Menu
2019-03-27T15:42:26+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Análise

A eleição no Senado ajuda ou atrapalha as reformas?

Indo direto ao ponto, não sei e acho que só descobriremos quando os projetos começarem a ser votados

4 de fevereiro de 2019
5:53 - atualizado às 15:42
Senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). - Imagem: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Depois de um tumultuado processo eleitoral, o Senado será comandando pelo até então desconhecido Davi Alcolumbre (DEM-AP). Acompanhando todo o processo, que começou na sexta-feira (1) e se arrastou até o fim da tarde do sábado, estive sempre pesando em como a eleição e seu resultado poderiam ter alguma influência sobre o andamento da agenda de reformas.

Confesso que até agora não encontrei resposta clara e objetiva. Lendo o noticiário do fim de semana, fiquei com a percepção de que não estou sozinho, pois vi diversas explicações para o mesmo fato.

Os mercados podem trazer uma “resposta objetiva” via preço dos ativos nesta segunda-feira, mas ela dura pouco, pois em política vemos apenas “fotos” de um “filme” sem roteiro e de final nunca previsível.

Foi uma vitória de Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil e articulador da candidatura de Alcolumbre desde o fim do ano passado? Ou seria mesmo uma derrota de Renan Calheiros (MDB-AL), que tinha certeza de seu retorno à presidência da Casa e já tinha até montando um gabinete, segundo me contou um conhecido com trânsito no Senado? Ou seria, ainda, uma vitória da pressão popular sobre os senadores, resultado de uma massiva campanha contra o senador alagoano? Foi uma vitória de Onyx ou do governo Bolsonaro?

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

O ponto mais comum que li e ouvi é que Renan vai “se vingar” do governo, pois foi “rifado” e se viu obrigado a abrir mão da candidatura mesmo depois de telefonemas do presidente Jair Bolsonaro e afagos em Flávio Bolsonaro.

Renan e Flávio na sexta-feira - Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado

A hora H

Aliás, a única coisa que podemos falar com um pouco de certeza é que Davi já estava eleito no momento em que Flávio abriu seu voto. Mas voltando, Renan vai se vingar como? Esse desentendimento seria assim tão irremediável? Ainda mais se tratando de figura pragmática como Renan?

Sinto desapontar o leitor com mais perguntas que respostas, mas, por ora, só consigo lembrar da máxima de Getulio Vargas, segundo a qual: se ninguém é tão amigo que não possa virar inimigo, também não existem inimigos que não possam ser convertidos em amigos.

Acho que teremos uma resposta sobre o impacto dessa eleição no Senado quando os projetos encampados pelo governo começarem a entrar na pauta de votações. Davi, em tese, só tem de pautar as matérias. E que creio que cada votação será uma “batalha” diferente.

Teria ele ou Onyx a capacidade de angariar votos e “tirar o pulso” dos Plenários na Câmara e do Senado para evitar derrotas desnecessárias? A pressão popular e das redes sociais também estará presente em votações ou momentos nos quais as audiências das TVs Câmara e Senado estiverem no habitual “traço”? Será que estamos vendo algo “novo” ou tudo se resume, como sempre, a poeira e vaidade?

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Advogada do investidor

Podcast Sardinhas: A tendência no exterior que poucos brasileiros seguem

Você perdeu dinheiro com a Vale e a catástrofe de Brumadinho? Então provavelmente não sabe o que é ESG. Paula Salamonde, diretora-executiva da MSCI no Brasil conta pra você no Podcast #Sardinhas desta semana. Gostou? Então dá o play e ouça de graça. Não tem Spotify? Acesse o link alternativo. Publicidade

A Bula do Mercado

Mercado aguarda decisão de BCs

Fed e Copom devem manter taxas de juros hoje, mas expectativa é por sinalização de cortes à frente

Ótima notícia por um péssimo motivo

Copom e Fed decidem juros. Se não tem corte, tem aceno, que é quase a mesma coisa

Decisões de política monetária centram atenção nos mercados. Reação pode ser positiva, mas o que motiva a atuação dos BCs não é nada animador

Seu Dinheiro na sua noite

Insiste em zero a zero e eu quero um a um

Você disse que não sabe se não. Mas também não tem certeza que sim. Se Djavan fosse um analista de mercado, representaria o sentimento dos investidores sobre o que vai acontecer com as taxas de juros no país. Para muita gente, não é mais uma questão de “se”, mas de “quando” a Selic vai cair. […]

Tá liberado!

Governo amplia setores autorizados a trabalhar aos domingos e feriados

A partir de hoje, 78 setores estão autorizados a funcionar nesses dias. Entre os novos segmentos está o comércio em geral

Agora vai?

Leilão de ativos da Avianca Brasil acontecerá no dia 10 de julho

Colegiado de desembargadores do Tribunal de Justiça de São Paulo liberou a decisão sobre a na manhã de ontem

Preenchendo a vaga

À espera de aprovação do nome de Montezano, BNDES nomeia presidente interino

Nome do atual diretor de finanças da instituição, José Flávio Ferreira Ramos, foi indicado para ocupar o posto provisoriamente

O rombo em forma de dados

Mansueto: dos 26 Estados mais DF, 14 gastam acima do limite de 60% com pessoal

Percentual abordado pelo secretário o Tesouro Nacional foi estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal

Olha eles aí outra vez

Deputados favoráveis à reforma da Previdência defendem volta da capitalização e de Estados

Sessão para debates sobre o relatório na comissão especial da reforma da Previdência na Câmara contou com várias defesas dos pontos retirados

negócio fechado

Embraer assina cooperação estratégica com a Elta para desenvolver P600 AEW

Com o acordo, as duas empresas criam um novo segmento de mercado, o de AEW; aeronave de última geração foi concebida para atuar em um novo segmento do mercado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements