocar R$ 700 milhões no bolso, a empresa tem uma série de ativos sendo analisados, segundo o fundador e presidente da empresa, Sergio Zimerman

EXPORTAÇÕES MAIS CARAS

Gasolina mais barata? Projeto de lei quer estabilizar preço dos combustíveis; medida não assusta e ações da Petrobras (PETR4) sobem

Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou, nesta terça-feira, projeto de lei estabelecendo alíquotas mínimas para o imposto de exportação que incide sobre o petróleo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies