Menu
2020-08-04T20:32:22-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
"'mulan" no disney+

Disney dobra a aposta em serviço de streaming após prejuízo de quase US$ 5 bilhões

Empresa vai lançar o live-action “Mulan” na plataforma de streaming Disney+ e anunciou novo serviço internacional para 2021

4 de agosto de 2020
20:32
Disney — Cartaz do live-action "Mulan"
Imagem: Shutterstock

A Walt Disney está dobrando a aposta no serviço de streaming da companhia, depois de registrar perda trimestral de quase US$ 5 bilhões nesta terça-feira (4), em meio a uma pandemia que paralisou seus parques temáticos, produções ao vivo e linhas de cruzeiro.

A Disney reportou um prejuízo líquido de US$ 4,72 bilhões no terceiro trimestre fiscal. O lucro por ação foi de US$ 2,61, em comparação com o lucro por ação de US$ 0,79 no mesmo trimestre do ano anterior.

A perda ocorreu em grande parte devido a ajuste de US$ 4,95 bilhões que a Disney assumiu como resultado da pandemia e da mudança dos hábitos em relação à mídia em todo o mundo.

A empresa disse que o impairment — ajuste contábil realizado como resultado de uma mudança no nível de preços de ativos que uma empresa mantém em estoque — reflete os impactos da pandemia e da "mudança contínua da distribuição de filmes e televisão do licenciamento de canais lineares para um modelo de negócios direto ao consumidor nos negócios do International Channel".

Com o ajuste a essa cobrança e a outros fatores, a Disney registrou lucro líquido de US$ 0,08 por ação, comparado a US$ 1,34 por ação há um ano. A receita caiu 42%, para US$ 11,78 bilhões, ante os US$ 20,25 bilhões registrados no ano anterior.

Mas outra novidade chamou a atenção. A Disney anunciou em teleconferência à tarde que seu há muito esperado live-action "Mulan" será lançado no Disney +, como uma opção pay-per-view. A Disney cobrará US$ 29,99 nos Estados Unidos para exibir o filme no seu serviço de streaming de assinatura a partir de 4 de setembro — com preços semelhantes em outros países nos quais o filme será oferecido. O filme será lançado nos cinemas dos países onde as instalações estão abertas.

"Vemos isso como uma oportunidade de levar esse filme incrível a um amplo público atualmente incapaz de ir às salas de cinema, além de aumentar ainda mais o valor e a atratividade de uma assinatura Disney +", disse o CEO Bob Chapek na teleconferência.

A medida poderia ajudar a Disney a gerar receita em um período pouco fértil, e é outro prego no caixão dos períodos de "janela", que só permitiram que novos filmes fossem exibidos nos cinemas nos primeiros 75 dias, já que a Disney passará completamente por cima dos cinemas em na maior parte do mundo com um dos lançamentos mais esperados do ano.

Chapek também disse que a Disney agora espera lançar um novo serviço de streaming internacional sob sua marca Star em 2021, buscando capitalizar suas participações em conteúdo com um novo pacote.

"Espelhando a estratégia que seguimos com sucesso com a Disney +, a oferta estará enraizada no conteúdo que possuímos dos mecanismos de produção e bibliotecas prolíficos e aclamados pela crítica da ABC Studios, Fox television, FX, Freeform, 20th Century Studios e Searchlight", disse Chapek. “Em muitos mercados, a oferta será totalmente integrada à nossa plataforma Disney + estabelecida, tanto da perspectiva de marketing quanto da tecnologia, e será distribuída sob a marca Star, que foi utilizada com sucesso pela empresa para outros lançamentos de plataformas de entretenimento em geral, particularmente com Disney + Hotstar na Índia. ”

As ações da Disney inicialmente caíram 2% nas negociações após o horário comercial, mas saltaram para um ganho de cerca de 5% após os anúncios sobre os serviços de streaming gêmeos. As ações da Disney caíram 19% este ano, enquanto o índice S&P 500 tem ganhos de 2% em 2020.

*Com informações da Broadcast e do MarketWatch

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies