Menu
2020-09-07T13:19:00-03:00
brexit

Boris Johnson diz que irá em frente caso não haja acordo com União Europeia

Primeiro-ministro britânico afirmou que bloco e Reino Unido devem “seguir em frente” caso não cheguem a um acordo de livre comércio até 15 de outubro.

7 de setembro de 2020
13:18 - atualizado às 13:19
brexit
Imagem: Shutterstock

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afirmou nesta segunda-feira, 7, que União Europeia (UE) e Reino Unido devem "seguir em frente" caso não cheguem, até 15 de outubro, a um acordo de livre comércio para vigorar a partir de janeiro de 2021, quando vence o chamado período de transição do Brexit. O tom do premiê já era esperado, como adiantou mais cedo o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

"É necessário que haja um acordo com os nossos amigos europeus até 15 de outubro, se for para um acordo entrar em vigor no final do ano. Portanto, não faz sentido pensar em cronogramas para além deste ponto. Se não chegarmos a um entendimento até lá, não vejo um acordo de livre comércio entre nós", declarou o primeiro-ministro em nota enviada à imprensa. "Nossa porta nunca será fechada e continuaremos a negociar como amigos e parceiros - mas sem um acordo de livre comércio", completou.

De acordo com Johnson, porém, o Reino Unido segue disposto para negociar com Bruxelas ao longo de setembro e firmar um entendimento, desde que em condições "razoáveis".

"Se a UE estiver pronta para repensar suas posições atuais terei o maior prazer. Mas não podemos e não vamos comprometer os fundamentos do que significa ser um país independente para obter um acordo", defendeu o premiê.

UE e Reino Unido vêm trocando farpas nos últimos tempos quando o assunto é o acordo comercial. O negociador do Brexit pelo lado europeu, Michel Barnier, criticou Londres na semana passada por buscar o que chamou de "acordo com benefício exclusivo para britânicos". "Faremos tudo ao nosso alcance para chegar a um acordo. Porém, não sacrificaremos - nunca sacrificaremos - os interesses econômicos e políticos de longo prazo da UE", disse Barnier.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

entrevista

‘Não se pode esperar para cortar privilégio’, diz ex-secretário do Ministério da Economia

Paulo Uebel defende que o Congresso aprove uma regra de transição na proposta da reforma administrativa para incluir o fim dos privilégios que grupo de servidores atuais ainda goza

Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)

100 dias entre o fundo e topo do mercado

Até aqui, 2020 foi o ano de Amyr Klink, em que aqueles que souberam capotar (entre janeiro e o final de março), passaram pela tempestade sem afundar de vez em mar aberto

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements