Menu
2020-10-12T14:58:41-03:00
Estadão Conteúdo
foco de preocupação

Recuperação econômica da zona do euro perde força com novos casos de covid-19, diz BCE

Vice-presidente da instituição afirmou que BCE está monitorando os riscos de uma segunda onda

12 de outubro de 2020
14:58
shutterstock_1059010844
Vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, em 2017. - Imagem: Shutterstock

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, afirmou que a instituição está monitorando os riscos de uma segunda onda de casos de coronavírus na região.

"Dados de alta frequência apontam para a perda de força da recuperação econômica", afirmou, durante evento virtual organizado pelo Instituto Internacional de Finanças (IIF).

O dirigente argumentou que um dos principais legados da pandemia será o alto nível de endividamento de empresas e governos. Para ele, a política fiscal é a linha de frente da resposta a esta crise, mas a monetária pode fornecer importantes contribuições, sobretudo na área da estabilidade financeiro. Guindos revelou que, em sua revisão de estratégica, o BCE vai focar na definição do que é considerado estabilidade de preços.

O economista espanhol comentou ainda que, embora não estabeleça uma meta para a taxa de câmbio, a autoridade monetária acompanha de perto o comportamento do euro, por conta do efeito da divisa na inflação e no crescimento econômico.

Em linha com declarações da presidente do BCE, Christine Lagarde, hoje cedo, Guindos acrescentou que o BC da zona do euro está estudando a uma possível emissão de moeda digital, que, segundo ele, não substituiria a divisa física.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

responsabilização

JBS aprova em assembleia ação contra irmãos Batista

Processo diz respeito a prejuízos causados por crimes revelados nos acordos de colaboração e leniência firmados pela JBS com a Procuradoria Geral da República

em live

Se necessário, voltaremos a fazer transferência do BC para o Tesouro, diz secretário

Em agosto, CMN já havia autorizado o Banco Central a repassar R$ 325 bilhões para o Tesouro Nacional

Balanço do mês

Bitcoin e dólar são os melhores investimentos de outubro; ativos de risco ficaram para trás de novo

Por pouco o Ibovespa não ficou entre os melhores investimentos do mês, mas segunda onda de coronavírus na Europa derrubou as bolsas; risco fiscal, eleições americanas e indefinição quanto a estímulos fiscais nos EUA também pesaram

seu dinheiro na sua noite

O saci à solta nos mercados

Não sei dizer exatamente quando nem quem tomou a iniciativa de importar dos países anglófonos a celebração do Halloween, o Dia das Bruxas. O fato é que desde que as crianças brasileiras começaram a sair fantasiadas pedindo doces no último dia de outubro houve uma série de tentativas de “tropicalizar” o evento. Embora não seja […]

Disparou

Dívida bruta do governo deverá encerrar o ano em 96% do PIB

Endividamento cresceu 20,2 pontos por causa de pandemia.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies