Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-01T18:01:12-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
política fiscal é desafio à frente

UBS reduz projeção de queda do PIB para 4,5% em 2020, esperando maior recuperação no 3º tri

Projeção anterior era de queda de 5,5%. Auxílio emergencial influenciou retomada em V no segundo trimestre, diz o banco suíço, que avalia o rumo da política fiscal como um desafio para o futuro da economia

1 de setembro de 2020
18:01
ubs
Imagem: Shutterstock

O UBS está mais otimista sobre o tamanho da recessão da economia brasileira. O banco suíço anunciou hoje que revisou a sua projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020, de 5,5% para 4,5%, segundo relatório assinado pelos economistas Tony Volpon e Fábio Ramos.

Pela manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB registrou um tombo de 9,7% no segundo trimestre de 2020, na comparação com os três primeiros meses do ano.

Para o UBS, o apoio fiscal fornecido pelo governo — que representa cerca de 7 pontos percentuais do PIB — para sustentar o auxílio emergencial gerou um rebote mais rápido do que o esperado da economia no período.

Os economistas observam que houve uma retomada em V: o varejo subiu para níveis anteriores aos da pandemia e o PMI de manufatura do país em agosto chegou próximo do nível de 65.

Enquanto isso, os índices de confiança dos empresários e do consumidor estão próximos aos verificados no fim do ano passado, escreveram Volpon e Ramos no relatório.

Mas a recuperação só começará a dar as caras a partir do próximo trimestre, mesmo.

De acordo com o indicador de atividade econômica de tempo real do UBS, dados econômicos publicados em julho e agosto sugerem um terceiro trimestre muito mais forte do que o esperado.

É por esta razão que o banco revisou a sua projeção de crescimento do PIB de julho a setembro deste ano, de 4% para 9% na comparação trimestral. Para o quarto trimestre, a alta esperada é de 2,5%, na mesma base.

"Ainda assim, o nível do PIB no final do ano seria 1,6 ponto percentual abaixo do quatro trimestre de 2019", diz o UBS.

Política fiscal é desafio à frente

O UBS não põe em dúvida que o auxílio emergencial foi bem-sucedido economicamente e politicamente ao propiciar renda a famílias com menos recursos, mas não deixa de dizer que essa política fiscal é insustentável.

Com a necessidade de reduzir os gastos públicos, o governo debate o redesenho das políticas sociais em meio à pandemia, o que ajudaria a diminuir o déficit fiscal para 5% em 2021.

Ao mesmo tempo, uma rápida retirada dos estímulos fiscais fornecidos pelo governo poderiam ameaçar o fôlego da retomada no ano que vem, diz o UBS.

"Não cair dessa 'ponta de faca' equilibrada entre a sustentabilidade fiscal e um abismo fiscal de rápida contração dos gastos será o desafio para a economia à frente, em nossa visão", escreveram Volpon e Ramos.

Para 2021, o UBS prevê uma alta de 3% do PIB brasileiro, com risco de um resultado superior.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Podcast Mesa Pra Quatro

De corretor de investimentos a árbitro e comentarista de futebol: conheça a trajetória de Arnaldo Cézar Coelho

O ex-árbitro e ex-comentarista de futebol é o convidado do podcast Mesa Pra Quatro. Ele conta como sua mãe influenciou a investir em imóveis e fala sobre a sua trajetória no mercado financeiro, um lado que poucos conhecem – confira agora

nome limpo na praça

Boa Vista (BOAS3): Itaú BBA inicia cobertura com ‘compra’ e potencial de alta de 27%

Preço-alvo para 2022 foi estabelecido em R$ 15,50, apoiado na tese de crescimento da companhia e do mercado de serviço de informações de crédito

de olho na inovação

Bitcoin é ineficiente como moeda e bom apenas para especulação, diz ‘Papa’ do valuation

Damodaran disse que a importância que tem sido dada ao bitcoin é desproporcional em relação ao seu papel na economia e minimizou a adoção da criptomoeda por El Salvador

entrevista

Para economista-chefe do Santander Brasil, flexibilização do teto de gastos já é uma realidade

É preciso entender a dinâmica do momento para não entrar em escaladas “otimistas” ou “pessimistas”, diz Ana Paula Vescovi

pós-fusão

Ações da Hering (HGTX3) deixam de ser negociadas na B3 a partir desta segunda (20)

Transferência de papéis faz parte do acordo de fusão entre as companhias; Soma comprou a Hering em abril

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies