O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-05-02T17:41:53-03:00
Carolina Gama
UMA AMIZADE DE BILHÕES

Putin corre risco? O plano ambicioso da Rússia para ficar mais perto da China pode estar ameaçado; entenda por quê

O chefe do Kremlin já deu a ordem: comércio entre russos e chineses deve subir para US$ 200 bilhões até 2024, mas essa não será uma tarefa fácil de executar

2 de maio de 2022
17:41
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, cumprimenta com um aperto de mãos o presidente da China, Xi Jinping
O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente da China, Xi Jinping - Imagem: Shutterstock

A amizade entre Rússia e China não é de milhões — mas sim, de bilhões. Pelo menos, essa é a aposta do presidente russo, Vladimir Putin, para manter a economia do país viva em meio à guerra na Ucrânia e às sanções impostas pelo Ocidente. 

Para isso, a ordem do chefe do Kremlin é clara: o comércio entre russos e chineses deve subir para US$ 200 bilhões até 2024. E esse montante deve ser alcançado com a ajuda das commodities, já que a Rússia é uma grande exportadora de petróleo, gás e matérias-primas agrícolas. 

Os dois países vêm reforçando laços nos últimos anos, incluindo o anúncio de uma parceria "sem limites" em fevereiro. Só para se ter uma ideia, em 2021, o comércio entre Rússia e China bateu recorde ao alcançar US$ 147 bilhões — um aumento de 35% em relação ao ano anterior. 

Georgiy Zinoviev, chefe do primeiro departamento asiático do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, disse que a ordem de Putin vai além: a ideia é atingir esse número ambicioso antes de 2024.

As pedras no caminho da Rússia

Embora não tenha assumido um lado oficialmente na guerra na Ucrânia, a China se recusou a condenar as ações da Rússia e criticou as sanções ocidentais sem precedentes a Moscou. 

No entanto, existem pedras no caminho da Rússia — que podem atrasar ou até impedir a execução do plano de bilhões de Putin. 

Segundo Zinoviev, as empresas chinesas continuam interessadas em expandir sua presença na Rússia, aproveitando a brecha deixada pelas empresas ocidentais que deixaram o país por conta da guerra. 

No entanto, ele mesmo reconhece que é preciso tempo para se adaptar às mudanças. Além disso, Zinoviev disse que a luta da China contra a covid-19 nas últimas semanas é um fator que pode complicar os esforços.

As sanções secundárias contra Putin

O governo de Putin também reconhece o risco de sanções secundárias que as empresas chinesas podem enfrentar se ajudarem a Rússia a contornar as sanções. Ainda assim, Moscou acha  provável um aumento significativo na cooperação.

"Está claro que na situação atual muitos operadores econômicos chineses precisam ter cautela, dada a probabilidade de sanções secundárias", disse Zinoviev.

"Estou convencido de que nossos parceiros e nós seremos capazes de usar a situação atual para nossos interesses comuns e liberar totalmente o potencial para um aumento significativo da cooperação em todas as áreas".

*Com informações da Reuters e do Asia Financial

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies