🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-06-07T00:51:50-03:00
Camille Lima
ORDEM DA PHOENIX

Dona do aplicativo 99, a Didi ressurge na bolsa com fim da proibição na China; ações disparam mais de 50% na Nasdaq

A chinesa estava barrada desde julho de 2021 de adicionar novos usuários à plataforma, mas deve poder recolocar o aplicativo nas lojas digitais do país já na próxima semana

6 de junho de 2022
10:50 - atualizado às 0:51
App do Didi Chuxing
Imagem: Shutterstock

Se os dementadores – criaturas do universo de Harry Potter que sugam a energia alheia – existissem no mercado financeiro, a Didi certamente seria uma de suas vítimas. A empresa chinesa, dona do aplicativo 99, amarga perdas de 85% desde o IPO na bolsa norte-americana Nasdaq, no ano passado. 

A queda foi provocada pelo cerco do governo chinês, que proibiu o download do aplicativo de transporte dias depois da estreia das ações da empresa. Após uma longa batalha, os reguladores do gigante asiático decidiram finalmente conjurar o patrono da Didi, que surgiu reluzente, iluminando as ações em Wall Street.

Em mais uma tentativa de estimular a economia, o governo chinês encerrou as investigações sobre a companhia e vai suspender as proibições envolvendo os aplicativos da Didi e de duas outras empresas de tecnologia, segundo o The Wall Street Journal

As companhias estavam, há quase um ano, impedidas de adicionar novos usuários às suas respectivas plataformas, mas devem poder recolocar seus aplicativos nas lojas digitais chinesas já na próxima semana.

Livres de seu dementador, os papéis da Didi dispararam quase 70% no pré-mercado. Logo após a abertura na Nasdaq, as ações saltaram 55%. Apesar da valorização de DIDI na bolsa norte-americana, os papéis ainda acumulam queda de quase 40% em 2022.

Didi fora das lojas chinesas

Tanto o aplicativo da Didi quanto os de outras duas companhias chinesas que abriram capital nos Estados Unidos, Full Truck Alliance e Kanzhun, foram removidos das lojas online da China em julho de 2021. A decisão veio apenas dois dias após o IPO da Didi em Nova York, quando a empresa levantou mais de US$ 4 bilhões. 

Os órgãos reguladores afirmavam que o "Uber chinês" violou as regras de coleta e uso de informações pessoais dos seus usuários e abriram uma investigação de segurança de dados contra a dona da 99.

Porém, de acordo com as fontes entrevistadas pelo WSJ, a retirada da proibição de novos usuários pela Administração do Ciberespaço da China (CAC) e a volta às lojas de apps podem acontecer já nesta semana.

A CAC informou ao The Wall Street Journal que a Didi provavelmente terá que pagar uma grande multa. A Full Truck Alliance e a Kanzhun também enfrentarão penalidades, ainda que menores que a da gigante de tecnologia.

China e as big techs

As autoridades chinesas são famosas pelas regulamentações rigorosas em relação às empresas de tecnologia como a Didi. Desde o final de 2020, a China intensificou as pressões sobre o setor, especialmente no segmento de proteção de dados.

Mas, no fim de abril, o governo de Xi Jinping sinalizou que não só iria diminuir a pressão como também passar a oferecer estímulos financeiros para o setor. Afinal, Pequim está sofrendo as consequências econômicas de semanas de bloqueio em Xangai devido à covid-19.

A economia do país mostrou o crescimento mais lento registrado em três décadas, com a China fixando a meta de 5,5% de expansão para 2022, a menor taxa desde 1991.

*Com informações de Wall Street Journal e CNBC

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Taxas gordas

Com risco fiscal, retorno de 6% + IPCA volta a ser comum entre títulos Tesouro IPCA+ de longo prazo

6 de julho de 2022

Todos os vencimentos de títulos públicos Tesouro IPCA+ a partir de 2035 já voltaram a pagar a rentabilidade “mágica” desse tipo de ativo

QUEDA DE APORTES

Crise dos unicórnios e demissões em massa têm explicação: investimentos em startups caíram 44% no primeiro semestre

6 de julho de 2022

Inflação global, escalada da alta de juros e a Guerra da Ucrânia geraram incertezas no mercado e “seguraram” os investimentos; as mais afetadas são as startups de late stage e unicórnios

CARA CADÊ MEU DEFI?

Roubo de criptomoedas com ataque hacker levou US$ 1,3 bilhão de plataformas de DeFi em 2022; maior crime foi de US$ 180 milhões

6 de julho de 2022

Mesmo com a alta do dia, os investidores acompanham os desdobramentos do pedido de falência da Voyager Digital

O FANTASMA DA RECESSÃO

Ata do Fed manda recado: saiba se os próximos passos do BC dos EUA podem tirar o sono dos investidores

6 de julho de 2022

Na reunião de junho, o banco central norte-americano elevou a taxa de juro em 0,75 ponto percentual, o maior aumento desde 1994, na tentativa de conter uma inflação que não dá tréguas; será que vem mais por aí?

Está vindo aí

Risco de recessão volta a assustar, petróleo amplia perdas e petroleiras lideram quedas do dia; Hypera (HYPE3) e Americanas (AMER3) sobem forte

6 de julho de 2022

Com a queda do petróleo no mercado internacional, papéis de commodities no Brasil têm maiores quedas nesta quarta-feira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies