Menu
2020-04-01T11:51:40-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Após queda na bolsa

UBS passa a recomendar compra de ações do Itaú, mas tem outra preferida entre os bancos

Analistas do banco suíço cortaram o preço-alvo das ações do Itaú de R$ 38 para R$ 27, mas ainda assim consideram que os papéis estão baratos

1 de abril de 2020
11:51
Banco Itaú
Imagem: Estadão Conteúdo / Itaci Batista

Mesmo diante do atual cenário complicado em consequência da pandemia do coronavírus, as ações do Itaú Unibanco (ITUB4) estão baratas. A avaliação é do banco suíço UBS, que elevou a recomendação para os papéis de neutra para compra.

A indicação acontece apesar da redução do preço-alvo das ações de R$ 38 para R$ 27. O valor equivale a um potencial de alta de 17% em relação ao fechamento de ontem.

Pelos cálculos dos analistas do UBS, o Itaú negocia na bolsa por um valor equivalente a 1,8 vez o patrimônio líquido e 9 vezes o lucro projetado para este ano.

“É provável que a rentabilidade do Itaú continue bem acima do custo de capital do banco (13,8%) mesmo em 2020, quando estimamos um retorno sobre o patrimônio médio (ROAE) de 18%”, escreveram os analistas do UBS, em relatório a clientes.

O favorito

A ação preferida do banco suíço no setor, contudo, é a do Bradesco (BBDC4). Os analistas cortaram o preço-alvo para os papéis de R$ 45 para R$ 30 – um potencial de valorização de 44%.

Para os analistas do UBS, o Bradesco deve ser afetado pela maior exposição ao segmento de pequenas e médias empresas e também ao negócio de seguro saúde.

Por outro lado, as receitas com prestação de serviços do banco são mais resilientes que os pares, na avaliação do UBS. “O banco também possui um nível de cobertura de inadimplência mais forte que deve compensar parte da deterioração da qualidade dos ativos.”

Os analistas diminuíram ainda o preço-alvo para as units (certificados de ações) do Santander Brasil (SANB11), de R$ 49 para R$ 30, e mantiveram a recomendação neutra para o banco.

“Não consideramos as ações caras, mas enxergamos opções mais baratas entre os outros bancos brasileiros que cobrimos”, escreveram o UBS, em relatório assinado pelos analistas Thiago Batista, Olavo Arthuzo e Philip Finch. Leia nossa cobertura completa de mercados hoje.

A expectativa do UBS é que o lucro por ação dos grandes bancos privados registre uma queda de 13% em média neste ano, mas devem crescer 25% em 2021.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Airbus A320

Itapemirim começa a receber aeronaves para voos comerciais após Anac autorizar

A Itapemirim diz que a segunda aeronave Airbus A320 de sua frota deve chegar ao aeroporto de Confins (MG) neste domingo

Efeito reverso

Elon Musk fez piada sobre o Dogecoin na TV aberta — e as cotações desabaram

Elon Musk fez a aguardada participação no SNL no último sábado, fazendo piada sobre si mesmo e falando do Dogecoin — mas a cotação caiu forte

Pesquisa da FGV

Presente mais caro: inflação do Dia das Mães é a maior dos últimos quatro anos

Levantamento da FGV mostra que a inflação no Dia das Mães é a maior desde 2017; eletrodomésticos e passagens aéreas tiveram maiores saltos

Expansão

SPX Capital assume operações do Carlyle no país

As operações do Carlyle no Brasil serão absrovidas pela SPX Capital. Com isso, a gestora de Rogério Xavier se expande em private equity

ESTRADA DO FUTURO

Um pé no abismo e outro na casca de banana: como identificar ações de empresas decadentes

Excesso de otimismo, planos mirabolantes e desprezo pela inovação estão entre as receitas para uma empresa falhar, segundo o gestor que se dedicou a descobrir empresas terríveis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies