🔴 AÇÃO QUE JÁ DISPAROU 1.200% E AINDA ESTÁ BARATA – VEJA QUAL

Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
UM ALENTO AO BOLSO

Netflix mais barata? Plano com anúncios da gigante do streaming pode sair pela metade do preço

O preço do novo produto ainda não foi oficialmente divulgado pela companhia, mas, segundo agência de notícias, o valor estudado varia entre US$ 7 a US$ 9 por mês

Camille Lima
Camille Lima
29 de agosto de 2022
13:18 - atualizado às 18:04
Netflix
Netflix - Imagem: Divulgação/Netflix

O aniversário da Netflix (NFLX34) é hoje, mas o presente parece ser dos assinantes da plataforma de streaming. Se uma das maiores queixas envolvendo a empresa era sobre o alto custo de seus planos de assinatura, agora a companhia parece ter encontrado a solução.

A ideia de lançar uma versão acessível e baseada em anúncios foi divulgada pela companhia em abril deste ano. “Sou um grande fã da escolha do consumidor, e permitir que consumidores que gostariam de ter um preço mais baixo e são tolerantes à publicidade consigam o que querem faz muito sentido”, afirmou o co-CEO da Netflix, Reed Hastings.

Pouco depois de um mês desde o anúncio da parceria com a Microsoft para impulsionar as vendas e gerenciar a publicidade, a empresa começou a avaliar os novos preços que irá cobrar em seu “plano mais barato”, suportado por anúncios. 

A versão “acessível” do aplicativo contaria com quatro minutos de comerciais por hora, antes e durante os programas, disseram fontes familiarizadas com os planos da empresa à agência de notícias Bloomberg.

Além disso, ao contrário dos planos atuais disponibilizados pela Netflix, a opção mais barata não permite que os usuários baixem conteúdos em seus aparelhos para visualizar de modo offline.

Quanto vai custar o plano da Netflix com anúncios?

O preço do novo produto da Netflix ainda não foi oficialmente divulgado pela companhia, mas, segundo a reportagem da Bloomberg, o valor estudado deve variar entre US$ 7 a US$ 9 por mês. 

Vale destacar que ainda não é possível determinar quanto a nova versão com anúncios custará por aqui.

O novo preço do plano equivaleria a aproximadamente metade do custo da assinatura mais popular da plataforma, a opção Standard, que hoje está a US$ 15,49 por mês. No Brasil, o mesmo plano — que permite a transmissão de conteúdo em duas telas por vez — está por R$ 39,90. 

O plano básico, que possui uma menor qualidade de imagem e permite apenas uma transmissão por vez, custa US$ 9,99 por mês. Para termos de equivalência, por aqui, a mesma assinatura está a R$ 25,90.

Enquanto isso, o preço da opção Premium, com alta definição e transmissão de conteúdo em quatro telas simultaneamente, é de US$ 19,99. Aqui, custa R$ 55,90.

Um parabéns com ou sem emoção?

Apesar de a Netflix completar apenas 25 anos nesta segunda-feira (29) — isto é, no alto de sua juventude —, a companhia hoje passa por uma crise de meia-idade, com problemas para enxergar o futuro que a espera daqui um tempo.

Isso porque a gigante dos streamings enfrenta uma queda no número de assinantes em meio à crescente e feroz concorrência no setor.

Apesar de a queda nos usuários ter vindo abaixo das fracas projeções da empresa para o segundo trimestre, a companhia viu cerca de 1 milhão de clientes deixarem de assinar o serviço entre abril e junho deste ano.

De acordo com analistas, a orientação da Netflix para os números de assinantes nos próximos trimestres será ainda mais relevante do que o último resultado.

Isso porque, na análise dos especialistas, outra previsão de perdas de assinantes poderia fazer com que as ações da empresa entrassem em uma espiral de perdas.

Segundo estimativas da StreetAccount, analistas esperam um aumento de 1,8 milhão de assinantes entre julho e setembro, à medida que o portfólio de conteúdo da Netflix cresce e preocupações com os reajustes de preços diminuem.

Disney versus Netflix

Ao mesmo tempo em que a Netflix aliviou parte das preocupações em relação ao setor de streaming, a Disney (DISB34) também superou as expectativas do mercado sobre o resultado do segundo trimestre.

Entre abril e junho, o número de novos assinantes do Disney+ foi de 14,4 milhões, contra as projeções de 10 milhões de adições feitas pelos analistas de Wall Street.

O total de assinaturas da plataforma chegou a 152,1 milhões, avanço de 31% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Na ponta oposta, a criadora do Mickey Mouse ainda revelou os novos preços para seus planos de streaming, incluindo uma versão apoiada por publicidade — como a anunciada pela Netflix —, porém mais cara do que o plano atual.

A partir de 8 de dezembro, o Disney+ com comerciais custará US$ 7,99 por mês nos Estados Unidos — valor atualmente cobrado pela plataforma sem anúncios.

O preço do Disney+ sem anúncios aumentará 38%, para US$ 10,99 — um reajuste de US$ 3 mensais.

*Com informações de Business Insider

Compartilhe

MICKEY RINDO À TOA

Não entrem em pânico! Resultado da Disney (DISB34) mostra que gigantes do streaming estão mais vivas do que nunca — ações avançam em Nova York

10 de agosto de 2022 - 17:24

Disney supera previsões e mostra que o mercado global de streaming não está se aproximando da saturação, mas anuncia reajuste de preços na América do Norte

UMA FORCINHA DO MICKEY

Bitcoin (BTC) comeu poeira: Polygon (MATIC) vira a queridinha da Disney e dispara mais de 20% — entenda a história

14 de julho de 2022 - 13:43

Além de atingir o nível mais alto em um mês, o token também ficou acima da média móvel de 50 dias, um patamar considerado de resistência e que limitava as tentativas de voos mais altos da MATIC desde janeiro

LOVE AND THUNDER

Thor: Amor e Trovão garante a terceira melhor estreia do ano nos cinemas — veja quem venceu o deus do trovão nas bilheterias

11 de julho de 2022 - 17:16

Por aqui, o novo filme mostrou que Thor e a Marvel seguem poderosos, levando 1,62 milhão de pessoas aos cinemas entre os dias 7 e 10 de julho

BALANÇO

Na arena do streaming, Disney (DISB34) vence rival Netflix (NFLX34) e ainda recebe ajuda do Mickey no trimestre

11 de maio de 2022 - 17:17

As duas gigantes sentem o golpe de um mundo que saiu das restrições severas que mantinham as pessoas em casa e também não escapam dos jabs e diretos de uma economia global em desaceleração; veja quem se saiu melhor nessa luta

BYE BYE!

Facebook (FBOK34), Netflix (NFLX34), Airbnb (AIRB34) e Apple (AAPL34): a enorme lista de empresas que cortaram laços com a Rússia e deixaram Putin na mão

4 de março de 2022 - 14:02

Além do efeito das sanções, que torna praticamente impossível a realização de negócios no país, essas companhias estão preocupadas com a imagem em meio à guerra

MERECE A ESTATUETA?

Oscar ignora Homem-Aranha, mas mercado premia a Disney com forte alta das ações após resultado trimestral

9 de fevereiro de 2022 - 19:36

A empresa ultrapassou as previsões para lucro, receita e assinantes e também viu o negócio de parques voltar a crescer – um ponto que estava sendo observado de perto pelos investidores

O COMETA PASSOU LONGE

Não olhe para cima: ações da Netflix desabam com avanço menor no número de assinantes

20 de janeiro de 2022 - 19:14

Mercado olhou para o dado na busca de sinais de como a empresa de streaming vai performar em um mundo no qual a pandemia estará mais controlada

MICKEY VIRTUAL

Disney no metaverso: visitantes poderão ter experiência personalizada nos parques temáticos; saiba como

10 de janeiro de 2022 - 19:36

A empresa obteve aprovação nos Estados Unidos para a patente de simulador de mundo virtual durante a última semana de dezembro

Problemas na terra do mickey

Disney (DISB34) reverte prejuízo, mas ações recuam forte em NY com lucro e receita abaixo do esperado

10 de novembro de 2021 - 19:29

O grupo destacou o salto de 60% na comparação anual da base de assinantes de seu principal serviço de streaming, o Disney+, que chegou a 118,1 milhões de clientes no quarto trimestre fiscal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar