Menu
2019-10-29T10:17:45-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
novela do brexit

Primeiro-ministro britânico vai propor eleições gerais

Tentativa de quebrar o impasse em torno do Brexit surge um dia depois de os membros do Parlamento terem rejeitado eleições gerais para o dia 12 de dezembro

29 de outubro de 2019
10:17
Boris Johnson
Boris Johnson - Imagem: Shutterstock

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson vai encaminhar esta terça-feira (29) projeto de lei que propõe, mais uma vez, a realização de eleições antecipadas, comprometendo-se desta vez com a data de 11 de dezembro.

A tentativa de quebrar o impasse em torno do Brexit surge um dia depois de os membros do Parlamento terem rejeitado eleições gerais para o dia 12 de dezembro.

A “breve proposta de lei”, como chamou Boris Johnson, sugere uma nova votação dos deputados sobre eleições antecipadas que apenas necessitará de uma maioria simples para ser aprovada, em vez de maioria de dois terços, como aconteceu na segunda-feira (28).

Ainda assim, o primeiro-ministro precisa do apoio de pelo menos alguns deputados dos partidos da oposição que ontem (28) lhe viraram costas, nomeadamente o Partido Trabalhista, os Liberais Democratas e o Partido Nacional Escocês, que optaram pela abstenção ou por votar contra.

Esse apoio deverá estar agora garantido, depois de o líder trabalhista, Jeremy Corbyn, declarar esta terça-feira que a condição que tinha imposto para apoiar eleições antecipadas – a de uma garantia de que um Brexit sem acordo não acontecerá – foi aceita.

“Eu frisei consistentemente que estávamos prontos para eleições e que o nosso apoio apenas dependia da garantia de que o Brexit sem acordo não iria acontecer”, declarou Corbyn, de acordo com membros do seu gabinete.

“Soubemos agora pela União Europeia que a extensão do Artigo 50 até 31 de janeiro foi confirmada”, explicou. “Iremos agora avançar com a campanha mais radical e ambiciosa para uma mudança real que o nosso país jamais viu”.

O apoio dos Liberais Democratas e do Partido Nacional Escocês também deverá estar garantido, uma vez que estes dois partidos já tinham proposto a data de 11 de dezembro em vez de dia 12 para a realização de eleições, sugestão a que Boris Johnson decidiu ceder.

Resultados imprevisíveis

Caso se avance com eleições antecipadas, estas serão as primeiras a realizar-se na época natalícia no Reino Unido desde 1923 e o resultado será imprevisível, em um momento em que a população se mostra impaciente devido à demora em concretizar o Brexit.

Um cenário de eleições já em dezembro tanto pode voltar a atribuir o poder a Boris Johnson, que continuaria assim a tentar fazer passar o seu acordo para o Brexit, ou ao líder trabalhista Jeremy Corbyn, que provavelmente tentaria renegociar o acordo ou alcançar um novo referendo.

*Com RTP (Rádio e Televisão de Portugal)

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O melhor do seu dinheiro

11 notícias para começar o dia bem informado

Seguimos em crise, parcialmente isolados, sem previsão de volta à normalidade (se é que um dia vamos voltar ou o home office e o pijama serão o tal do “novo normal”). Mesmo assim, o Ibovespa se reaproxima dos 100 mil pontos, um marco tão comemorado nos bons tempos do mercado. É bem verdade que os […]

crise do setor aéreo

CVC aumenta estimativa com erro contábil e projeta perdas de R$ 660 milhões com pandemia

Operadora de viagens havia adiado a divulgação dos resultados do quarto trimestre de 2019; ainda sem balanço, empresa revelou os primeiros impactos da crise do coronavírus

esquenta dos mercados

Após ganhos recentes, incertezas com covid-19 e economia voltam a pesar nos mercados

Com avanço do coronavírus nos EUA e dados mais fracos na Europa, expectativa por recuperação em V dá lugar à cautela

crise no setor

Azul inicia demissões e sindicato afirma que já são mais de mil em todo o País

Empresa informa estar buscando soluções para enfrentar a crise decorrente da pandemia da covid-19

disputa em meio à crise

Acordo com Gol acirra disputa entre sócios da Smiles

Segundo sócios do Carpena Advogados, as operações de compra antecipada de passagens “não estão sendo realizadas pelo interesse da companhia, mas da sua controladora”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements