Menu
2019-04-05T14:20:56+00:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Agenda de resultados

Banco do Brasil, Usiminas, Cyrela, Cosan e Smiles divulgam balanços nesta semana; saiba o que esperar

Com previsões para lá de otimistas, Banco do Brasil e Usiminas devem surfar na onda do crescimento anual; já o BB Seguridade deve ter números mais tímidos

11 de fevereiro de 2019
6:02 - atualizado às 14:20
Balanços-semana
Semana de balanços será mais movimentada - Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

A terceira semana da temporada de balanços anuais de 2018 será mais movimentada do que a anterior, com cinco grandes empresas do Ibovespa divulgando seus resultados. Nesta segunda-feira, 11, BB Seguridade publica números após o fechamento dos mercados.

Já na quinta-feira, 14, será a vez de Banco do Brasil, Cyrela e Cosan soltarem balanços, todos no fim do dia. E para fechar a semana, Usiminas e Smiles vão publicar seus números no dia 15, sexta-feira, após o fechamento da bolsa.

Outro lucrão bilionário

Sem dúvidas o principal destaque semanal será o resultado anual do Banco do Brasil. Estimativas de analistas consultados pela Bloomberg apontam que o banco pode ter um salto de quase 20% no lucro líquido em 2018 na comparação com o ano anterior. Se as projeções se confirmarem, o BB poderá fechar o ano com lucro de R$ 13,23 bilhões.

Outro número que deve surpreender é o da rentabilidade. Em meio ao show de retornos observados pelos bancões privados, os analistas de mercado esperam que o BB atinja retorno sobre patrimônio de 13,27%, ante 12,15% do ano anterior.

A busca por eficiência é o pilar de sustentação da nova diretoria do Banco do Brasil. Desde a posse do novo governo, os executivos do banco tem buscado iniciativas para impulsionar os resultados da instituição, como parcerias com empresas privadas na gestão de fundos, banco de investimento e recuperação de crédito. Na prática, o banco não tem planos de se desfazer desses tipos de negócios, mas sim atrair sócios.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

E por falar em negócios, o BB Seguridade, holding que reúne as participações do Banco do Brasil no setor de seguros, deve apresentar números mais fracos tanto no 4º trimestre quanto no total de 2018. De acordo com analistas, o balanço que será divulgado nesta segunda-feira deve confirmar quedas nos principais dados: lucro líquido, margem financeira e rentabilidade.

A reação da Usiminas

Ela passou por um 2017 cheio de turbulências, mas em 2018 a Usiminas tem tudo para mostrar que seus negócios estão em franca recuperação. Depois de surpreender positivamente no balanço do terceiro trimestre, com a venda de aço no maior patamar desde 2015, as projeções de mercado para o lucro líquido anual da empresa apontam para uma alta de quase 170% na comparação com o ano anterior, fechando em R$ 624,077 milhões.

A siderúrgica também deve entregar uma geração de caixa, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 2,47 bilhões (ante R$ 2,18 bilhões em 2017) e uma receita líquida de R$ 13,70 bilhões (ante R$ 10,73 bilhões em 2017).

Cyrela e Cosan também devem apresentar números anuais melhores do que os observados em 2017. Para a Cosan, analistas esperam um lucro líquido ajustado de R$ 890 milhões em 2018. Já para a Cyrela, a expectativa é de que a empresa consiga diminuir seu prejuízo, fechando o ano no negativo em R$ 51,3 milhões.

Smiles encerra a agenda semanal com previsão de lucro líquido de R$ 603,545 milhões em 2018.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Olha a oportunidade aí!

Ministro diz que estuda estender isenção de IR de debêntures a PJ e estrangeiros

Atualmente, a isenção das debêntures de infraestrutura é apenas para pessoas físicas

Agora vai?

Ministro suspende decisões que impediam julgamento de cartel de trens pelo Cade

Investigação envolve suposto conluio de empresas em licitações de metrôs e trens nos Estados de Rio Grande do Sul, Minas e São Paulo e no Distrito Federal

fala ministra

Na FAO, Tereza Cristina defende fim do protecionismo de países desenvolvidos

A ministra destacou que o protecionismo em países desenvolvidos ameaça o aumento da produção de alimentos nas nações em desenvolvimento, que ficam competindo com produtos subsidiados.

Você lembra do Windows Phone?

Bill Gates admite erro que poderia ter mudado a história dos smartphones

Em 2008, em uma reunião de emergência, a Microsoft decidiu remodelar os planos do seu sistema operacional para se adequar. E embora Gates tenha deixado o cargo de CEO em 2000, é provável que o seu conselho tenha sido levando em consideração

sem consenso

Líder do governo elogia projeto de agências reguladoras criticado por Bolsonaro

Para o senador Fernando Bezerra Coelho, o texto, já aprovado pela Câmara, aperfeiçoou o processo de escolha para o comando das agências

resenha com rodrigo

Maia lança podcast e diz que relatório deve ser votado até dia 27

Publicação será semanal e a previsão é de que seja publicado às segundas-feiras nas redes sociais do deputado

por mais impostos

George Soros e outros bilionários assinam carta pedindo imposto sobre grandes fortunas

Os herdeiros Regan Pritzker e Abigail Disney, além do cofundador do Facebook, Chris Hughes, e outras 15 pessoas assinam o documento pedindo o compromisso dos candidatos a Presidência dos EUA

de olho na reforma tributária

‘Claro que a proposta de reforma não é anti-Guedes’

Baleia Rossi, líder do MDB na Câmara, acredita que é um cenário positivo para a aprovação da mudança do sistema tributário brasileiro

foco na agenda econômica

Congresso quer protagonismo e promete votar a reforma tributária ainda este ano

PEC proposta acaba com três tributos federais – IPI, PIS e Cofins. Extingue o ICMS, que é estadual, e o ISS, municipal. Todos eles incidem sobre o consumo

Valor menor que as estimativas

Investimento direto no país soma US$ 7,070 bi em maio, diz BC

No acumulado do ano até maio, o ingresso de investimentos estrangeiros destinados ao setor produtivo somou US$ 35,137 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements