Menu
2019-04-04T14:11:17-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Novo Governo

Transmissão de cargo a Paulo Guedes acontece no dia 2 de janeiro

Guedes concentrará os cargos de ministro da Fazenda, Planejamento e Indústria, Comércio Exterior e Serviços

27 de dezembro de 2018
11:23 - atualizado às 14:11
Paulo Guedes
Ministro da economia, Paulo Guedes - Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério da Fazenda divulgou nota informado que no dia 2 de janeiro acontecerá a cerimônia de transmissão de cargo dos ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge, ao ministro da Economia, Paulo Guedes. O evento será às 15 horas, no Instituto Serzedello Corrêa, em Brasília.

A nova estrutura comandada por Guedes terá seis secretarias especiais, cada uma delas com suas próprias secretarias para tocar áreas específicas. A reforma administrativa é uma das maiores já vista na Esplanada e o time escolhido por Guedes foi bem recebido pelo mercado. O desafio, agora, é colocar toda a nova estrutura para funcionar em tempo relativamente rápido.

O secretário-executivo, tido como “número dois” do Ministério da Economia, é Marcelo Pacheco dos Guaranys, técnico de carreira do Tesouro Nacional.

Na Secretaria Geral de Desestatização está o empresário Salim Mattar, que esteve no comando da Localiza.

A Secretaria do Tesouro Nacional segue sob comando de Mansueto de Almeida, funcionário de carreira do Ipea e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda.

Na Receita Federal está Marcos Cintra, economista que até sua vinda ao governo presidia a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Para a Secretaria de Comércio Internacional o indicado foi Marcos Troyjo, PhD em sociologia das relações internacionais pela Universidade de São Paulo. Troyjo fundou e dirigiu o Center for Business Diplomacy, um think-tank independente sobre educação, negócios e assuntos globais.

O comando da Secretaria de Produtividade e Emprego está com Carlos Alexandre da Costa, economista e ex-diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Costa também foi fundador do Ibmec Educacional.

Na Secretaria Especial da Previdência Social e Trabalho está o deputado Rogério Marinho, que foi relator da Reforma Trabalhista.

A Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital está sob responsabilidade de Paulo Uebel, advogado que ocupou a Secretaria de Gestão durante o governo de João Doria (PSDB) na prefeitura de São Paulo.

O economista do Ipea Adolfo Sachsida vai comandar a Secretaria de Política Econômica (SPE).

Para secretário-geral Adjunto da Fazenda o nome escolhido foi de Esteves Colnago, atual ministro do Planejamento.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

prévias

Eztec tem queda de 48% nas vendas no quarto trimestre

Lançamentos da empresa atingiram R$ 380,8 milhões, chegando a R$ 1,150 bilhão no ano – 85% a mais do que no terceiro trimestre

seu dinheiro na sua noite

2 milhões de mortos, 2 trilhões em estímulos e uma queda de mais de 2%

Se a primeira semana de 2021 nos mercados refletiu o otimismo geral com o novo ano que se iniciava, com perspectivas de vacinação contra o coronavírus e recuperação econômica, na segunda semana do ano, os investidores optaram pela cautela. Por ora, 2020, o ano do qual todos queríamos nos livrar, ainda não ficou para trás. […]

FECHAMENTO

Atritos políticos e covid-19 voltam para assombrar o mercado e Ibovespa recua mais de 2%; dólar sobe forte

Existe uma certa desconfiança de que o plano de US$ 1,9 trilhão apresentado por Biden encontre dificuldades de ser aprovado pelo Congresso, ainda que o democrata tenha conquistado a maioria das duas casas. No Brasil, situação do coronavírus reacende a pressão sobre o cenário fiscal

match com o mercado?

Concorrente do Tinder, Bumble pode levantar US$ 100 milhões em IPO

Ações da empresa estreiam em fevereiro na Nasdaq; companhia, que é dona do Badoo, não deu lucro no ano passado

pandemia

Itamaraty confirma que Índia atrasará entrega de vacinas

Chanceler indiano atribuiu o atraso na liberação a “problemas logísticos” decorrentes das dificuldades de conciliar o início da campanha de vacinação no país de mais de 1,3 bilhão de habitantes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies