Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-03T12:21:52-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
A ação de 2022?

Onda roxa: Nubank (NU) tem potencial de alta de 70%, dizem bancos estrangeiros

As perspectivas de crescimento na base de clientes e na rentabilidade servem como argumento para o otimismo das instituições — muitas das quais atuaram como coordenadoras do IPO do banco brasileiro

3 de janeiro de 2022
12:21
Homem segurando um smartphone com o aplicativo do banco na tela e o cartão Nubank (NU) na mesa
Cartão e celular com tela do Nubank. - Imagem: Shutterstock

O Nubank (NU) chegou à bolsa americana cheio de pompa, mas suas ações tiveram um desempenho tímido até agora: após um rali nos primeiros dias de negociação, os ativos perderam tração e, agora, têm oscilado perto do nível de US$ 9,00 — justamente o preço do IPO. Para as grandes casas de análise do exterior, no entanto, os papéis possuem um enorme potencial de alta ao longo do ano.

Nesta segunda-feira (3), diversos bancos e instituições financeiras iniciaram suas coberturas para o Nubank com recomendação de compra — entre eles, o Morgan Stanley, o Goldman Sachs e o UBS BB. Os preços-alvos variam entre as casas, com a projeção mais otimista fixada em US$ 16,00, o que implica num potencial de ganho de 70% em relação ao fechamento da última sexta-feira (31), de US$ 9,38.

Antes de passarmos para a visão de cada uma dessas casas, é preciso fazer uma ressalva importante: elas atuaram diretamente no IPO do Nubank, assumindo o papel de coordenadoras da oferta no Brasil ou no exterior. Sendo assim, uma postura mais construtiva em relação às ações não chega a ser surpreendente.

Dito isso, é importante entender o racional por trás de cada um dos bancos. Comecemos, então, pelo Morgan Stanley, a instituição que fixou o preço-alvo mais elevado para os ativos do Nubank.

Morgan Stanley: "um dos preferidos na América Latina"

  • Recomendação: overweight (semelhante à compra)
  • Preço-alvo: US$ 16,00
  • Potencial de alta: +70,6%

O Morgan Stanley destaca que o Nubank é um dos maiores bancos digitais do mundo e apresenta uma taxa de crescimento bastante alta, ao mesmo tempo em que conta com uma marca bastante reconhecida e bem avaliada.

"Considerando a experiência de alto padrão ao consumidor, a superioridade tecnológica e a baixa estrutura de custos — tudo isso em meio à ineficiência dos sistemas bancários na América Latina —, o Nubank pode ganhar espaço através da venda cruzada de produtos que ainda possuem baixa penetração, como empréstimos pessoais, investimentos e seguros", escrevem os analistas Jorge Kuri, Jorge Echevarria e Felipe Martinuzzo.

Em termos de projeção, o Morgan Stanley enxerga uma taxa de crescimento anual composta de 68% para as receitas do Nubank nos próximos três anos; para o lucro bruto, o ritmo de expansão chega a 80%. "O Nubank será um dos maiores e mais rentáveis bancos da América Latina em 2026", dizem os analistas.

Goldman Sachs: "bem posicionado para crescer"

  • Recomendação: compra
  • Preço-alvo: US$ 15,00
  • Potencial de alta: +59,9%

Para o Goldman Sachs, o Nubank está numa boa posição para ganhar espaço no 'altamente rentável' sistema bancário da América Latina, com destaque para o Brasil, Colômbia e México — os países em que já atua. A instituição, inclusive, acredita que o banco roxo tem potencial para chegar a uma rentabilidade de 39% em 2025, impulsionada pelo crescimento em cartões de crédito e empréstimos pessoais.

Apenas como base de comparação, o Santander Brasil (SANB11) fechou o terceiro trimestre de 2021 com uma rentabilidade de 22,4%; o Itaú (ITUB4) ficou em 19,7%; o Bradesco (BBDC4), em 18,6%.

Mesmo as turbulências da economia brasileira não geram grandes preocupações ao Goldman Sachs. Em relatório, os analistas Michael Ng, Tito Labarta, Tiago Binsfeld e Katherine Campagna avaliam que a plataforma digital do Nubank e sua participação de mercado relativamente baixa podem permitir que o banco cresça de maneira contra cíclica, ao mesmo tempo em que mantém a qualidade dos ativos sob controle.

UBS BB: "vantagens competitivas atraentes"

  • Recomendação: compra
  • Preço-alvo: US$ 12,50
  • Potencial de alta: +33,3%

Embora veja uma valorização implícita menos intensa, o UBS BB também mostra otimismo em relação às ações do Nubank (NU). E boa parte dessa visão construtiva se deve à comparação com outros bancos digitais do mundo: numa comparação entre valor de mercado e base de clientes, os brasileiros estão num nível de preço mais barato.

"Apesar de reconhecermos que ainda há uma longa estrada adiante, cheia de riscos regulatórios e de execução, acreditamos que a combinação entre a grande base de clientes e cultura centrada nos usuários providencia vantagens competitivas na indústria bancária da América Latina", escrevem os analistas Thiago Batista, Olavo Arthuzo e Rayna Kumar.

Em termos de base de clientes, o UBS BB projeta que o Nubank poderá chegar aos 100 milhões de usuários em 2026 — cerca de 80 milhões no Brasil, 15 milhões no México e 5 milhões na Colômbia.

Nubank: o mapa das recomendações

Abaixo, veja uma tabela com as recomendações e preços-alvo de diversas instituições financeiras que iniciaram suas coberturas para o Nubank (NU) nesta segunda-feira; vale lembrar que, ainda em dezembro, o BTG Pactual já tinha dado recomendação neutra para as ações, com preço-alvo de US$ 10,00.

InstituiçãoRecomendaçãoPreço-alvo (US$)Potencial de alta
Morgan StanleyCompra16,00+70,6%
Goldman SachsCompra15,00+59,9%
SusquehannaCompra14,00+49,3%
WolfeCompra13,00+38,6%
UBS BBCompra12,50+33,3%
KeyBancCompra12,00+27,9%
HSBCNeutro10,00+6,6%

NU: ações em alta

A onda de recomendações positivas surtiu efeito em Wall Street: as ações do Nubank (NU) sobem mais de 5% no primeiro pregão do ano, sendo negociadas a US$ 9,86 — um ganho acumulado de pouco menos de 10% em relação aos níveis do IPO.

Na B3, os BDRs do Nubank (NUBR33) também reagem positivamente, avançando quase 4% e rompendo a casa dos R$ 9,00 — por aqui, os papéis estrearam a R$ 8,38.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro avança próximo da estabilidade e dólar cai de olho no exterior positivo e nos balanços dos bancos de hoje

As commodities permanecem em rota de valorização, com o petróleo e o minério de ferro em destaque hoje

O melhor do Seu Dinheiro

Um guia com 51 investimentos para 2022, a queda das ações tech na B3, Binance e outros destaques do dia

Confira os investimentos mais promissores do ano, além de uma análise completa dos riscos e oportunidades nas principais classes de ativos

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas buscam recuperação lá fora, de olho nos balanços do dia e Ibovespa foca no cenário doméstico

O presidente da República, Jair Bolsonaro, tem até sexta-feira (21) para decidir sobre o Orçamento e o reajuste dos servidores públicos

PAPO CRIPTO #010

Maior corretora de criptomoedas do mundo, Binance vê 2022 como o “ano da regulação” do mercado

“Existe um preconceito com o mercado de criptomoedas como um todo”, diz a representante da Binance no Brasil sobre países que proibiram a atuação da corretora

NOVA ONDA

Covid-19 volta a ganhar força e Brasil bate recorde de casos confirmados da doença em 24 horas

Números de novos casos em apenas um dia ultrapassou a marca de 137 mil; Ministério da Saúde também confirmou mais 351 mortes pela doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies