🔴 ALGORITMO MOSTRA COMO BUSCAR ATÉ R$ 3 MIL POR DIA – CONHEÇA

Uma nova oportunidade de entrada em um dos fundos imobiliários (FIIs) vencedores de 2021

Enxergo uma nova oportunidade de entrada no FII Kinea Securities (KNSC11), que prepara a quarta emissão de cotas; conheça o fundo imobiliário

27 de fevereiro de 2022
7:45 - atualizado às 16:24
Montagem com prédios com notas de dinheiro representando fundos imobiliários dividendos
A classe de fundos imobiliários de crédito segue em forte ritmo quando tratamos de rendimentos Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Enquanto o mercado acionário recebe um impulso com a entrada de recursos estrangeiros, o Índice de Fundos Imobiliários (Ifix) segue em um cenário de contração, com queda de 2,5% no ano.

Entre os principais fatores deste movimento, destaco a alta dos juros locais, a realização de lucros provenientes do forte mês de dezembro (no qual o Ifix subiu quase 9%) e a confusão envolvendo o ofício da CVM no caso MXRF11

Neste último ponto, o efeito suspensivo da decisão trouxe um período de calma para os investidores do mercado de fundos imobiliários, que agora aguardam pela nova defesa do BTG (administrador do fundo).

Particularmente, interpreto que os desdobramentos do caso trarão um desfecho positivo para a indústria, seja pela alteração da decisão ou pela maior sofisticação contábil dos FIIs.

Opções interessantes entre os FIIs

Mesmo com os impasses, a classe de fundos imobiliários de crédito segue em forte ritmo quando tratamos de rendimentos. 

Segmento mais representativo do Ifix, com mais de 40% de sua composição, os FIIs de CRIs se tornaram opções interessantes para capturar a alta dos indexadores (IPCA e CDI) de forma quase imediata.

Um deles é o Kinea Securities (KNSC11), fundo mencionado no Décimo Andar em julho do ano passado.

Kinea Securities (KNSC11)

Até meados de fevereiro, o papel acumulava alta de 4,5% no período, contra uma queda de 2,4% do Ifix, acompanhado de um dividend yield anualizado na casa de 15%. 

Entre os fundos imobiliários mais líquidos da indústria, o fundo teve a 5ª melhor performance de 2021.

Com respaldo da diligência e originação da gestão Kinea, a carteira atual do fundo consiste em mais de 40 operações bem diversificadas entre setores, como é possível verificar no gráfico abaixo.

Portfólio do KNSC11

Além disso, o portfólio possui uma indexação concentrada em IPCA, o que impulsionou o forte retorno citado acima — o índice atingiu 10,06% no acumulado de 2021 e a taxa média de aquisição da carteira é de 6,5% ao ano.

Lembrando que o IPCA-15, divulgado na última quarta-feira (23), superou as expectativas novamente. 

Gráfico

Descrição gerada automaticamente
Fonte: Kinea

Pela característica flexível da gestão, o KNSC11 tem capacidade de flutuar entre indexadores, setores e níveis de risco, diferentemente dos outros fundos imobiliários clássicos da Kinea, como o Kinea Rendimentos (KNCR11) e o Kinea Índice de Preços (KNIP11).

Maior risco, mas bem protegido

Deste modo, o portfólio do FII conta hoje com pouco mais de 15% em operações high yield, percentual controlado que oferece maior risco ao portfólio (aliado a um retorno elevado), ainda que bem protegido por multas e garantias sólidas (alienação fiduciária, cessão fiduciária dos recebíveis e subordinação, por exemplo).

Ademais, desde o final do ano passado a gestão optou por realizar, provisoriamente, operações compromissadas reversas lastreadas em CRIs, representando hoje 10% do patrimônio líquido (PL) do fundo.

Em resumo, essa estratégia envolve a venda de um título e, após período pré-determinado, há o compromisso do vendedor em recomprá-lo por valor pré-acordado — seu funcionamento é bem próximo de uma alavancagem.

O instrumento permite uma alocação maior de recursos em CRI, o que contribui para aumentar o retorno da carteira e gerar maior agilidade de alocação dos recursos das emissões de cotas.

Além disso, diferentemente do caso Maxi Renda (MXRF11), o fundo é administrado pela Intrag, que já atua com o regime de competência em seus produtos. Em teoria, o KNSC11 está menos exposto a qualquer mudança de regra contábil indicada pela CVM no último ofício.

Mas por que estou descrevendo os principais pontos do KNSC11? Simples: enxergo uma nova oportunidade de entrada no fundo.

Kinea Securities (KNSC11): 4a emissão de cotas do FII

O FII Kinea Securities (KNSC11) vem para sua quarta emissão de cotas, realizada nos moldes de uma oferta CVM 400, ou seja, destinada para todos os tipos de investidores.

O objetivo será levantar cerca de R$ 400 milhões, emitindo 4,45 milhões de novas cotas a R$ 92,80 cada, já considerando a taxa de distribuição primária de 3,23% (ou R$ 2,90) – o KNSC11 negocia atualmente com preço de R$ 95, aproximadamente. 

O montante mínimo será de R$ 20 milhões, ou seja, se a captação superar esse valor, a oferta não precisará ser cancelada. 

Os atuais cotistas do FII poderão participar via exercício do direito de preferência, que será emitido no fator de 0,560, ou seja, o cotista que possuir 1.000 cotas, por exemplo, poderá subscrever 560 novas cotas do fundo.

Para novos investidores, o investimento mínimo é de R$ 25 mil ou de acordo com a regra cima por meio da compra do direito de subscrição (KNSC12) em bolsa.

Segundo com o cronograma passado pela gestão, os atuais cotistas do FII têm até o dia 4 de março para manifestar sua vontade em participar da oferta via exercício dos direitos de preferência ou até o dia 2 para vendê-los.

Destinação dos recursos e orientação

O KNSC11 já possui um pipeline bem definido com uma tranche de CRIs. Em geral, o destaque vai para a indexação dos ativos, majoritariamente atrelados ao CDI com spread médio de 2,6%.

Diante da característica flexível do portfólio, a gestão quer aproveitar os novos recursos para montar operações que proporcionem uma maior diversificação da carteira e que capturem essa alta da taxa de juros.

Interface gráfica do usuário, Aplicativo, Tabela

Descrição gerada automaticamente
Fonte: Prospecto da oferta

De acordo com o prospecto, estamos tratando de operações majoritariamente high grade (alta qualidade de crédito) e originadas pela própria Kinea, o que é característica da gestão. Vale citar que este pipeline pode ser alterado conforme a dinâmica do mercado.

Projeções e estimativas

Seguindo a tendência das últimas emissões, aliada às operações compromissadas descritas acima, esperamos que a gestão concretize a alocação dos recursos rapidamente — algo em torno de dois meses.

No estudo de viabilidade, a gestão do FII estima um dividendo de 11,08% para o primeiro ano, considerando o preço da emissão, valor bem atrativo.

Em nosso modelo, que trabalha com indexadores diferentes para o período, estimamos que o KNSC11 atinja um yield de 13% no período, caso a oferta seja bem-sucedida (captação integral).

Adicionalmente, utilizando uma taxa de desconto nominal de 12,18% para o fundo, enxergamos um ganho de capital de aproximadamente 7% sobre o preço da oferta, o que agrega ainda mais atratividade ao case.

Por fim, é importante citar que a equipe de gestão do KNSC11 tem realizado um trabalho excelente à frente do fundo desde o ano passado, montando o portfólio em momento oportuno.

Compra direta atrativa

A gestão Kinea, que já comanda os principais FIIs de crédito da indústria (KNIP11 e KNCR11), possui nome consolidado no setor.

Em períodos de oferta, é bem comum que as cotas dos fundos tenham pequena correção, movimento que ocorreu com o KNSC11.

Dito isso, entendo que a participação na oferta é uma oportunidade, mas mesmo a compra direta do fundo em Bolsa me parece atrativa na cotação atual, especialmente para engordar nossos proventos!

Um abraço,
Caio

Compartilhe

DÉCIMO ANDAR

FIIs de tijolos voltam ao radar: veja um portfólio bem descontado

21 de agosto de 2022 - 7:33

FIIs de lajes corporativas, shoppings e logística saltam mais de 8% em agosto, com altas expressivas em portfólios tradicionais; conheça um dos meus ativos favoritos

Décimo Andar

O caminho da evolução: A indústria de fundos imobiliários ainda tem muito a avançar; saiba o que esperar

10 de agosto de 2022 - 11:04

Em termos de alinhamento com os cotistas, a indústria de FIIs tem características únicas e grandes vantagens. Ainda assim, são necessários novos ajustes no meio do caminho

DÉCIMO ANDAR

Magalu, Americanas e Via seguem como boas inquilinas? Apesar da desaceleração do e-commerce, FII de logística continua atrativo

24 de julho de 2022 - 7:40

Atualmente, temos diversos FIIs logísticos negociando abaixo do valor patrimonial e do custo de reposição, mesmo em portfólios de alta qualidade e bem posicionados

DÉCIMO ANDAR

Vale a pena investir em shopping centers? Confira uma oportunidade no segmento imobiliário de melhor performance em 2022

26 de junho de 2022 - 7:35

Vendas em shopping centers cresceram 34,8% no 1T22, primeiro resultado positivo do setor desde o início da pandemia

DÉCIMO ANDAR

Vai investir em FIIs? Conheça os simulacros e as melhores oportunidades do mercado imobiliário

25 de maio de 2022 - 12:26

O descolamento entre a performance dos ativos e a realidade financeira quase sempre indica uma antecipação de cenário pelas instituições do mercado. Quando essa dinâmica se mostra incorreta, surgem janelas de investimento

DÉCIMO ANDAR

Após a boa notícia da CVM, conheça uma nova oportunidade em um fundo imobiliário (FII) de crédito

22 de maio de 2022 - 7:39

Decisão da CVM sobre rendimentos de FII alivia a pressão sobre os fundos imobiliários, entre eles os de crédito (CRI); veja uma boa opção para investir

Décimo Andar

Com os FIIs de tijolo nos holofotes, conheça um portfólio de qualidade que está dando sopa

24 de abril de 2022 - 8:04

Cenário econômico proporciona uma série de barganhas entre os fundos imobiliários de tijolos, mesmo aqueles de maior qualidade

DÉCIMO ANDAR

Agora vai? Setor de lajes corporativas sinaliza recuperação e abre oportunidades nos fundos imobiliários (FIIs); saiba onde investir

27 de março de 2022 - 9:00

Temos uma oportunidade de entrada interessante em FIIs do segmento de escritórios, aproveitando este momento de retomada do trabalho presencial

DÉCIMO ANDAR

Fiagro: fique por dentro da nova forma de ganhar dinheiro investindo no agronegócio

30 de janeiro de 2022 - 7:50

Fundo é uma junção dos recursos de vários investidores para a aplicação em ativos de investimentos do agronegócio, sejam eles de natureza imobiliária rural ou de atividades relacionadas à produção do setor

DÉCIMO ANDAR

FIIs: Saiba mais sobre a surpresinha dos fundos imobiliários anunciada pela CVM na última terça-feira

27 de janeiro de 2022 - 11:10

Comissão de Valores Mobiliários encrencou com a maneira como o fundo imobiliário MXRF11 distribui rendimentos, e disputa pode afetar negativamente toda a indústria de FIIs

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar