🔴 5 MOEDAS PARA MULTIPLICAR SEU INVESTIMENTO EM ATÉ 400X – VEJA COMO ACESSAR LISTA

Flavia Alemi
Flavia Alemi
Jornalista formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pela FIA. Trabalhou na Agência Estado/Broadcast e na S&P Global Platts.
Escândalo contábil

Santander (SANB11) e BTG Pactual (BPAC11) podem ser os bancos mais afetados pelo rombo de R$ 20 bi da Americanas (AMER3)

Bradesco BBI estima que impacto do rombo da Americanas pode atingir patrimônio líquido dos bancos para os quais a empresa deve

Flavia Alemi
Flavia Alemi
12 de janeiro de 2023
11:28
Lupa destaca site da Americanas.com em tela de computador
Tela do site da Americanas.com - Imagem: Shutterstock

O surpreendente rombo de R$ 20 bilhões no balanço da Americanas (AMER3), divulgado na noite de ontem (11) pela própria companhia, deve provocar um solavanco nos bancos para os quais a varejista deve.

Para ter uma noção de grandeza, o montante é quase o dobro do valor de mercado da Americanas na B3.

De acordo com o Gustavo Schroden, do Bradesco BBI, o rombo impactaria o patrimônio líquido dos seis bancos que a casa cobre em 4,5%. Mas ele ressalta que, como não está disponível a divulgação sobre a exposição da Americanas dividida por banco, ele decidiu apresentar a exposição de cada banco ao segmento de varejo.

Nesse exercício, Santander (SANB11) e BTG Pactual (BPAC11) são os bancos com maior exposição, com cerca de 7% do total de empréstimos. São eles também os bancos cujas ações mais caem nesta quinta-feira.

Logo atrás, aparecem Itaú (ITUB4) e ABC Brasil (ABCB4), com aproximadamente 3% de exposição ao varejo. Banrisul (BRSR6) e Banco do Brasil (BBAS3) têm cerca de 2%. Vale ressaltar que o Bradesco BBI não cobre o Bradesco (BBDC3) devido a conflito de interesses.

A Americanas informou que o efeito no caixa é “imaterial”, mas que ainda não é possível determinar todos os impactos nem no balanço nem nos resultados.

Leia mais:

O que provocou o rombo nas Americanas

O comunicado de ontem das Americanas (AMER3) trouxe poucos esclarecimentos e muitas dúvidas sobre o que aconteceu na contabilidade que permitiu um erro tão grotesco. Nesta manhã, a direção realizou uma teleconferência com analistas para esclarecer melhor o ocorrido.

Na reunião, o agora ex-CEO da empresa, Sérgio Rial, disse que as inconsistências estão relacionadas a "risco sacado que não era lançado como dívida". De acordo com o executivo, o problema vem se arrastando por cerca de 7 a 9 anos.

"Basicamente, estamos dizendo que a dívida da companhia é maior", disse Rial. "Os R$ 20 bilhões são a melhor estimativa do que vimos em 9 dias, não chancelados por auditoria", relatou.

Ele afirmou que parte das inconsistências pode vir a ser lançada como Perdas e Ganhos da empresa no balanço. Rial destacou, ainda, que as incongruências ao reportar a "conta fornecedores" é um problema que se arrasta por todo o setor varejista desde os anos 90, pois há diferentes formas de reportá-la.

O executivo tentou colocar panos quentes na história e reforçou que não há impacto de curto prazo no caixa da empresa - desde que os bancos não queiram acelerar a dívida. Caso isso aconteça, o caso terá de ser judicializado.

Rial afirmou que a Americanas tem R$ 9 bilhões de caixa e é perfeitamente capas de gerar Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,5 a R$ 1,7 bilhão. Porém, ele destacou que a varejista não conseguirá pagar suas despesas financeiras em sua totalidade e, portanto, precisará de injeção de capital.

Compartilhe

CRISE NA ESTATAL

Justiça nega pedido por assembleia na Petrobras (PETR4) que atrasaria posse de Magda Chambriard

18 de maio de 2024 - 17:02

Em sua reclamação na Justiça, o deputado do Novo alega que, eventualmente reconhecida a queda do CA em efeito dominó após a saída de Prates

QUASE 10 ANOS DEPOIS

Vale (VALE3), BHP e Samarco fazem nova proposta de R$ 127 bilhões para compensar tragédia em Mariana, mas acordo não deve evoluir agora

18 de maio de 2024 - 14:44

Valor de R$ 127 bilhões oferecido na última proposta, do final de abril, foi mantido, mas as empresas retomariam agora obrigações que tinham ficado de fora

SUBIU, DESCEU

Volta da febre das “meme stocks”: GameStop cai quase 20% em um único pregão, mas fecha semana com ganhos de 23%

18 de maio de 2024 - 13:26

Também pressionaram os papéis da mais famosa “ação meme” a divulgação de dados trimestrais preliminares da empresa

Dá o play!

Óleo no chope da bolsa: como ficam seus investimentos após mais uma intervenção na Petrobras (PETR4)

18 de maio de 2024 - 11:00

O podcast Touros e Ursos recebeu Karina Choi, sócia da Cordier Investimentos, para comentar os possíveis impactos da decisão do presidente Lula de demitir Jean Paul Prates da presidência da estatal

DISPUTA JUDICIAL

Justiça de SP suspende embargo das obras do principal projeto da JHSF (JHSF3) após mais de um mês de paralisação

18 de maio de 2024 - 9:12

O relator do documento é Ruy Alberto Leme Cavalheiro, da 1ª Câmara Reservada ao Meio Ambiente

HORA DE VENDER?

Rumo: por que o Goldman Sachs calcula um potencial de ganho menor para as ações RAIL3

17 de maio de 2024 - 16:19

O banco norte-americano reduziu o preço-alvo dos papéis de R$ 27 para R$ 24,50 — o que representa um potencial de valorização de 16,5% com relação ao último fechamento

CHAMA O VAR

Com mais de R$ 395 milhões em dívidas, Polishop pede recuperação judicial, mas bancões tentam reter valores

17 de maio de 2024 - 15:09

Além da recuperação judicial, a Polishop vem tentando se blindar dos credores financeiros por meio de cautela tutelar

COMPRAR OU VENDER?

A Positivo pode mais? As ações POSI3 já subiram 50% este ano e esse banco gringo conta para você se há espaço para mais

17 de maio de 2024 - 13:46

Os papéis da empresa sobem cerca de 5% nesta sexta-feira (17), embalados pela nova recomendação do UBS BB; confira se chegou o momento de colocar ou tirar esses ativos da carteira

INVESTIMENTOS

Seguro mais seguro: por que o JP Morgan elevou recomendação para IRB Re (IRBR3) mesmo com catástrofe no RS?

17 de maio de 2024 - 11:07

Nas contas do banco norte-americano, o IRB é a companhia de seguros mais exposta ao RS, podendo ter um impacto de 15% a até 30% nos lucros até o fim de 2024

PODE BEIJAR!

3R Petroleum (RRRP3) e Enauta (ENAT3) oficializam fusão e formam uma das maiores operadoras de petróleo do Brasil; ações sobem na B3

17 de maio de 2024 - 9:41

De acordo com os termos do acordo, a 3R irá incorporar a Enauta e deterá 53% da nova empresa resultante da fusão, enquanto os acionistas da segunda empresa ficarão com 47% do negócio

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar