Menu
2019-10-14T14:38:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
enquanto isso, no velho continente

Banco Central Europeu corta taxa de depósito para -0,50%

Autoridade monetária também anunciou a retomada das compras líquidas de ativos sob o afrouxamento quantitativo a partir de novembro

12 de setembro de 2019
9:19 - atualizado às 14:38
europa zona do euro banco central europeu
Imagem: Shutterstock

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira, 12, uma série de medidas de estímulos, incluindo cortes de juros e a retomada de compras mensais de ativos, após concluir reunião de política monetária nesta quinta-feira, como era previsto por boa parte dos analistas.

O BCE decidiu cortar sua taxa de depósito, de -0,40% para -0,50%, e manteve a taxa de refinanciamento em 0%. A redução da taxa de depósito foi a primeira desde março de 2016.

O BCE disse que vai retomar seu programa de relaxamento quantitativo (QE, pela sigla em inglês), através do qual comprará 20 bilhões de euros em ativos mensalmente a partir de novembro.

O novo QE será mantido pelo "pelo tempo que for necessário para reforçar o impacto acomodatício das suas taxas de política" e terminará pouco tempo antes de o BCE "começar a elevar as taxas de juros", ressaltou a instituição em comunicado.

Juros

O BCE também prevê agora que os juros continuarão nos níveis atuais ou menores até que a inflação da zona do euro "robustamente" convirja para sua meta oficial, que é de uma taxa ligeiramente abaixo de 2%.

Prévia de agosto mostrou recentemente que a inflação anual do bloco está muito abaixo desse patamar, em 1%.

Ainda no comunicado, o BCE disse que vai alterar as condições de empréstimos baratos destinados ao setor bancário da zona do euro (conhecidos como TLTROs, pela sigla em inglês) para dar sustentação aos empréstimos.

As TLTROs serão oferecidas à taxa de refinanciamento, mas bancos que superarem metas de concessão de empréstimos poderão pagar taxas equivalentes à de depósito.

O BCE disse ainda que vai lançar "medidas de mitigação", que envolvem um sistema de camadas para a taxa de depósitos, de forma a proteger os bancos da zona do euro.

Corte no crescimento

Após o anúncio do BCE, o presidente da institição Mario Draghi, afirmou que o Banco Central Europeu diminuição as expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) do bloco. As previsões anteriores eram de que o bloco pudesse crescer 1,2% em 2019 e 1,4% em 2020. Agora, o crescimento deve ser de 1,1% e 1,2%, respectivamente.

Para 2021, a projeção ficou um pouco maior. A entidade acredita em um crescimento de 1,4%, ante o 1,3%  divulgado anteriormente.

Inflação

O cenário inflacionário do bloco deve cair ainda mais. O BCE cortou as projeções para 2019 de 1,3% para 1,2%, para 2020, de 1,4% para 1%, e também para 2021, de 1,6% para 1,5

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Isso é que é alívio

Dólar despenca 6,52% na semana e fica abaixo de R$ 5,00; Ibovespa dispara mais de 8%

O dólar à vista terminou a semana a R$ 4,99, indo ao menor nível desde 26 de março, enquanto o Ibovespa cravou a sexta alta seguida e voltou ao patamar de 94 mil pontos. Entenda o que motivou toda essa onda de otimismo nos mercados

Secretário especial da fazenda

Bolsa Família não foi prejudicado com transferência de recurso à Secom, diz Waldery

Ele lembrou que o governo decidiu prorrogar o auxílio emergencial por duas parcelas “em princípio” e que, depois da medida provisória que previa o pagamento permanente do 13º para o Bolsa Família caducar, o governo analisará o espaço orçamentário para esse medida neste ano

Efeito coronavírus

Varejo de SP tem perdas de R$ 16 bilhões durante quarentena, diz Fecomercio

O cálculo é da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), levando em consideração 72 dias de quarentena até ontem

Menos frequência, mais gasto

Redes de supermercados e atacarejos faturam 12,5% a mais em maio

Os dados são de um levantamento da GS Ciência do Consumo, empresa de inteligência analítica e soluções de tecnologia para indústria e varejo

YDUQ3 salta 10% na bolsa

BTG mantém-se neutro sobre Yduqs, mas vê ‘gatilho valioso’ após aquisição de R$ 120 milhões

Yduqs salta mais de 10% no Ibovespa; para BTG, o fraco ímpeto de lucros da companhia e a falta de catalisadores ainda justificam a cautela na recomendação

Dono da Warner Music

Len Blavatnik: o bilionário que apostou na indústria fonográfica e se tornou um dos homens mais ricos do mundo

Com o bem-sucedido IPO da Warner Music, na Nasdaq, Blavatnik, que apostou na empresa quando a indústria fonográfica desmoronava, saltou quase 20 posições na lista dos mais ricos do mundo

crise sanitária

Hospital de campanha inaugurado por Bolsonaro é entregue com 1 mês de atraso

Hospital de campanha em Águas Linda é o primeiro montado pelo governo federal para atender exclusivamente pacientes de covid-19.

Consequências drásticas

50% das empresas alemãs relatam adiamento de investimentos, diz instituto Ifo

A pandemia de coronavírus está tendo consequências drásticas para o investimento de empresas na Alemanha, afirma o instituto Ifo

recuperação à vista?

Pence comemora dado de emprego dos EUA e diz que Casa Branca discute estímulos

“Payroll de hoje indica que recuperação econômica já começou”, declarou Pence, elogiando, em seguida, as medidas de apoio às famílias e empresas tomadas pelo governo ao longo dos últimos meses

obituário

Morre aos 83 anos o economista Carlos Lessa, ex-presidente do BNDES

Nascido no Rio em 1936, Lessa era um dos expoentes, no meio acadêmico, da linha teórica “desenvolvimentista” nos estudos sobre economia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements