2019-10-14T14:38:46-03:00
enquanto isso, no velho continente

Banco Central Europeu corta taxa de depósito para -0,50%

Autoridade monetária também anunciou a retomada das compras líquidas de ativos sob o afrouxamento quantitativo a partir de novembro

12 de setembro de 2019
9:19 - atualizado às 14:38
Imagem: Shutterstock

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira, 12, uma série de medidas de estímulos, incluindo cortes de juros e a retomada de compras mensais de ativos, após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira, como era previsto por boa parte dos analistas.

O BCE decidiu cortar sua taxa de depósito, de -0,40% para -0,50%, e manteve a taxa de refinanciamento em 0%. A redução da taxa de depósito foi a primeira desde março de 2016.

O BCE disse que vai retomar seu programa de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês), através do qual comprará 20 bilhões de euros em ativos mensalmente a partir de novembro.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente

O novo QE será mantido pelo "pelo tempo que for necessário para reforçar o impacto acomodatício das suas taxas de política" e terminará pouco tempo antes de o BCE "começar a elevar as taxas de juros", ressaltou a instituição em comunicado.

Juros

O BCE também prevê agora que os juros continuarão nos níveis atuais ou menores até que a inflação da zona do euro "robustamente" convirja para sua meta oficial, que é de uma taxa ligeiramente abaixo de 2%.

Prévia de agosto mostrou recentemente que a inflação anual do bloco está muito abaixo desse patamar, em 1%.

Ainda no comunicado, o BCE disse que vai alterar as condições de empréstimos baratos destinados ao setor bancário da zona do euro (conhecidos como TLTROs, pela sigla em inglês) para dar sustentação aos empréstimos.

As TLTROs serão oferecidas à taxa de refinanciamento, mas bancos que superarem metas de concessão de empréstimos poderão pagar taxas equivalentes à de depósito.

O BCE disse ainda que vai lançar "medidas de mitigação", que envolvem um sistema de camadas para a taxa de depósitos, de forma a proteger os bancos da zona do euro.

Corte no crescimento

Após o anúncio do BCE, o presidente da institição Mario Draghi, afirmou que o Banco Central Europeu diminuição as expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) do bloco. As previsões anteriores eram de que o bloco pudesse crescer 1,2% em 2019 e 1,4% em 2020. Agora, o crescimento deve ser de 1,1% e 1,2%, respectivamente.

Para 2021, a projeção ficou um pouco maior. A entidade acredita em um crescimento de 1,4%, ante o 1,3%  divulgado anteriormente.

Inflação

O cenário inflacionário do bloco deve cair ainda mais. O BCE cortou as projeções para 2019 de 1,3% para 1,2%, para 2020, de 1,4% para 1%, e também para 2021, de 1,6% para 1,5

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Fechamento Hoje

Tensão entre Rússia e Ucrânia e expectativa com reunião do Fed derrubam bolsas pelo mundo, e Ibovespa cai quase 1%, mas NY vira para o azul na reta final

Wall Street consegue uma virada impressionante e fechar em alta, depois de índices terem chegado a cair mais de 3%; Ibovespa reduziu perdas, mas ainda fechou com queda significativa, enquanto dólar subiu

NOVOS NEGÓCIOS

Google está de olho nas criptomoedas e vai criar unidade de negócio dedicada ao blockchain; entenda o que está por trás da decisão

Antes de se aventurar, gigante de tecnologia assistiu com cautela as movimentações das concorrentes para entrar no mercado de criptomoedas

MELHORA ARTIFICIAL

Pedidos de recuperação judicial caem em 2021 ao menor nível desde 2014

Para os especialistas os números do ano passado não representam uma recuperação econômica, mas uma melhora artificial no ambiente de negócios promovida por políticas públicas pontuais

APOSTA NA SIDERURGIA

A vez da Usiminas: BTG estima alta de mais de 55% para USIM5 nos próximos meses; saiba o que pode impulsionar as ações

Segundo os analistas, a empresa negocia nos múltiplos mais baixos da década e deve surfar na recuperação dos preços do aço