🔴 PRIO3 E +9 AÇÕES PARA COMPRAR AGORA – ASSISTA AQUI

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Moção de desconfiança vencida

Theresa May livra sua cabeça da degola e convoca nova negociação para um acordo do Brexit

Parlamento britânico salva novamente a cabeça da premiê um dia após uma derrota histórica do governo sobre o acordo do Brexit

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
16 de janeiro de 2019
18:04 - atualizado às 19:02
Theresa May, primeira-ministra do Reino Unido
May afirmou que seu governo voltará ao Parlamento na segunda-feira com uma nova proposta de acordo para o Brexit - Imagem: Shutterstock

Salva mais uma vez! Um dia depois de sofrer uma grande derrota no Parlamento do Reino Unido, a primeira-ministra britânica, Theresa May, venceu nesta quarta-feira, 16, a moção de desconfiança protocolada contra seu governo.

No total, foram 325 votos favoráveis a May e 306 contra. A vitória de hoje foi bem mais apertada do que o resultado da última moção protocolada contra a premiê, em dezembro do ano passado. Na ocasião, May venceu o processo por 200 votos a 117.

De acordo com a mídia local, a vitória da premiê foi movida mais pela estratégia do Partido Conservador em se garantir no governo do que propriamente uma iniciativa de proteção a May.

Seguindo em frente

Minutos depois o resultado, May afirmou que seu governo voltará ao Parlamento britânico na segunda-feira, 21, com uma nova proposta de acordo para o Brexit. A versão antiga, apresentada ontem por ela, foi rejeitada pelos parlamentares por uma margem histórica (432 votos contra e 202 a favor)

A chefe britânica também convidou líderes partidários a se reunirem com ela já na noite de hoje. O líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, também fez um pronunciamento após o resultado da moção, afirmando que o governo "deve remover a possibilidade de um Brexit sem acordo".

O principal entrave para o acordo do Brexit está no chamado backstop, uma cláusula de proteção em relação à fronteira irlandesa. Esse mecanismo funcionaria como uma salvaguarda para impedir a colocação de uma fronteira física entre a Irlanda - membro da União Europeia - e a Irlanda do Norte após o divórcio dos britânicos com a UE.

Soft May?

Após a tempestade que durou 24 horas, a aposta agora é de que May deve baixar o tom nas negociações com o Parlamento. A avaliação é da equipe de analistas da Continuum Economics, que publicaram uma nota dizendo que "os comentários de May antes do voto de desconfiança não sugeriram muita flexibilidade, mas ela pode ter um pouco mais agora que sobreviveu".

Em seu discurso pós-moção, a premiê disse que quer conversar com os líderes dos outros partidos, que não apenas o seu Conservador, para preparar o Plano B para o Brexit. A principal aproximação deve se dar com o Partido Trabalhista, mas, para receber o apoio da oposição, ela provavelmente teria que concordar em permanecer na união aduaneira e abandonar uma grande parte do seu próprio partido.

Próximos passos

Pelo cronograma, o Brexit deve ser consumado às 23 horas de 29 de março deste ano. Faltam, portanto, apenas 10 semanas para se esgotar o prazo legal da retirada e uma série de incertezas e caminhos possíveis pela frente. Entre todas as possibilidades, há até mesmo a de a separação nem ocorrer. O que o mercado financeiro gostaria de ouvir é que um consenso de última hora poderá ser alcançado a qualquer instante.

*Com Estadão Conteúdo.

Compartilhe

Reino Unido ameaça revisão em termos do Brexit e alimenta temores de guerra comercial; fique por dentro da visita de Boris Johnson à Irlanda do Norte

16 de maio de 2022 - 19:07

Divergências entre diferentes unionistas e nacionalistas na Irlanda do Norte pode acabar afetando relação entre Reino Unido e União Europeia

ÂNIMO PARA OS MERCADOS

Reino Unido e União Europeia fecham acordo comercial pós-Brexit

24 de dezembro de 2020 - 13:05

O acordo era esperado pelos mercados e trouxe otimismo para as bolsas da Europa e dos Estados Unidos na véspera do Natal.

brexit

Boris Johnson diz que irá em frente caso não haja acordo com União Europeia

7 de setembro de 2020 - 13:18

Primeiro-ministro britânico afirmou que bloco e Reino Unido devem “seguir em frente” caso não cheguem a um acordo de livre comércio até 15 de outubro.

Impasse nas negociações

Negociador do Brexit diz que Reino Unido não teme deixar UE sem acordo comercial

6 de setembro de 2020 - 14:12

David Frost afirmou que britânicos não temem deixar o bloco sem acordo comercial caso a UE não ceda em questões importantes.

O EFEITO DA PANDEMIA

Covid-19 é fonte de incertezas muito maiores que Brexit, diz presidente do BoE

20 de maio de 2020 - 14:50

“Estamos acompanhando de perto os desdobramentos do Brexit”, garantiu, durante audiência virtual no Parlamento.

Seu mentor de investimentos

Por que acho que o Brexit vai dar certo

7 de março de 2020 - 14:27

Tenho a impressão de que os estrangeiros que já estão aqui vão ficar. Assim como vão permanecer no continente europeu os britânicos que já estão lá

enfim a saída

Após 47 anos de aliança, Reino Unido deixa União Europeia

1 de fevereiro de 2020 - 10:40

Apoiadores se reuniram nesta sexta-feira na praça do Parlamento, na zona central de Londres, para comemorar a saída do bloco econômico

em davos

Guedes diz que vê acordo entre Brasil e Reino Unido após Brexit

23 de janeiro de 2020 - 8:19

Perspectiva do ministro leva em conta que, na Europa, o país é um dos que têm menos resistência e barreiras a produtos e serviços

discurso

Rainha Elizabeth II diz que prioridade do governo é entregar o Brexit

19 de dezembro de 2019 - 10:54

Ela também ressaltou a importância de se buscar um acordo comercial com a União Europeia, após a saída do Reino Unido do bloco

De olho no futuro

Itaú BBA volta a Lisboa, de olho no Brexit

18 de dezembro de 2019 - 7:50

Segundo fontes ouvidas pelo Estadão, Lisboa será uma divisão complementar do Itaú de Londres. Não há perspectiva de transferência de sede de uma capital para outra.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies