🔴 É HOJE! COMO COMPRAR CARROS COM ATÉ 50% DE DESCONTO NA TABELA FIPE – CONHEÇA A ESTRATÉGIA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa não sustenta alta e fecha perto da estabilidade; dólar sobe e se aproxima dos R$ 5

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
18 de abril de 2023
7:23 - atualizado às 17:17

RESUMO DO DIA: A apresentação do novo arcabouço fiscal provocou tensão no mercado e trouxe volatilidade à bolsa brasileira hoje. Quando finalmente veio a público, o texto — que prevê uma alta da despesa pública limitada a 70% do crescimento da receita do ano anterior — aliviou parte da pressão sobre os ativos de risco.

Mas o efeito durou pouco, e, com os investidores questionando a viabilidade da votação da proposta no Congresso, o Ibovespa logo voltou a oscilar para perto do campo negativo. Sem o apoio das bolsas de Nova York, que também operaram sem direção definida hoje, o índice encerrou o dia próximo da estabilidade, com leve alta de 0,14% e aos 106.163 pontos.

Veja tudo que movimentou os mercados abaixo:

Confira os principais destaques do dia:

AS MAIORES ALTAS E QUEDAS DO IBOVESPA

O Ibovespa pode ter fechado em estabilidade, mas algumas das ações do índice se destacaram com variações positivas de até 3,5%. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
RDOR3Rede D'Or ONR$ 22,683,09%
PETZ3Petz ONR$ 6,163,01%
PETR3Petrobras ONR$ 30,752,71%
PETR4Petrobras PNR$ 27,352,40%
CIEL3Cielo ONR$ 5,232,35%
Fonte: B3

Veja também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEULTVAR
CVCB3CVC ONR$ 3,08-6,95%
HAPV3Hapvida ONR$ 2,40-5,51%
DXCO3Dexco ONR$ 5,80-4,76%
LWSA3Locaweb ONR$ 5,39-4,43%
LREN3Lojas Renner ONR$ 16,02-4,30%
Fonte: B3
FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar à vista não teve dificuldades para engrenar nesta terça-feira (18) e subiu 0,78%, aos R$ 4,9759, em meio às incertezas provocadas pelo arcabouço fiscal no Congresso Nacional.

A alta da moeda norte-americana também foi apoiada pelas declarações de dirigentes do Federal Reserve, o banco central norte-americano, que reforçaram a defesa à continuidade do aperto monetário nos EUA. Por lá, as bolsas fecharam sem direção definida, veja abaixo:

  • Dow Jones: -0,03%
  • S&P 500: +0,08%
  • Nasdaq: -0,04%

Com investidores reagindo ao texto final do arcabouço fiscal, o Ibovespa reduziu os ganhos e tenta manter-se em tom positivo.

O índice sobe 0,08%, aos 106.099 pontos.

IBOVESPA SOBE COM ARCABOUÇO FISCAL

O Ibovespa zerou as perdas há pouco e sobe 0,28%, aos 106.315 pontos com a divulgação do texto final do arcabouço fiscal.

A proposta ainda deve ser entregue pelo presidente Lula e o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, aos presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado Federal, Rodrigo Pacheco.

Entre os dispositivos, a matéria prevê:

  • Alta da despesa limitada a 70% do crescimento da receita do ano anterior;
  • Entre 2024 e 2027, a alta real da despesa terá intervalo de 0,6% a 2,5%.

LEIA ÍNTEGRA DA PROPOSTA AQUI

DÓLAR RENOVA MÁXIMA

Com a divulgação do texto final do arcabouço fiscal, o dólar à vista acelerou os ganhos e renovou máxima a R$ 4,9970.

O dólar futuro para maio também avançou e atingiu R$ 5,0040, em alta de 1,01%.

FECHAMENTO DO PETRÓLEO

Os contratos futuros para junho do petróleo tipo Brent encerraram em alta de 0,01%, a US$ 84,77 o barril.

Já o petróleo tipo WTI, com contratos para maio, fecharam a sessão em alta de 0,09%, a US$ 80,90 o barril.

FAZENDA DIVULGA TEXTO DO ARCABOUÇO FISCAL
NY OPERA SEM DIREÇÃO ÚNICA

As bolsas americanas operam em tom misto, com investidores repercutindo os balanços trimestrais de bancos divulgados no pré-mercado e falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed).

Mais cedo, o presidente regional do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, afirmou ainda "há muito trabalho" para conter a inflação americana e, na visão dele, a meta de 2% não deve ser atingida "tão rápido quanto o mercado acredita".

Ainda de acordo com Bostic, o BC americano deve elevar novamente 25 pontos-base sobre os juros na próxima reunião, prevista para 3 de maio, e indicou a manutenção da taxa a partir de então. "Em meu cenário, após uma alta manteremos juros por um bom tempo."

Confira o desempenho de NY:

  • S&P 500: +0,08%;
  • Dow Jones: +0,05%;
  • Nasdaq: -0,08%.

BRADESCO (BBDC4) REFORMULA VAREJO E ESTRATÉGIA DIGITAL APÓS PERDAS NO CRÉDITO

O Bradesco (BBDC4) decidiu reformular toda área de varejo e mudar sua estratégia digital depois de registrar perdas no crédito no ano passado. Em entrevista ao Valor Econômico, o recém-empossado vice-presidente de varejo, Marcelo Noronha, disse que o banco passa por uma revisão de processos para que a experiência do cliente seja mais fluida.

Para isso, ele diz que o Bradesco está investindo numa integração maior entre o mundo físico e o digital. Parte da estratégia consiste em acelerar a transformação de agências em unidades de negócios, que são estruturas sem caixa que auxiliam clientes e ofertam produtos.

A expectativa para este ano é de fechar cerca de 300 agências, incorporando parte delas a outras da mesma região e o restante virando unidades de negócio.

Além disso, o Bradesco também quer ampliar os ‘hubs’ de gerentes que atuam de maneira remota para atender aqueles clientes que dispensam o atendimento presencial, mas também não querem ser atendidos por robôs. O banco já conta com quatro desses ‘hubs‘ e pretende criar mais sete até o final do ano.

Leia mais.

RENNER (LREN3) RECUA 4% APÓS GOVERNO VOLTAR ATRÁS NA TAXAÇÃO DE ASIÁTICAS

As ações das Lojas Renner (LREN3) recuam 4,36%, a R$ 16,02 no Ibovespa. Além da pressão dos DIs, os papéis acentuaram a queda após o governo recuar na decisão de taxar vendas as plataformas de e-commerce Shein, AliExpress e Shoppe.

No início da tarde, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, informou que a isenção de transações de até US$ 50 segue mantida pelo governo.

SOBE E DESCE DA BOLSA

O Ibovespa retornou ao tom negativo e cai 0,23%, aos 105.742 pontos.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
RDOR3Rede D'Or ONR$ 22,652,95%
PETR4Petrobras PNR$ 27,422,66%
PETR3Petrobras ONR$ 30,732,64%
CIEL3Cielo ONR$ 5,211,96%
ELET3Eletrobras ONR$ 34,291,93%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
CVCB3CVC ONR$ 3,10-6,34%
QUAL3Qualicorp ONR$ 3,87-4,68%
DXCO3Dexco ONR$ 5,82-4,43%
LREN3Lojas Renner ONR$ 16,10-3,82%
LWSA3Locaweb ONR$ 5,43-3,72%
POR QUE O BTG DIZ QUE AGORA NÃO É HORA DE COMPRAR NATURA (NTCO3)

A Natura (NTCO3) implementou uma série de mudanças em seu modelo de negócios nos últimos anos, incluindo aquisições, como a da marca de luxo Aesop em 2013 e a da fabricante britânica de cosméticos The Body Shop em 2017, que foi seguida de um acordo para comprar a Avon em 2019. Todas essas transações ajudaram a empresa brasileira a se tornar um player mais global. 

Esses movimentos aumentaram a alavancagem financeira da Natura e reduziram o ROIC (retorno sobre o capital investido). A companhia, no entanto, concluiu dois aumentos de capital em 2020 — R$ 2 bilhões em maio e R$ 6 bilhões em outubro —, fortalecendo sua posição de caixa e reduzindo a alavancagem financeira e a dívida denominada em dólares. 

Mas, após um período inicial de resultados animadores, a Natura andou tropeçando nos resultados dos últimos trimestres, com números abaixo do esperado na maioria de suas unidades de negócios. 

Ao mesmo tempo, a empresa ainda luta para retomar as vendas da bandeira Avon na América Latina, mas principalmente internacionalmente, e da The Body Shop.

Leia mais.

O Ibovespa opera próximo a linha da estabilidade, em queda de 0,01%, aos 106.009 pontos. As perdas são limitadas pelo avanço do setor de commodities metálicas, enquanto os investidores aguardam a entrega do arcabouço fiscal pelo governo ao Congresso Nacional.

A assessoria do Ministério da Fazenda confirmou, há pouco, que o envio da proposta deve acontecer às 16h30 (horário de Brasília).

Governo volta atrás na taxação de compras de pessoas físicas na Shein, Shopee e outras varejistas asiáticas a pedido de Lula

Dias após causar um rebuliço entre os consumidores brasileiros, o governo federal voltou atrás na polêmica decisão de acabar com a isenção do imposto de remessas internacionais de pessoas físicas no valor de até US$ 50 (R$ 250). De acordo com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, o recuo atende a um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"Estão usando uma brecha para burlar a lei. A Receita queria fechar essa brecha. O presidente falou para atuar administrativamente primeiro para não prejudicar quem usa a regra de boa fé", declarou Haddad nesta terça-feira (18) em entrevista a jornalistas.

De acordo com técnicos do governo, varejistas asiáticas como a Shein e a Shopee estariam burlando a tributação para a comercialização de produtos por meio da isenção sobre compras internacionais entre pessoas físicas.

O cerco fiscal de Lula tomou grande repercussão devido à preocupação dos consumidores de que os produtos dessas varejistas acabem ficando mais caros — o que atingiria em cheio o ponto mais vantajoso para os clientes, que são os preços inferiores.

Leia mais.

ANOTE NA AGENDA

A tão aguardada assinatura do texto do arcabouço fiscal ficou confirmada para acontecer ainda nesta tarde, às 16h30. Enquanto isso, o Ibovespa opera em leve alta, puxado pela Rede D'Or e empresas do setor de mineração e siderurgia.

FECHAMENTO NA EUROPA
  • Londres: 0,38%
  • Frankfurt: 0,59%
  • Paris: 0,47%
  • Stoxx-600: +1,65%
COMO ANDAM OS MERCADOS

Em dia bastante volátil, o Ibovespa tenta firma alta nessa segunda parte da sessão. O principal índice da bolsa brasileira sobe 0,18%, aos 106.173 pontos.

O tom positivo é impulsionado tanto pela agenda externa quanto pelo cenário doméstico. Na China, a atividade econômica cresceu 4,5% no primeiro trimestre deste ano, acima das projeções, e acelerou os ganhos do minério de ferro em Dalian. Por aqui, os investidores aguardam a entrega da proposta do arcabouço fiscal ao Congresso Nacional.

Entre os destaques do Ibovespa, Rede D'Or (RDOR3) lidera os ganhos do dia com expectativa sobre o projeto de lei que garante recursos necessários ao pagamento do piso nacional da enfermagem — que, por outro lado, pesa sobre os papéis de Hapvida (HAPV3).

Na visão dos analistas do mercado, o impacto da proposta é regional: enquanto Rede D'Or tem mais presença em São Paulo e Rio de Janeiro, locais em que a média salarial da categoria é acima do piso proposto; Hapvida tem mais exposição às regiões Norte e Nordeste, que possuem remuneração menor.

Ainda entre as maiores altas do Ibovespa, Petrobras (PETR3;PETR4) avança com investidores de olho na aprovação de dividendos na próxima semana. Na ponta negativa, além de Hapvida, CVC (CVCB3) e setor de varejo caem com a retomada de força do dólar ante o real e o avanço nos DIs.

O dólar à vista sobe a R$ 4,97 em meio à incertezas sobre o arcabouço fiscal no Congresso Nacional. Mas também, com a declaração de dirigentes do Fed que reforçam a defesa à continuidade do aperto monetário nos EUA.

Os juros futuros (DIs) também ampliam os ganhos em toda a curva, acompanhando o dólar e os retornos dos Treasuries de curto prazo.

PETROBRAS (PETR4) SOBE

As ações da Petrobras (PETR4) operam em alta de 2,70%, a R$ 27,43, e figuram uma das maiores altas do Ibovespa.

Os investidores operam na expectativa sobre a aprovação de distribuição de dividendos pela companhia, na próxima reunião do conselho que acontece no dia 27 deste mês.

GIRO DO MERCADO EMPIRICUS

Sinais de melhora da economia à vista?

O PIB da China no 1º trimestre de 2023 foi divulgado nesta terça-feira (18) e veio acima das expectativas. Em relação ao mesmo período do ano passado, houve um crescimento de 4,5%. Neste contexto, como ficam as ações brasileiras do setor de commodities? É hora de investir na Vale (VALE3)?

No Giro do Mercado de hoje, o analista Fernando Ferrer explica como esse crescimento do PIB pode impactar a gigante brasileira do minério de ferro e como agir daqui para a frente.

Outro assunto que gerou burburinhos no mercado foi o lançamento da Apple (AAPL34), em parceria com o Goldman Sachs, de uma conta poupança. A fabricante de iPhones virou fintech? Richard Camargo comenta o que está acontecendo.

Aperte o play e acompanhe:

SOBE E DESCE DA BOLSA

O Ibovespa, em dia volátil, voltou ao tom positivo com avanço de 0,17%, aos 106.194 pontos.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
RDOR3Rede D'Or ONR$ 22,552,50%
PETR3Petrobras ONR$ 30,411,57%
CSNA3CSN ONR$ 14,891,43%
PETR4Petrobras PNR$ 27,121,54%
USIM5Usiminas PNAR$ 7,631,19%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
CVCB3CVC ONR$ 3,12-5,74%
MRVE3MRV ONR$ 6,94-5,45%
QUAL3Qualicorp ONR$ 3,88-4,43%
HAPV3Hapvida ONR$ 2,43-4,33%
DXCO3Dexco ONR$ 5,85-3,94%
HAPVIDA (HAPV3) CAI COM EXPECTATIVA SOBRE PISO DA ENFERMAGEM

As ações da Hapvida (HAPV3) caem 4,33%, a R$ 2,43. O presidente Lula deve assinar, ainda hoje, um projeto de lei do Congresso Nacional (PLN) para garantir os recursos necessários ao pagamento do piso nacional da enfermagem, instituído por uma proposta de 2020.

Contudo, o Executivo deve manter o veto ao dispositivo que prevê que o piso seja atualizado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

*Com informações de Broadcast

Governo Lula vai taxar sites de apostas esportivas e também seus apostadores

O governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu taxar não apenas as empresas de apostas esportivas no Brasil, mas também os apostadores. A cobrança vai fazer parte de uma medida provisória elaborada pelo Ministério da Fazenda.

Os apostadores serão taxados em 30% sobre os valores dos prêmios recebidos durante um evento esportivo. Mas vale destacar que haverá isenção para ganhos que fiquem dentro do valor da primeira faixa livre de Imposto de Renda, atualmente em R$ 1.903,98.

A informação foi divulgada pelo assessor especial do Ministério da Fazenda, José Francisco Manssur, durante audiência pública na Câmara, na semana passada. A medida provisória ainda não foi publicada e, de acordo com a pasta, será assinada ainda neste mês.

As empresas, por sua vez, terão de pagar R$ 30 milhões para o governo federal por uma licença de cinco anos e 15% de imposto sobre o lucro - receita obtida após a distribuição de prêmios. Outras exigências que estão previstas na medida provisória são: ter registro no Brasil, funcionários brasileiros e possuir capital social de no mínimo R$ 100 mil. As companhias que vendem as apostas e aquelas que oferecem os meios de pagamentos vão ter de ser credenciadas pelo governo.

Leia mais.

O Ibovespa segue instável, com commodities metálicas limitando as perdas. Mas, à espera do arcabouço fiscal, o dólar à vista ensaia alta e opera próximo ao nível de R$ 5,00.

SOBE E DESCE DA BOLSA

O Ibovespa ensaia alta com commodities metálicas e avança 0,09%, aos 106.113 pontos.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
RDOR3Rede D'Or ONR$ 22,994,50%
CSNA3CSN ONR$ 14,901,50%
EMBR3Embraer ONR$ 20,661,13%
SUZB3Suzano ONR$ 40,911,11%
CMIN3CSN Mineração ONR$ 4,751,06%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
MRVE3MRV ONR$ 6,95-5,31%
LWSA3Locaweb ONR$ 5,39-4,43%
HAPV3Hapvida ONR$ 2,43-4,33%
RRRP33R Petroleum ONR$ 26,92-2,85%
QUAL3Qualicorp ONR$ 3,95-2,71%

Após a abertura em NY, o Ibovespa reduziu as perdas, mas segue em tom negativo. O índice cai 0,05%, aos 105.962 pontos.

O avanço das companhias ligadas a commodities metálicas limitam as perdas da sessão, acompanhando a alta em amis de 2% do minério de ferro na China.

ABERTURA DE NOVA YORK

As bolsas americanas abriram sem direção única, com investidores repercutindo os balanços corporativos divulgados no pré-mercado. Entre os destaques estão os resultados de Goldman Sachs, com lucro líquido melhor que o esperado, mas com receitas mais fracas; e Bank of America, com números acima das expectativas.

Confira a abertura em NY:

  • S&P 500: +0,36%;
  • Dow Jones: -0,16%;
  • Nasdaq: +0,56%
JUROS FUTUROS AVANÇAM

Com a expectativa do arcabouço fiscal, retomada de alta do dólar ante o real e o avanço dos retornos dos títulos do Tesouro americanos (Treasuries), a curva dos juros futuros (DIs) inverteu a trajetória e passaram a subir:

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,24%13,22%
DI1F25DI Jan/2511,93%11,91%
DI1F26DI Jan/2611,69%11,66%
DI1F27DI Jan/2711,78%11,73%
DI1F28DI Jan/2811,93%11,86%

A alta dos DIs penaliza, principalmente, o setor de varejo no Ibovespa nesta manhã.

O Ibovespa vem renovando mínimas à espera do envio do arcabouço fiscal ao Congresso. O principal índice da bolsa brasileira cai 0,63%, aos 105.345 pontos.

CRIPTOS HOJE: ETHEREUM E BITCOIN SOBEM APÓS AJUSTE DA SEGUNDA-FEIRA

O dia das criptomoedas começa majoritariamente positivo. A rede do Ethereum (ETH) registrou um número maior de depósitos do que de saques pela primeira vez desde a atualização Shapella há exatamente uma semana. O Bitcoin (BTC), por sua vez, também registra ganhos nesta terça-feira (18). 

O mercado teve um forte movimento de ajuste ontem, quando o BTC perdeu o nível dos US$ 30 mil. No entanto, a queda não seguiu em frente e os investidores defenderam a manutenção desse patamar de preços, o que mostra a resistência da rede. 

Já no caso do ethereum, a tal “corrida bancária” — que colocou os analistas em estado de alerta antes da liberação dos saques — também foi limitada. Segundo dados da plataforma que consolida números da rede do ethereum, foram mais de 1 milhão de tokens retirados do staking nessa primeira semana. 

Nesta terça-feira, porém, os dados mostram um saldo positivo de 124 mil moedas em staking, superando os saques em rede. A explicação está no mecanismo criado pelos desenvolvedores para evitar a tal “corrida bancária" que poderia gerar até mesmo uma desestabilização do protocolo. 

Leia mais.

O dólar à vista sobe a R$ 4,9600, com alta de 0,46%, em movimento de realização.

O Ibovespa não sustentou os ganhos da abertura e cai 0,35%, aos 105.642 pontos. A queda do índice acompanha o recuo da Petrobras (PETR4).

As ações preferenciais da estatal caem 0,26%, a R$ 26,66 com a desvalorização do petróleo no cenário internacional.

ABERTURA DO IBOVESPA

O Ibovespa abriu em leve alta de 0,19%, aos 106.022 pontos, à espera do envio do arcabouço fiscal ao Congresso Nacional.

Com a agenda esvaziada, a bolsa brasileira deve acompanhar o desempenho do exterior e o avanço das commodities metálicas.

ADRS DE VALE E PETROBRAS

A retomada da atividade econômica chinesa impulsiona as commodities, sobretudo, metálicas e injeta mais apetite ao risco nos mercados internacionais.

Os recibos de ações (ADRs) das companhias brasileiras Vale e Petrobras acompanham o tom positivo e sobem no pré-mercado em Nova York:

  • Vale (VALE): +1,79%, a US$ 15,96
  • Petrobras (PBR): +0,41, a US$ 12,16
MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

PT VERSUS PT

Lá fora, a maioria dos mercados asiáticos negociou em queda, ainda que marginal, nesta terça-feira, com os temores de aumento das taxas de juros nos EUA compensando amplamente o otimismo sobre o crescimento econômico chinês mais forte do que o esperado.

A notícia na região, em si, foi bem positiva, com o crescimento do PIB no primeiro trimestre da China alcançando a marca de 4,5% na comparação anual, acima das projeções — o varejo foi o grande responsável. Por outro lado, a produção industrial ficou levemente abaixo do esperado, nivelando o sentimento.

Os mercados europeus e os futuros americanos estão em alta nesta manhã, acompanhando um bom humor que deveria ter sido sentido nos mercados asiáticos.

As commodities metálicas vão melhor que as energéticas, pelo menos por enquanto, o que poderá ser refletido no desempenho brasileiro. Internacionalmente, falas de autoridades monetárias, em especial do Federal Reserve, estão pressionando as expectativas, prometendo mais juros.

Por aqui, na falta de indicadores, a discussão volta ao tema central: a entrega do texto do arcabouço fiscal.

A ver…

00:51 — Revisões positivas

No Brasil, era para ter sido no final de março (só tivemos a ideia geral, sem as especificações), depois ficou para o início de abril e então para a semana passada. Bem, devemos receber hoje (finalmente) o texto do arcabouço fiscal que substituirá o teto de gastos na entrega do projeto ao Congresso.

O atraso pode ser compensado pelo fato de que estamos com o cronograma geral adiantado; além disso, o entendimento é de que a demora para conhecermos a formalização e os pormenores se deve às revisões mais ortodoxas da ala econômica. Se for isso, tudo bem.

Falta combinar com a ala radical, histérica e sem preparo técnico do PT, que adora fazer barulho, promete desafiar Haddad e pode ser um empecilho ao projeto no Congresso — sim, o partido do governo vai atrapalhar a proposta do governo; coerência em primeiro lugar, afinal.

De qualquer forma, o texto deve ter sua defesa já planejada para eventuais perversões da ala política — há uma tentativa de blindar os valores de referência, que foram incorporados desde já à lei complementar (exige a maioria absoluta dos parlamentares). Quanto antes virarmos essa página, melhor.

01:48 — Entre mais resultados corporativos e a dívida pública americana

Nos EUA, a temporada de resultados costuma atrair a atenção dos investidores para os fundamentos, que deveriam ser o que realmente importa. Com os grandes bancos, pelo menos até agora, surpreendendo positivamente, há um otimismo crescente sobre os resultados.

Ao mesmo tempo, há uma atenção especial ao teto da dívida e da crescente ameaça de um impasse prolongado em Washington, podendo provocar estresse sobre a curva de juros e, consequentemente, as ações.

Os republicanos se negam a aprovar um aumento no limite da dívida sem compromisso fiscalista por parte de Biden, o governo americano mais expansionista da história recente.

Em outras palavras, a oposição à Casa Branca quer usar as negociações do limite da dívida como uma oportunidade para examinar as finanças dos EUA. A ideia é excelente, uma vez que o que foi praticado até aqui se mostra insustentável no longo prazo. Não só os EUA, mas todos os países precisam revisar suas finanças.

Enquanto esperamos a definição desta saga, contamos com o resultado de grandes nomes dos EUA como Bank of America, Bank of New York Mellon, Goldman Sachs, Johnson & Johnson, Lockheed Martin, Netflix e United Airlines.

Há quem diga que possamos ter o melhor início de temporada para um primeiro trimestre em mais de 10 anos, o que surpreende positivamente e chama a atenção dos investidores. Dados do mercado imobiliário também são aguardados, mas com contornos secundários.

02:57 — Problemas europeus

No Reino Unido, os dados do mercado de trabalho de fevereiro e março mostraram uma taxa de desemprego mais alta, enquanto os ganhos médios (excluindo pagamentos de bônus) ficaram estáveis.

Tal como acontece com a maioria das economias desenvolvidas, a esperança é que o crescimento dos salários nominais modere mais lentamente do que a inflação. Poderá ser o grande trunfo do Federal Reserve nos EUA, por exemplo, se é que ele ainda almeja o tão sonhado "soft landing".

Paralelamente, a pesquisa de sentimento empresarial ZEW da Alemanha de abril veio abaixo do esperado. Sim, uma atividade econômica mais fraca pode moderar a inflação aquecida das diferentes regiões do mundo. Entretanto, a possibilidade de uma recessão nas economias centrais fica cada vez mais elevada.

A notícia não afetou negativamente os mercados europeus nesta manhã, mas ao longo dos próximos meses, as notícias negativas podem realmente ter um efeito ruim sobre os mercados.

03:43 — Um bom crescimento

A economia chinesa cresceu 4,5% na comparação anual no primeiro trimestre de 2023, um valor acima do esperado, ajudada em grande parte pelo levantamento das restrições anti-Covid entre o final de 2022 e o início deste ano. O motor desse crescimento foi o varejo, que teve suas vendas crescendo 10,6% em março.

Para 2023, o crescimento do PIB deve subir para 5,4%, de 3,0% no ano passado, um de seus piores desempenhos em quase meio século devido à pandemia. O governo da China estabeleceu uma meta de 5% de crescimento econômico para este ano, depois de não cumprir a meta de 2022. Se superar, poderá ser bom para as commodities.

Mas enquanto a leitura mostrava que uma recuperação econômica no país estava a caminho, outros dados destacavam uma recuperação desigual. A produção industrial, por exemplo, ficou abaixo das estimativas pelo segundo mês consecutivo em março, mostrando que o enorme setor manufatureiro do país ainda enfrenta dificuldades.

04:29 — O custo das tensões geopolíticas

As recentes tensões entre a China e os EUA sobre a produção de semicondutores fazem parte de uma tendência mais ampla que pode diminuir substancialmente a prosperidade mundial, conforme o que argumentou o Fundo Monetário Internacional (FMI) em um relatório recente.

Lembre-se que os EUA aprovaram leis para trazer a produção de semicondutores de volta ao país e impedir que empresas fabriquem ou desenvolvam chips de ponta na China, encorajando os aliados a fazerem o mesmo.

Isso equivale a barreiras ao investimento estrangeiro direto e está acontecendo em várias áreas à medida que as cadeias de suprimentos mais amigáveis se tornam mais populares (a ideia seria a de manter a produção em casa ou apenas em países confiáveis).

Essa fragmentação, contudo, acabará prejudicando o output econômico, podendo reduzir a produção global em cerca de 2% no longo prazo. Os mercados emergentes provavelmente serão mais atingidos do que os desenvolvidos.

OPÇÕES DA 3R PETROLEUM DISPARAM COM PROPOSTA DE AUMENTO DE CAPITAL

A proposta de aumento de capital de até R$ 900 milhões da 3R Petroleum (RRRP3) derrubou as ações da companhia ontem na B3. Por outro lado, fez a festa dos investidores que tinham opções de venda dos papéis, que registraram valorizações de até 6.150% em um único dia.

As opções de venda — também chamadas puts — dão o direito de um investidor vender os papéis de uma companhia por um preço definido em uma determinada data.

A cotação das opções de venda sobe ou desce conforme as ações se aproximam do preço de exercício.

Na pior das hipóteses, elas podem "virar pó", ou seja, perdem todo o valor se a cotação das ações for mais alta que o preço de venda dos papéis na data de vencimento. Por isso, trata-se de um investimento de altíssimo risco, mas com grande potencial de retorno de curtíssimo prazo.

Leia mais.

ABERTURA DOS JUROS FUTUROS

Em linha com a melhora da atividade econômica da China, indicada pelo crescimento do PIB a 4,5% no primeiro trimestre, a curva de juros futuros (DIs) abriam com viés de queda. A desvalorização do dólar e do petróleo também contribuem para o alívio.

Confira a abertura dos DIs:

CÓDIGONOME ULT  FEC 
DI1F24DI Jan/2413,20%13,22%
DI1F25DI Jan/2511,84%11,91%
DI1F26DI Jan/2611,57%11,66%
DI1F27DI Jan/2711,65%11,73%
DI1F28DI Jan/2811,79%11,86%

O Ibovespa futuro acelera alta a 1,04%, aos 109.090 pontos, com melhora econômica da China. O país asiático é um dos maiores parceiros comerciais do Brasil, além de impulsionar a economia global.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista abriu a R$ 4,9200, com queda de 0,35% em relação ao fechamento anterior.

ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

O Ibovespa futuro abriu em alta de 0,50%, aos 108.500 pontos e acompanha o maior apetite ao risco do exterior.

O tom positivo das bolsas internacionais é impulsionado pelo crescimento da atividade econômica (PIB) chinesa maior que o esperado para o primeiro trimestre. O PIB da China avançou 4,5% entre janeiro e março, ante alta de 4% esperada.

Soma-se a isso, os reportes trimestrais dos bancos tradicionais dos EUA. Na semana passada, Citigroup, JP Morgan e Wells Fargo divulgaram resultados melhores que o esperado. Hoje, o Goldman Sachs também superou as expectativas com lucro líquido de US$ 3,23 bilhões no primeiro trimestre.

No Brasil, as atenções voltam-se a entrega da proposta do arcabouço fiscal do governo ao Congresso Nacional. Segundo o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, presidente Lula deve entregar o texto em mãos para o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira. O ministro concedeu entrevista à rádio CBN mais cedo.

COMMODITIES SEM DIREÇÃO ÚNICA

O crescimento de 4,5% do PIB da China no primeiro trimestre, acima da previsão dos mercados, impulsiona maior apetite ao risco dos investidores.

Com isso, o minério de ferro, negociado em Dalian (China), registra alta de 2,08%, com a tonelada a US$ 114,02.

Já o petróleo tipo Brent cai 0,27%, a US$ 84,54 o barril, acompanhando a desvalorização do dólar ante moedas rivais e emergentes ligadas a commodities.

AGENDA DO DIA

Nesta terça-feira (18) começa oficialmente a temporada de balanços do primeiro trimestre de 2023 no Brasil. Isso porque nos EUA, os reportes das companhias iniciaram na semana passada.

Por aqui, há a expectativa de entrega da proposta do novo arcabouço fiscal ao Congresso Nacional ao longo do dia, sendo este o principal destaque do dia.

Confira a agenda de dados econômicos no Brasil e exterior:

HorárioPaís / RegiãoEvento
03h00Reino UnidoTaxa de desemprego em março
06h00Zona do EuroBalança Comercial de fevereiro
06h00Zona do EuroÍndice ZEW de percepção econômica em abril
09h30Estados UnidosLicenças para novas construções em março
CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Após o fechamento do último pregão, identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant - compra dos papéis da JHSF (JHSF3).

JHSF3: [Entrada] R$ 4.17; [Alvo parcial] R$ 4.27; [Alvo] R$ 4.42; [Stop] R$ 4.00

Recomendo a entrada na operação em R$ 4.17, um alvo parcial em R$ 4.27 e o alvo principal em R$ 4.42, objetivando ganhos de 6%.

O stop deve ser colocado em R$ 4.00 evitando perdas maiores caso o modelo não se confirme.

Leia mais.

FUTUROS DE NOVA YORK AMANHECEM NO AZUL

Os índices futuros das bolsas de valores de Nova York amanheceram em alta nesta terça-feira.

Os investidores norte-americanos estão de olho nos balanços corporativos, o que inclui gigantes bancários como Goldman Sachs e Bank of America.

A expectativa é grande, uma vez que a temporada de balanços nos Estados Unidos teve seu melhor início em mais de dez anos.

Também são esperados de dados do setor imobiliário americano e discurso de uma autoridade do Federal Reserve.

Confira:

  • Dow Jones: +0,23%
  • S&P-500: +0,33%
  • Nasdaq: +0,63%

BOLSAS DA EUROPA ABREM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Europa abriram em alta nesta terça-feira.

Os investidores da região repercutem dados melhores do que o esperado do Produto Interno Bruto (PIB) da China. Entretanto, o movimento é atenuado pela expectativa com indicadores locais.

Confira:

  • Londres: +0,52%
  • Frankfurt: +0,25%
  • Paris: +0,55%
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM SEM DIREÇÃO ÚNICA

As principais bolsas de valores da Ásia fecharam sem direção única nesta terça-feira.

Os investidores digeriram os indicadores econômicos chineses.

Enquanto o PIB e as vendas no varejo superaram as expectativas, a produção industrial decepcionou.

Na esteira dos dados, o índice Xangai Composto subiu 0,23%.

Em outras partes da Ásia, o japonês Nikkei avançou 0,51% em Tóquio, enquanto o Hang Seng caiu 0,63% em Hong Kong, o sul-coreano Kospi recuou 0,19% em Seul e o Taiex mostrou perda de 0,59% em Taiwan.

VENDAS NO VAREJO DA CHINA EMPOLGAM; PRODUÇÃO INDUSTRIAL DECEPCIONA

A produção industrial da China cresceu 3,9% em março, ante igual período do ano passado, informou o Escritório Nacional de Estatísticas do país (NBS, na sigla em inglês).

O resultado ficou aquém da previsão de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que esperavam crescimento de 4,1%.

Já as vendas no varejo chinês avançaram 10,6% em março, na comparação anual. O resultado veio acima da previsão de analistas, que esperavam alta de 7,9%. Na comparação mensal, o crescimento foi de 0,15%.

PIB DA CHINA CRESCE MAIS QUE O ESPERADO NO 1T23

O Produto Interno Bruto (PIB) da China cresceu mais do que o esperado no primeiro trimestre de 2023.

A economia chinesa expandiu-se 4,5% na comparação com igual período de 2022, informou o Escritório Nacional de Estatísticas do país.

O resultado superou a previsão de analistas consultados pelo Wall Street Journal, que esperavam alta de 4,0%.

Na comparação trimestral, o resultado dos primeiros três meses de 2023 apresentou crescimento de 2,2%.

Compartilhe

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Com pressão de Vale, Ibovespa começa a semana em queda; dólar sobe a R$ 5,10

20 de maio de 2024 - 17:20

RESUMO DO DIA: O principal índice da bolsa brasileira entrou na penúltima semana de maio de olho no retrovisor. Isso porque os desdobramentos da saída de Jean Paul Prates da presidência da Petrobras (PETR4) seguiram sendo o foco dos investidores locais. O Ibovespa terminou o dia com baixa de 0,31%, aos 127.750 pontos. Já o […]

INVESTIMENTOS

À procura de dividendos? Itaú Asset lança ETF que distribui renda para investidores 

20 de maio de 2024 - 15:14

Sob o código DIVD11, o fundo do Itaú começa a ser negociado em 11 de junho e com referência ao Índice de Dividendos da B3, o IDIV

QUEM CONTROLA O CONTROLADOR

Em vitória dos minoritários, Braskem (BRKM5) sobe forte na B3 após Novonor ser condenada a pagar indenização bilionária à companhia

20 de maio de 2024 - 11:23

Controladora da Braskem, Novonor foi condenada a indenizar a petroquímica em cerca de R$ 5,5 bilhões em processo aberto por acionistas minoritários

REVISÃO

Santander reduz projeção do Ibovespa para 145 mil pontos e muda carteira para enfrentar turbulência; veja as ações favoritas dos analistas

20 de maio de 2024 - 10:59

Mesmo com a redução da projeção em 15 mil pontos, o banco espera crescimento do Ibovespa em 13% neste ano e um retorno de 15% de lucro por ação

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: noticiário esfria após semana de dança das cadeiras na Petrobras (PETR4); encontro do CMN é destaque no Brasil

20 de maio de 2024 - 8:15

Lá fora, os investidores acompanham vários discursos de integrantes do Federal Reserve para buscar um direcionamento do futuro dos juros no país

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) limita ganhos do Ibovespa; dólar cai a R$ 5,10 e recua mais de 1% na semana

17 de maio de 2024 - 17:35

RESUMO DO DIA: Como uma montanha-russa, o Ibovespa iniciou a semana em alta com a ata do Copom que aliviou, momentaneamente, o temor dos investidores. Mas Petrobras (PETR4) roubou a cena com a demissão repentina de Jean Paul Prates da presidência da estatal. Com isso, o Ibovespa termina a última sessão da semana em baixa […]

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa se recupera do tombo de Petrobras (PETR4) e fecha em alta; dólar cai a R$ 5,13

16 de maio de 2024 - 17:40

RESUMO DO DIA: Após um dia de tensão por conta das mudanças na Petrobras (PETR4), o Ibovespa conseguiu conter as perdas embalado pelas máximas em Wall Street. O principal índice da bolsa brasileira terminou a sessão com alta de 0,20%, aos 128.283 pontos. O dólar fechou a R$ 5,13, com baixa de 0,13% no mercado […]

TEMPOS DE GLÓRIA CHEGARAM?

Nas alturas: Dow Jones ultrapassa os 40 mil pontos pela primeira vez na história 

16 de maio de 2024 - 16:30

Quando começou a operar, Dow Jones era composto apenas por 12 ações. Hoje, o índice tem ações das 30 maiores empresas dos Estados Unidos

DESTAQUES DA BOLSA

De malas prontas: Presidente e dois membros do conselho da CVC (CVCB3) renunciam; ações caem mais de 7% na B3 

16 de maio de 2024 - 13:41

Valdecyr Maciel Gomes renunciou ao cargo depois de três anos na função; movimentação acontece uma semana após balanço do primeiro trimestre

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Petrobras (PETR4) rouba as atenções e Ibovespa fecha em queda em dia de NY nas máximas; dólar sobe a R$ 5,13

15 de maio de 2024 - 17:16

RESUMO DO DIA: Sinal vermelho para os mercados: a repentina demissão de Jean Paul Prates da presidência da Petrobras (PETR4) pegou os investidores de surpresa e as atenções se voltaram para os desdobramentos da mudança no comando da companhia. Dado o peso de Petrobras no principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa terminou o pregão […]

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar