Menu
2021-02-06T18:19:59-03:00
Estadão Conteúdo
definindo agenda

Na primeira reunião com Lira, governo pede autonomia do BC e superendividamento

Lei do Gás, a Lei Fundiária e licenciamento ambiental foram pautas futuras citadas por líder do governo, que falou em respeito ao teto de gastos

4 de fevereiro de 2021
19:05 - atualizado às 18:19
img20210204162705518MED
Reunião de Líderes para definição da pauta da semana. Dep. Ricardo Barros (PP - PR) - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), realizou nesta quinta-feira, 4, sua primeira reunião de líderes da Casa para fechar uma agenda de projetos a serem votados pelos deputados na próxima semana.

Duas prioridades do governo entraram na pauta, além de medidas relacionadas à vacinação contra a covid-19. Uma nova fase do auxílio emergencial foi debatida durante o encontro, mas a questão só deve avançar após aprovação do Orçamento 2021.

"Pedimos a autonomia do Banco Central e a lei do superendividamento, dois que estão na lista entregue por Bolsonaro a Lira e ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). De todas as prioridades que lá estão, e são muitas importantes para o Brasil, nós combinamos essas duas para que a gente possa efetivamente votar, na medida em que sabemos que haverá obstrução e temos de vencer", disse o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), ao deixar a reunião. "São as duas que estão prontas para votar, com texto e relatores definidos", acrescentou.

A Lei do Gás, a Lei Fundiária e o licenciamento ambiental foram pautas futuras citadas por Barros. "O auxílio emergencial e a ampliação do Bolsa Família serão discutidos na Comissão do Orçamento (CMO) que será instalada na semana que vem", disse. "Os recursos precisam ser encontrados no orçamento, respeitando o teto de gastos", afirmou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

uma bolada

Bradesco paga R$ 5 bilhões em juros sobre capital próprio

Valor representa R$ 0,416 por ação ordinária e R$ 0,458 por ação preferencial, após o desconto do Imposto de Renda

seu dinheiro na sua noite

Dólar abaixo de R$ 5, Selic de volta aos 7% e o investimento da Petz em página de gatinhos

Apesar dos avanços na vacinação e do relaxamento nas medidas de distanciamento social, o fato de ainda estarmos convivendo com o coronavírus e uma elevada mortalidade pela covid-19 faz com que 2021 tenha um sabor de 2020 – parte 2. Assim tem sido, pelo menos para mim. Imagino que também seja assim para todas as […]

atenção, acionista

Weg e Lojas Renner anunciam juros sobre capital próprio; confira valores

Empresa de fabricação e comercialização de motores elétricos paga R$ 86,1 milhões; provento da varejista chega a R$ 88 milhões

Alívio no câmbio

Dólar fica abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez em mais de um ano — e o empurrão veio dos BCs

O dólar à vista terminou o dia em R$ 4,96, ficando abaixo dos R$ 5,00 pela primeira vez desde 10 de junho de 2020. O Ibovespa caiu

Constitucionalidade em xeque

Autonomia do Banco Central: STF retoma julgamento no dia 25, mas recesso pode estender votação até agosto

A lei em análise restringe os poderes do governo federal sobre a autoridade máxima da política monetária do País

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies