Menu
2019-01-29T15:34:45+00:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bancos

BB quer parceiros em negócios de fundos, banco de investimento e recuperação de crédito

Essas parcerias podem ser firmadas diretamente ou por meio de uma oferta de ações (IPO, na sigla em inglês) dessas unidades, segundo Carlos Hamilton, vice-presidente do Bancoo do Brasil

29 de janeiro de 2019
15:34
Carlos Hamilton, vice-presidente do Banco do Brasil
Imagem: Vinícius Pinheiro/Seu Dinheiro

O Banco do Brasil está disposto a firmar "parcerias estratégicas" com empresas privadas nos negócios de gestão de fundos, banco de investimento e recuperação de créditos.

O foco das parcerias é a melhora na eficiência e na rentabilidade da instituição, segundo Carlos Hamilton, vice-presidente do BB. Ou seja, o banco não tem planos de se desfazer desses negócios, mas atrair sócios.

Essas parcerias podem ser firmadas diretamente ou por meio de uma oferta de ações (IPO, na sigla em inglês) dessas unidades, segundo Hamilton.

"Em condições similares, temos preferência pelo IPO, em razão da transparência", afirmou o vice-presidente do Banco do Brasil, que participa hoje de evento promovido pelo Credit Suisse.

Na área de gestão e administração de fundos, o banco público por meio da BB DTVM, que possui R$ 950 bilhões sob gestão. A instituição também é dona do BB Banco de Investimento, que realiza operações como fusões e aquisições e operações no mercado de capitais. No negócio de recuperação de crédito, o Banco do Brasil é dono da Ativos.

No caso das atividades que não guardam sinergia com o negócio principal, o BB "está aberto a oportunidades de desinvestimento", segundo Hamilton. Ainda não há prazo para que as operações aconteçam.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Crédito

O Banco do Brasil deve registrar um crescimento da carteira de crédito em linha com a média do mercado neste ano, segundo Hamilton. A expectativa do executivo é de crescimento da margem financeira.

No caso da receita com tarifas, essa expansão deve acontecer acima da inflação projetada. Do lado das despesas, a expectativa do vice-presidente do BB, em termos reais, fiquem no patamar de 2018.

Hamilton espera que a rentabilidade do banco cresça acima dos pares, o que deve fazer com que a diferença para os concorrentes privados diminua ao longo do tempo.

O vice-presidente do BB disse ainda que é possível devolver ao Tesouro os R$ 8,1 bilhões que foram aportados no banco via instrumentos híbridos de capital e dívida (IHCD) em "um esquema suave" sem comprometer os objetivos estratégicos da instituição.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

mais um que passou

Câmara aprova projeto que permite posse de arma em toda a propriedade rural

Projeto segue para Bolsonaro sancionar ou vetar; regra atual diz que posse só é permitida na sede da propriedade

Bolsa

Ação da Telebras dispara com privatização no radar, mas não deveria

Com a alta de mais de 60% ontem na bolsa, o valor de mercado da Telebras na bolsa passou para mais de R$ 1,9 bilhão, mas os resultados da estatal nem de longe justificam toda essa euforia. E os minoritários ainda correm o risco de diluição

O paraíso dos especuladores

Você prefere ser um abutre rico ou um argentino quebrado?

A Argentina jamais se soergueu ao governo peronista. Tornou-se a pátria da inflação, dos choques heterodoxos, das reformas monetárias e das moratórias – e o paraíso dos especuladores.

Mercado entre estatais e BCs

Mercado fez a festa com notícia “requentada” sobre privatização de empresas estatais, mas agora aguarda ata do BCE e discurso em Jackson Hole

Com acordo

Senado aprova MP da liberdade econômica sem previsão de trabalho aos domingos

Governo preferiu recuar e concordar com a retirada da autorização para trabalho aos domingos para garantir a votação da medida a tempo

Seu Dinheiro na sua noite

Temporada de caça às estatais

Uma das críticas mais recorrentes ao governo nesse começo de gestão Bolsonaro foi a aposta de todas as fichas na reforma da Previdência. Durante os longos meses de tramitação da proposta na Câmara, o país ficou praticamente parado. O saldo do projeto aprovado pelos deputados e que agora está no Senado revelou-se até melhor do […]

Dinheirinho na mão

Saque do FGTS terá impacto mais importante na renda de Norte e Nordeste

Saques médios a serem liberados representam 21,5% da renda habitual média da região Nordeste, e 20,1% da renda habitual média do Norte

Um pente-fino

Quais são e como atuam as empresas que o governo pretende privatizar

Equipe econômica de Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira as empresas que serão os novos alvos do governo nas privatizações do segundo semestre

Assunto que interessa

Câmara instala comissão especial para analisar novo marco legal para saneamento

Proposta será relatada pelo deputado Geninho Zuliani (DEM-SP) e o presidente do colegiado será o deputado Evair de Melo (PP-ES)

Nada de sair do forno

Maia: governo deve enviar projeto de privatização da Eletrobras em 1 ou 2 semanas

Presidente da Câmara afirmou que trabalhará pela aprovação da privatização da estatal

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements