Menu
2020-09-01T18:01:12-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
política fiscal é desafio à frente

UBS reduz projeção de queda do PIB para 4,5% em 2020, esperando maior recuperação no 3º tri

Projeção anterior era de queda de 5,5%. Auxílio emergencial influenciou retomada em V no segundo trimestre, diz o banco suíço, que avalia o rumo da política fiscal como um desafio para o futuro da economia

1 de setembro de 2020
18:01
ubs
Imagem: Shutterstock

O UBS está mais otimista sobre o tamanho da recessão da economia brasileira. O banco suíço anunciou hoje que revisou a sua projeção de queda do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2020, de 5,5% para 4,5%, segundo relatório assinado pelos economistas Tony Volpon e Fábio Ramos.

Pela manhã, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB registrou um tombo de 9,7% no segundo trimestre de 2020, na comparação com os três primeiros meses do ano.

Para o UBS, o apoio fiscal fornecido pelo governo — que representa cerca de 7 pontos percentuais do PIB — para sustentar o auxílio emergencial gerou um rebote mais rápido do que o esperado da economia no período.

Os economistas observam que houve uma retomada em V: o varejo subiu para níveis anteriores aos da pandemia e o PMI de manufatura do país em agosto chegou próximo do nível de 65.

Enquanto isso, os índices de confiança dos empresários e do consumidor estão próximos aos verificados no fim do ano passado, escreveram Volpon e Ramos no relatório.

Mas a recuperação só começará a dar as caras a partir do próximo trimestre, mesmo.

De acordo com o indicador de atividade econômica de tempo real do UBS, dados econômicos publicados em julho e agosto sugerem um terceiro trimestre muito mais forte do que o esperado.

É por esta razão que o banco revisou a sua projeção de crescimento do PIB de julho a setembro deste ano, de 4% para 9% na comparação trimestral. Para o quarto trimestre, a alta esperada é de 2,5%, na mesma base.

"Ainda assim, o nível do PIB no final do ano seria 1,6 ponto percentual abaixo do quatro trimestre de 2019", diz o UBS.

Política fiscal é desafio à frente

O UBS não põe em dúvida que o auxílio emergencial foi bem-sucedido economicamente e politicamente ao propiciar renda a famílias com menos recursos, mas não deixa de dizer que essa política fiscal é insustentável.

Com a necessidade de reduzir os gastos públicos, o governo debate o redesenho das políticas sociais em meio à pandemia, o que ajudaria a diminuir o déficit fiscal para 5% em 2021.

Ao mesmo tempo, uma rápida retirada dos estímulos fiscais fornecidos pelo governo poderiam ameaçar o fôlego da retomada no ano que vem, diz o UBS.

"Não cair dessa 'ponta de faca' equilibrada entre a sustentabilidade fiscal e um abismo fiscal de rápida contração dos gastos será o desafio para a economia à frente, em nossa visão", escreveram Volpon e Ramos.

Para 2021, o UBS prevê uma alta de 3% do PIB brasileiro, com risco de um resultado superior.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

em encontro com investidores

Arthur Lira sinaliza que Orçamento será resolvido ‘sem rupturas’

Presidente da Câmara mencionou ainda o posterior encaminhamento da reforma administrativa e ainda o início das discussões sobre a privatização da Eletrobras

Conheça as novatas

A hora da biotecnologia: empresas do setor disparam até 78% após IPOs na Nasdaq

Três estreantes do segmento atraíram a atenção dos investidores e chegaram com tudo à bolsa norte-americana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies